Notas policiais

398
  • Homem paga R$ 26 mil ao ser ameaçado por ato que não fez

Um metalúrgico de 40 anos caiu em um golpe após ser ameaçado por um suposto delegado por telefone. Ele transferiu R$ 26,5 mil para não ser preso por algo que não teria feito. A vítima registrou boletim de ocorrência no plantão policial sobre o caso no início da tarde terça-feira, 16.

Conforme o documento, na manhã de 1º de novembro, por volta das 8h40, o metalúrgico recebeu ligação de um homem afirmando ser o delegado “Paulo Moraes Kowalski” da 16ª DPPA (Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento).

O suposto delegado, segundo o boletim, começou a perguntar como o metalúrgico teria conhecido “a menor”. Kowalski disse que o pai dessa menor iria registrar boletim de ocorrência e o metalúrgico seria preso, pois já havia um mandado de busca.

Ainda de acordo com o BO, o suposto delegado pediu R$ 9.000, referentes à fiança de R$ 7.500, para arcar com os tratamentos médicos da menor, e mais R$ 10 mil, para que a “liberação” ocorresse imediatamente.

O metalúrgico disse à Polícia Civil que não havia conversado com nenhuma menor. Apesar disso, ele realizou todas as transferências solicitadas, via Pix, para a conta informada, em benefício de “Nauha Letiane D. V. Joaquim”.


  • Vítima sofre furto no centro e só percebe ao chegar na casa

Uma faxineira de 44 anos foi vítima de furto, na tarde de sexta-feira da semana passada, 12, enquanto passava por algumas lojas na região central.

Contudo, a vítima só percebeu a falta da carteira com pertences e dinheiro quando chegou em casa. O crime só foi informado na Delegacia Central na manhã de quarta-feira, 17.

Segundo relatado, por volta das 15h, a faxineira havia entrado em diversas lojas do centro. Em uma delas, uma mulher desconhecida aproximou-se, mostrando e perguntando a opinião dela sobre uma peça de roupa.

Na sequência, conforme relatado, a faxineira deixou o estabelecimento e pegou um ônibus para retornar à residência dela, no bairro Tanquinho. Somente após chegar na casa, ela percebeu a falta da carteira que estava guardada na bolsa, contendo dois cartões e R$ 600 que havia acabado de sacar em uma agência bancária.

Ainda segundo relatado, na terça-feira, 16, o marido da vítima esteve na agência bancária para relatar o ocorrido, sendo orientado a registrar o boletim de ocorrência de furto antes de verificar a possibilidade de o valor furtado ser reembolsado.


  • Filmagens são furtadas junto com veículo, cofre e R$ 17 mil

Uma empresa distribuidora de gás, situada na área central, foi invadida e furtada durante a madrugada de quarta-feira, 17. Do local, foram levados um veículo, um cofre, dinheiro e até o aparelho do sistema de monitoramento que armazenaria as filmagens da ação criminosa. O caso foi comunicado à Delegacia Central ainda durante a manhã.

Conforme o boletim de ocorrência, por volta das 7h, um funcionário chegou na sede da empresa e percebeu que uma parede e o teto do estabelecimento estavam quebrados.

Ele ainda observou que o portão havia sido aberto com a chave que ficava guardada do lado de dentro e, ainda, que o carro da empresa tinha sido furtado.

Na sequência, segundo o boletim, o funcionário telefonou para a gerente da empresa, informando o ocorrido. Posteriormente, ela chegou no local e constatou que, além do que o funcionário havia observado, ainda tinham sido levados um cofre, o aparelho com as imagens do sistema de monitoramento e R$ 17 mil.

Ainda de acordo com o documento, após a gerente acionar a Polícia Militar, os agentes orientaram o registro do boletim de ocorrência no plantão policial. No mesmo dia, após o BO, o carro da empresa foi encontrado abandonado em uma estrada que dá acesso ao bairro Novo Horizonte.


  • Estudante de 15 anos ‘expele’ pedras de crack após captura

Um adolescente de 15 anos acabou apreendido, na tarde de quinta-feira, 18, acusado de tráfico de entorpecentes na vila Esperança. Durante a ação, a Guarda Civil Municipal ainda recolheu porções de maconha e crack, além de um celular e dinheiro.

Conforme a corporação, por volta das 17h40, uma equipe de Canil da GCM fazia patrulhamento pelo bairro quando, pela rua Heleonildes Maciel Macedo, avistou um indivíduo embaixo da cobertura de uma garagem, protegendo-se da chuva que caía no momento.

Ao notar a aproximação da viatura, segundo a GCM, o adolescente saiu correndo e, durante a fuga, atirou uma sacola plástica pelo caminho. Os agentes reconheceram o estudante, “já conhecido dos meios policiais”, e abordaram-no pouco adiante.

De acordo com a GCM, logo ao ser abordado, o sujeito “expeliu” dez pedras de crack. Durante busca pessoal, os guardas encontraram R$ 240 em diversas notas.

Os agentes ainda constatam que a sacola plástica que ele atirara continha dez porções grandes de maconha. Ao ser questionado, o adolescente confessou a comercialização das drogas.

Conforme o boletim de ocorrência, o estudante recebeu voz de apreensão e, posteriormente, foi apresentado à Central de Flagrantes. Lá, a delegada plantonista ratificou a apreensão do adolescente pelo crime de ato infracional de tráfico de entorpecentes, deixando à disposição da Vara da Infância e Juventude.

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome