Notas policiais

334
  • Vendedor é roubado por dupla em moto após sair de agência

Um vendedor de 31 anos foi vítima de roubo, na manhã de terça-feira, 30 de novembro, no bairro do Junqueira. O crime foi cometido por dois bandidos em uma moto vermelha, logo após a vítima ter deixado uma agência bancária na área central.

Por volta das 11h20, segundo relatado, o vendedor havia acabado de sair da agência, próxima à Praça da Matriz, quando percebeu que as duas pessoas, em uma Honda CG 125, vermelha, estariam seguindo-o.

Após andar por algumas ruas, o vendedor pensou que os indivíduos haviam deixado de acompanhá-lo. Contudo, ao chegar no carro dele, que estava estacionado na rua Bepe Vanni, os ladrões aceleraram e cercaram o vendedor.

Um dos criminosos estaria com uma faca e o outro, com uma das mãos na cintura, fazendo menção de estar armado. Eles roubaram um pendrive, o celular da empresa onde a vítima trabalha e R$ 2.500. Em seguida, os ladrões mandaram a vítima entrar no carro e ir embora.


  • Mulher paga R$ 1.780 para liberar suposto empréstimo

Uma empregada doméstica de 38 anos caiu em golpe ao tentar realizar empréstimo bancário com uma suposta empresa de financiamentos. Acreditando que precisaria pagar taxas para liberar o empréstimo, a vítima depositou quase 20% do valor que receberia da financiadora. O caso foi informado no plantão policial na tarde de terça-feira, 30 de novembro.

Conforme relatado, anteriormente, uma mulher conhecida da empregada havia passado a ela o contato de uma financiadora, mas ela não entrou em contato com a empresa.

Em seguida, no dia 20 de novembro, ela foi contatada por “Fernanda Monteiro”, apresentando-se como representante justamente da mesma financiadora.

A suposta representante, segundo relatado, afirmou que a empregada poderia solicitar um empréstimo de R$ 10 mil, a serem pagos em 48 parcelas de R$ 284. Porém, para garantir o empréstimo, seria necessário o pagamento de algumas taxas.

De acordo com o boletim de ocorrência, a doméstica pagou R$ 400 para uma suposta seguradora, mais R$ 400, referentes à taxa do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), além de outros dois depósitos, de R$ 400 e R$ 580, totalizando R$ 1.780. Posteriormente, após relatar o ocorrido à patroa dela, a vítima percebeu que caíra em golpe.


  • Casal ‘puxa papo’ com vítima antes de subtrair pertences

Uma empregada doméstica de 58 anos acabou roubada, na manhã de quarta-feira, 1º, na área central, por um casal desconhecido. O crime aconteceu por volta das 9h, quando foram furtados uma bolsa com pertences e o dinheiro que a vítima havia acabado de sacar.

Conforme o boletim de ocorrência, a empregada esteve em uma agência bancária, na rua José Bonifácio, para sacar R$ 500. Assim que saiu do local, um casal – sendo “o homem aparentemente de 20 a 25 anos e a mulher, de 30 a 40 anos” – começou a conversar com ela.

O casal, segundo o boletim, continuou conversando com a empregada sobre diversos assuntos, enquanto caminhavam pelas ruas. Quando já estavam na 13 de Fevereiro, a mulher desconhecida, de “forma brusca”, tomou a sacola que estava em uma das mãos da empregada.

Em seguida, conforme o BO, a bandida disse, “de forma intimidadora”: “Olhe para frente, siga em frente e não olhe para trás”. A vítima caminhou por algum tempo e, quando notou que estava em segurança, olhou para trás e não conseguiu avistar o casal criminoso.

A vítima disse à PC que, dentro da sacola roubada, havia documentos pessoais, um celular, um cartão bancário e o dinheiro que acabara de sacar. Ela acionou a Guarda Civil Municipal e, posteriormente, foi orientada a comunicar o ocorrido na Delegacia Central.


  • Dois bandidos fingem vender galinhas para anunciar assalto

Um casal de aposentados, de 83 e 86 anos, residente na área rural, teve alianças, aparelhos eletrônicos e dinheiro roubados por dois sujeitos desconhecidos.

O caso aconteceu na quarta-feira da semana passada, 24 de novembro, porém, só foi comunicado à Delegacia Central na manhã de quinta-feira, 2.

Segundo o boletim de ocorrência, os dois homens bateram palmas diante do imóvel das vítimas oferecendo galinhas, quando a ajudante de limpeza que trabalha no local disse que não havia interesse na compra das aves.

Pouco depois, conforme o documento, a dupla voltou a bater palmas no local, dessa vez para pedir água. Posteriormente, eles retornaram ao local pela terceira vez e, assim que foram atendidos, invadiram o imóvel, anunciando o assalto.

De acordo com o boletim, a idosa estava indo dar banho no marido – que é cadeirante – quando os bandidos entraram na casa, sendo que um deles estava armado. Ela e a ajudante foram colocadas em um quarto, enquanto um dos ladrões ficou em outro quarto, com o idoso cadeirante.

Nesse momento, conforme o BO, o segundo criminoso começou a procurar objetos pelo local, levando um par de alianças de ouro, um tablet, dois celulares e R$ 5.000 em espécie. Os ladrões chegaram a pedir mais dinheiro, porém, as vítimas disseram que não tinham, pois só iriam receber no início do mês.

Ainda de acordo com o BO, os ladrões exigiram que as vítimas não saíssem dos quartos até que eles deixassem o local. Além disso, disseram que, caso o crime fosse informado às autoridades policiais, as vítimas teriam de afirmar que havia sido cometido por uma “pessoa negra”.