Notas policiais

557
  • Furto ocorre enquanto vítima consumia bebidas alcoólicas

Um forneiro de 52 anos foi vítima de furto enquanto estava ingerindo bebidas alcoólicas. O caso aconteceu no Mercado Municipal “Nilzo Vanni”, na sexta-feira da semana passada, 27 de novembro, mas só foi informado no plantão policial na terça-feira, 1º.

Segundo relatado, o forneiro estava bebendo e não percebeu quando furtaram a sacola dele, onde guardava o RG e o celular. A vítima disse à PC não saber o momento exato em que ocorrera o crime.


  • Menor de 15 anos é recolhido escondendo drogas na boca

Um adolescente de 15 anos foi apreendido, na tarde de terça-feira, 1º, acusado de ato infracional de tráfico de drogas, na vila Esperança. Com o menor, a Guarda Civil Municipal recolheu oito porções de crack.

A partir de denúncia, a GCM encontrou o menor na rua Heleonildes Maciel de Menezes. Ao avistar a guarnição, o adolescente teria mudado de calçada e jogado um objeto não chão, “levantando suspeitas pela atitude”.

De acordo com a GCM, o menor foi abordado e, em busca pessoal, os guardas encontraram cinco porções de crack, escondidas na boca dele, além de R$ 116. Próximo ao local, ainda localizaram mais três porções do mesmo entorpecente, e o acusado confessou estar vendendo crack, segundo a GCM.

O adolescente foi conduzido ao Pronto-Socorro Municipal “Erasmo Peixoto” para exame cautelar e, na sequência, apresentado à Central de Flagrantes. O delegado determinou o auto de apreensão do adolescente e recolheu as drogas e o dinheiro.


  • Acusado de tentativa de roubo é abordado ao voltar ao local

A Polícia Militar abordou, na terça-feira, 1º, um ajudante-geral de 23 anos, acusado de tentativa de furto a um estabelecimento comercial no Jardim Atlanta, na tarde do dia anterior. Uma funcionária disse tê-lo reconhecido como um dos bandidos e a moto utilizada na ação.

Segundo o boletim de ocorrência, na segunda-feira, 30 de novembro, por volta das 15h10, dois indivíduos armados entraram no barracão anunciando o assalto e exigindo dinheiro.

Contudo, por estar cheio de funcionários no local, os criminosos fugiram sem levar nada. Através das câmeras de segurança, os PMs verificaram que os sujeitos haviam fugido em uma moto escura.

No dia seguinte, conforme o boletim, dois indivíduos, “com a mesma moto usada no dia anterior”, passaram em frente ao estabelecimento. Uma funcionária os avistou e acionou a PM. Durante patrulhamento, os agentes encontraram dois rapazes em uma moto azul, da marca Honda, modelo CG 125 Fan, próximos ao comércio.

De acordo com a PM, durante a abordagem, nada de ilícito foi encontrado com os ocupantes da motocicleta. Os policiais fizeram contato com a funcionária que acionara a equipe e, através de fotos, ela reconheceu a moto e o ajudante-geral, como um dos autores da tentativa de crime.

Ainda conforme a PM, o ajudante e o rapaz que o acompanhava foram questionados e, posteriormente, apresentados na Central de Flagrantes. Porém, somente a moto permaneceu apreendida para ser recolhida ao pátio do CRTrans Remoções.


  • Homem arremata carro e nota golpe após depositar R$ 27 mil

Um empresário de 43 anos caiu em golpe ao pensar ter arrematado um veículo em um leilão. Após receber o termo de arrematação e efetuar o depósito do valor, a vítima não foi mais atendida pela suposta empresa de leilões. O caso foi informado na DC na tarde de quarta-feira, 2.

Conforme relatado, no dia 16 de novembro, o empresário utilizou os dados da empresa dele para se cadastrar no site “Revanche Leilões” e se interessou em adquirir um Etios X Plus, 2019, com valor inicial para lances de R$ 15,8 mil.

O empresário teria registrado um lance de R$ 18 mil, mas o valor foi superado por outros interessados. Na quinta-feira da semana passada, 26 de novembro, último dia do leilão, ele teria efetuado um novo lance, dessa vez, no valor de R$ 25,4 mil.

Na sequência, um suposto funcionário da Revanche Leilões teria entrado em contanto com o empresário, informando que o segundo lance dele havia arrematado o veículo.

O empresário recebeu o termo de arrematação com acréscimos da taxa de pátio, de R$ 620, e da comissão do leiloeiro, de R$ 1.270, totalizando o valor de R$ 27.290.

O funcionário ainda teria especificado que o empresário tinha de depositar o valor do arremate e despesas até às 16h. Por volta das 12h, ele teria efetuado o depósito na conta de uma agência de Guarujá (SP), em benefício de “João Pedro Rogério Macedo de Almeida”.

Após o pagamento, o empresário teria sido bloqueado no site da suposta empresa de leilões. Ele teria conseguido contatar a empresa pelo telefone da esposa, mas, ao relatar que se tratava do arremate de um dos veículos do site, a ligação foi finalizada, levando-o a constatar que caíra em um golpe.