Notas policiais

16
  • Estelionatário deixa apenas R$ 5,75 na conta de aposentada

Uma aposentada de 75 anos descobriu ter sido vítima de estelionato na manhã de quinta-feira, 16. Ao solicitar o extrato da conta, a idosa percebeu que havia perdido quase todo o dinheiro dela.

Conforme relatado, a aposentada saiu da residência dela para pagar algumas contas. Durante o caminho, ela esteve em uma agência lotérica e sacou um determinado valor.

Após o saque, a idosa teria pedido à atendente um extrato da conta para saber a quantia que ainda possuía. No último extrato emitido, a vítima possuiria R$ 14 mil e, no documento emitido na lotérica, havia somente R$ 5,75.


  • Ladrão usa vassoura e enxada para evitar gravação de furto

Um arquiteto teve a residência, localizada na área central, invadida e furtada na noite de quarta-feira, 15. O ladrão utilizou uma vassoura e uma enxada para impedir que as câmeras de segurança do imóvel gravassem o crime.

De acordo com o boletim de ocorrência, na manhã de sexta-feira, 17, o arquiteto verificou as imagens do sistema de monitoramento e percebeu que, dois dias antes, às 23h45, um carro de cor prata, modelo Corsa, havia sido estacionado a 300 metros de distância da casa dele.

Conforme o boletim, um homem desceu do veículo segurando uma vassoura e, na sequência, empurrou uma câmera, instalada na frente da residência, para cima. Pouco depois, deu a volta na casa e empurrou outra câmera, instalada nos fundos.

O criminoso guardou a vassoura no carro e, segundo o BO, invadiu o imóvel. Já dentro, usou uma enxada que estava no local para retirar outras duas câmeras de segurança. O bandido utilizou um pé de cabra, guardado no quintal, para abrir uma das portas para entrar no interior do imóvel, porém, sem sucesso.

Posteriormente, ainda conforme o BO, pelo banheiro externo, o ladrão subiu no forro e retirou toda a fiação elétrica da casa e deixou o local, levando ainda duas torneiras e um registro, dentro de um cesto de lixo.


  • Vendedor entrega produto a Uber, mas fica sem receber

Um vendedor de 32 anos, morador do Loteamento Módena, caiu em golpe quando tentava vender um patinete elétrico pela internet. Ele entregou o produto no sábado, 11, e quase uma semana depois ainda não havia recebido o valor combinado.

Segundo relatado, por volta das 8h, ele anunciou o produto no site “OLX”, com o valor de R$ 2.800. Às 8h22, um suposto comprador enviou mensagem, demonstrando interesse e informando que realizaria o pagamento pelo aplicativo do site de vendas, além de ter solicitado o e-mail.

Pouco depois, o vendedor teria recebido e-mails como se fossem da OLX, solicitando dados pessoais e bancários e informando que um motorista de aplicativo retiraria o patinete elétrico na casa para o comprador.

Cerca de dez minutos após a suposta confirmação, um motorista da Uber chegou na residência do vendedor e levou o produto. Posteriormente, o comprador confirmou que o patinete havia chegado e o vendedor recebeu um novo suposto e-mail da OLX, avisando que o valor da venda seria transferido em prazo de 24 a 72 horas.

O vendedor disse à PC que, após passar o tempo combinado, contatou a OLX, sendo informado de que nenhuma transação com aqueles dados havia sido feita pela plataforma. Ele ainda tentou contato com o suposto comprador, porém, acabou bloqueado.


  • Rapaz acaba detido por tentar furto de alcatras e bistecas

Um desempregado de 24 anos acabou preso, na manhã de domingo, 19, por volta das 8h, acusado de tentar furtar um mercado no Residencial Atlanta. Durante a ação, a Polícia Militar recuperou um pacote de bisteca e outro de alcatra.

De acordo com o boletim de ocorrência, o sujeito e uma mulher entraram no estabelecimento, sendo que o desempregado colocou os dois pacotes de carnes dentro da mochila. Enquanto a mulher foi ao caixa para passar outros produtos, o indivíduo tentou deixar o local, passando “de fininho”, sem pagar pelas carnes.

Conforme o BO, ele tentou fugir em uma moto, mas foi impedido por um funcionário, que conseguiu pegar a chave, fazendo com que o acusado fugisse correndo. Enquanto isso, a mulher não conseguiu pagar pelos outros produtos e fugiu do local, deixando até um cartão bancário.

Com o nome impresso no cartão, segundo a corporação, os agentes reconheceram o desempregado, pois ele teria cometido um crime semelhante no mês anterior.

Após patrulhamento pelas proximidades, os policiais localizaram o acusado, o qual confessou o furto e indicou que deixara a mochila com as carnes em uma construção.

Segundo a PM, após os funcionários do supermercado reconhecerem o rapaz, ele foi apresentado na Central de Flagrantes. Lá, recebeu voz de prisão e permaneceu à disposição da Justiça. A mulher que o acompanhava não foi encontrada até o término do registro da ocorrência.