Notas Policiais

689
  • Cartão é trocado em banco e vítima percebe 7 dias depois

Uma mulher de 62 anos, moradora do Jardim Gramado, teve prejuízos após o cartão dela ter sido trocado por um sujeito dentro de uma agência bancária na área central. O caso aconteceu no dia 19 de agosto, mas a vítima só comunicou o ocorrido ao plantão policial na terça-feira desta semana, 6.

Conforme o boletim de ocorrência, por volta das 11h desse dia de agosto, a mulher esteve na agência para efetuar o saque do auxílio emergencial. Enquanto utilizava o caixa eletrônico, a vítima não percebeu um homem observando o procedimento dela.

Em determinado momento, segundo o boletim, o sujeito “se intrometeu”, entrando na frente da vítima, colocando a mão no teclado e dizendo que a máquina havia travado. Em seguida, o homem retirou o cartão do caixa eletrônico e entregou-o à mulher.

A vítima disse à PC que, somente uma semana depois, percebeu que o cartão bancário dela havia sido trocado. A mulher retornou à agência, retirou um extrato e constatou que haviam transferido R$ 1.530 da conta dela.


  • Aposentado ‘perde’ R$ 27 mil após sair com três mulheres

Um aposentado de 71 anos “perdeu” R$ 27 mil e sofreu dívidas após três mulheres desconhecidas terem ido até o sítio dele, na área rural de Tatuí, para “saírem” juntos. O caso ocorreu no domingo, 4, porém, somente na quarta-feira, 7, ele registrou boletim de ocorrência de roubo.

Segundo relatado, por volta das 11h, o aposentado estava capinando o quintal do sítio quando três mulheres, em um “carro verde escuro, com placas de São Paulo”, pararam no local. Elas foram até a cozinha, carregando refrigerantes, “e começaram a fritar ovos para comerem com pão”.

De acordo com o boletim de ocorrência, na sequência, o aposentado entrou no carro com as mulheres e veio ao centro da cidade. Juntos, os quatro estiveram em diversos estabelecimentos comerciais.

O aposentado disse à PC que, na quarta-feira, 7, começou a receber cobranças de três lojas, as quais disseram que iriam “colocar o nome dele” no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e no Serasa.

O aposentado ainda afirmou à PC que, a partir de segunda-feira, 5, teriam sido feitos diversos saques e compras em diferentes estabelecimentos com um cartão de débito dele, totalizando prejuízo de R$ 27.704,77. A vítima garante não se lembrar de nada do que aconteceu, tampouco saber como retornara ao sítio.


  • Homem tem celular furtado e dinheiro retirado de conta

Um aposentado de 59 anos teve o celular furtado, na tarde de domingo, 4, no Jardim Europa. Dois dias depois, ele descobriu o desaparecimento de mais de R$ 2.000 da conta dele. A vítima registrou um boletim de ocorrência de furto e outro, de estelionato.

De acordo com o primeiro boletim, por volta das 15h, o aposentado estava com alguns amigos tomando cerveja, sentado na calçada da rua Dirceu Domênico Ostan. Ele havia deixado o celular em um banco e, depois de quatro horas, percebeu que o aparelho não estava mais no local.

Conforme o BO, a vítima possuía o aplicativo para transações bancárias no celular furtado e, por conta disso, acredita que o bandido conseguiu obter os dados bancários para realizar uma transferência no valor de R$ 2.735,28.


  • Em uma semana, ‘Caps’ sofre segunda invasão e mais furtos

O Caps (Centro de Atenção Psicossocial) localizado na avenida Virgílio de Montezzo Filho, na Nova Tatuí, foi invadido e furtado novamente, na madrugada de quarta-feira, 7, uma semana após sofrer os mesmos crimes.

De acordo com o boletim de ocorrência, os bandidos invadiram o local pelo telhado da residência que faz fundos, furtando um ventilador, duas câmeras de segurança, 50 metros de cabo de fio de energia de 25 milímetros, oito tampas de registro de água, uma torneira, um porta-toalhas e um sino de metal.

Conforme o boletim, a diretora do Caps soube do crime durante a manhã, quando chegou ao local para trabalhar. Uma funcionária procurou-a para informar que haviam entrado no Caps novamente.

Segundo outro boletim registrado na DC anteriormente, no dia 30 de setembro, o Caps já havia sido invadido, durante a madruga. A diretora verificou que, além da porta da sala de terapia ocupacional ter sido quebrada, tinham sido furtados um computador, dez caixas de lápis de cor, cinco caixas de canetas hidrográficas, dez potes de tinta guache e dez canetas de tecido, tudo para uso de grupos terapêuticos.

Na oportunidade, a representante disse à PC que, durante a invasão, ainda foram subtraídos uma máquina de costura, dois baldes de lixo, um botijão de gás e quatro câmeras de segurança.