Notas policiais

342
  • Vítima teria que depositar R$ 1.300 para liberar empréstimo

Um vigilante de 39 anos caiu em um golpe ao tentar solicitar empréstimo bancário pela internet. Ele teria de fazer depósitos para que a suposta empresa de crédito liberasse o dinheiro. Boletim de ocorrência sobre o caso foi registrado na tarde de sexta-feira, 12.

Segundo o documento, no dia anterior, por volta das 21h, o vigilante encontrou um anúncio de empréstimos em uma rede social e ligou para o telefone informado.

Na manhã seguinte, ele foi contatado pela empresa “Credfácil”, através da consultora financeira “Raissa Gomes”, e disse que necessitava de um empréstimo de R$ 10 mil.

Conforme o boletim, a consultora afirmou que a quitação do empréstimo poderia ser feita em 36 parcelas de R$ 352,56 – o que totalizaria R$ 11.281,92.

Ela ainda pediu para que o vigilante enviasse os dados necessários e fizesse um depósito de R$ 398,67, na conta de “Mayke Nascimento Gomes”.

Alguns minutos após ter enviado o comprovante do depósito, segundo o BO, o vigilante recebeu uma ligação de “Rafael Andrade”, suposto gerente-geral da empresa.

O sujeito confirmou algumas documentações e, pouco depois, afirmou que o vigilante teria de depositar R$ 998,99 para a liberação do empréstimo, pois estaria com o “score” baixo. Após o pedido do segundo depósito, ele percebeu que havia caído em golpe.


  • Babá tem bolsa com pertences e dinheiro roubada na rua ‘15’

Uma babá de 49 anos foi vítima de roubo enquanto estava a caminho do terminal rodoviário “Pedro de Campos de Camargo”, na área central, na noite de sexta-feira, 12. Entre os itens que estavam na bolsa levada no crime, havia R$ 1.025 em dinheiro.

Conforme relatado, às 21h45, a babá estava caminhando pela rua 15 de Novembro a caminho do terminal, onde embarcaria em um ônibus para Itapeva (SP), quando foi abordada por dois indivíduos usando capuz.

Um dos bandidos segurou a bolsa, dizendo para ela não reagir, pois “não iriam machucá-la”. Na sequência, os dois fugiram em direção ao centro da cidade.

Segundo relatado, a vítima foi até um posto de combustíveis próximo ao terminal rodoviário para solicitar ajuda. Um funcionário do estabelecimento parou uma viatura da Guarda Civil Municipal, que passava pelo local, e os agentes orientaram a vítima a comparecer à Delegacia Central para informar o crime.

A vítima disse à PC que estavam na bolsa: uma carteira com documentos pessoais e diversos cartões bancários, de saúde, dentistas, alimentação, farmácia, posto e igreja; R$ 1.000; e um celular, contendo R$ 25 e um carnê dentro da capa.


  • Notebook e dinheiro guardado em caixa de loja são furtados

Na madrugada de segunda-feira, 15, um estabelecimento comercial localizado na rua 15 de Novembro foi invadido e furtado, na região central. Durante o crime, foram levados um notebook e todo o dinheiro guardado no caixa.

Segundo relatado, durante a manhã, ao chegar na loja, um sócio do local observou que a janela do banheiro, que fica nos fundos do imóvel, estava quebrada. Além de um notebook, avaliado em R$ 1.600, foram levados R$ 85 que estavam no caixa.

O sócio do estabelecimento esteve na Delegacia Central para registrar boletim de ocorrência. Ele não apresentou suspeitos ou testemunhas e ainda informou que não há câmeras de segurança no local.


  • Jovem justifica comercializar drogas para sustentar a família

Um desempregado de 19 anos acabou preso, na tarde de segunda-feira, 15, acusado de tráfico de entorpecentes no Jardim Thomaz Guedes. Entre os itens apreendidos pela Guarda Civil Municipal durante a ação, foram recolhidas mais de cem porções de crack.

De acordo com a GCM, por volta das 15h, uma equipe recebeu denúncia anônima informado que um indivíduo, o qual seria o “gerente do tráfico de drogas” no bairro, estaria dirigindo um Gol prata para o transporte de drogas para a casa de um outro sujeito.

Segundo a corporação, os agentes iniciaram patrulhamento pelo bairro, em conjunto com uma equipe do canil, e,na rua Antônio Carlos da Silva, encontraram o rapaz que receberia os entorpecentes. Ao perceber a aproximação das viaturas, o sujeito entrou na residência.

Os guardas foram até o imóvel e, segundo a GCM, encontraram o rapaz denunciado e um outro homem no local. Questionado, o desempregado confessou estar comercializando entorpecentes e afirmou que o outro homem estava na casa somente para buscar fraldas para o filho dele.

Posteriormente, conforme a GCM, o suspeito apontou a localização de oito “kits” de crack, em cima do telhado do imóvel, onde foram encontradas 112 porções da droga.

Na residência, os guardas ainda recolheram o celular do denunciado, um caderno com duas folhas de anotações referentes ao tráfico e R$ 204.

O rapaz foi levado à Central de Flagrantes e, de acordo com a GCM, durante o interrogatório, reafirmou que as drogas pertenciam a ele, sendo vendida cada porção por R$ 10. Ainda disse que está desempregado há quatro meses e começou a traficar para sustentar a família.

De acordo com o boletim de ocorrência, o acusado, identificado como Rafael Vieira Barbosa, recebeu voz de prisão e permaneceu detido, à disposição da Justiça. Já o homem que estava na casa de Barbosa no momento da abordagem foi ouvido e, na sequência, liberado.

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome