Notas policiais

4
  • Jovens são pegos com drogas na vila Ezequiel neste sábado

Dois rapazes, um jovem de 20 anos e um adolescente de 17, foram encaminhados à Delegacia Central, na madrugada de sábado, 14, acusados de tráfico de drogas na vila Ezequiel.

De acordo com a GCM, uma equipe fazia patrulhamento pelo bairro quando recebeu informação de um morador apontando que dois jovens estariam vendendo drogas e armazenando os entorpecentes em uma casa abandonada na rua Antônio Moroni.

Com as informações, a equipe realizou buscas e encontrou os suspeitos. Segundo a GCM, ao perceber a presença da guarnição, os jovens tentaram fugir e jogaram pacotes com drogas no chão.

Em revista pessoal, eles estariam carregando três pedras de crack e um pino de cocaína. Já no imóvel, indicado pela denúncia, os GCM apreenderam 12 pedras de crack e 13 pinos de cocaína.

Os dois suspeitos foram encaminhados à Delegacia Central para serem ouvidos e acabaram liberados pela Polícia Civil. Um boletim de ocorrência por porte de entorpecente foi registrado.


  • Vítimas de golpe em venda de carro por site dividem prejuízo

Mais dois moradores de Tatuí foram vítimas de golpe por meio de um anúncio de venda de veículo na internet. O anunciante e o pretenso comprador do carro registraram o crime na segunda-feira, 16, na Polícia Civil.

Conforme relatado, um auxiliar administrativo de 29 anos anunciou a venda de um Toyota Corolla pela internet e uma terceira pessoa teria intermediado o negócio com o comprador interessado, um comerciante de 55 anos.

Para o anunciante, o terceiro, apontado como estelionatário, teria se passado por advogado do comprador. Já para o comprador, o suposto advogado estaria apenas intermediando a venda.

Com isso, o comerciante acabou depositando R$ 23 mil na conta do golpista, achando que estava adquirindo o veículo. Contudo, ao entrar em contato com o vendedor, os dois perceberam ter caído em golpe.

Casos como este são relatados com frequência na Delegacia Central. Na maioria das vezes, anunciante e comprador acabam tendo prejuízo. O comprador, por depositar dinheiro para um estelionatário e o anunciante, que não recebe o dinheiro e ainda tem o veículo apreendido, não sendo mais possível realizar a venda.

Neste caso, a situação foi um diferente: conforme o boletim, as vítimas reconheceram o golpe e devem formalizar acordo extrajudicial, para dividir o valor do prejuízo e o automóvel não ficar com os documentos bloqueados.


  • Homem é agredido e roubado dentro de bar no Rosa Garcia

Um ajudante de motorista de 46 anos, morador do Jardim Rosa Garcia, foi agredido e roubado dentro de um bar, próximo da casa dele, na noite de sábado, 14. A vítima procurou a PC na tarde de segunda-feira, 16, para registrar a ocorrência.

Segundo o boletim de ocorrência, a vítima disse que estava no bar, localizado na rua Antonio Orlando Salmasi, quando dois homens entraram no estabelecimento e um o abordou com um tapa na cabeça.

Após a agressão, o homem teria empurrado a vítima para o chão e, em seguida, o outro – que seria filho do agressor – teria subtraído o aparelho de telefone que estava no bolso das calças da vítima.

À PC, o ajudante de motorista disse não ter o contato dos acusados. Em boletim de ocorrência, o homem também não informou se conhecia os agressores e se haveria um motivo para a agressão.


  • Igreja no Santa Rita tem R$ 200 furtados de dentro de cofre

Uma igreja evangélica, denominada “Deus é Amor”, foi invadida e furtada no Jardim Santa Rita de Cássia. O crime teria acontecido na madrugada do dia 17 de julho, contudo, o representante da igreja procurou a PC na tarde de segunda-feira, 16, para registrar a ocorrência.

Conforme relatado, R$ 200 em dinheiro foram levados de um cofre do templo. Em boletim de ocorrência, o denunciante informa que “pularam um portão do lado da igreja, subiram no telhado, despregaram o forro e estouraram o cofre”.

Apesar de a quantia furtada ter sido estimada em R$ 200, o declarante aponta ter um orçamento de R$ 1.000 para arrumar o cofre, que foi danificado. A vítima informou não ter sistema de monitoramento no local. Ela também não apontou suspeito ou testemunha do fato.