Sta. Casa terá R$ 850 mil para pagar 13º e comprar remédios

Valor será ‘garantido’ pela Câmara, em acordo com o Executivo

472
Publicidade

A Santa Casa de Misericórdia terá R$ 850 mil a mais no caixa neste fim de ano. O dinheiro deverá ser “garantido” pela Câmara Municipal, conforme acordo firmado entre a mesa diretora do Legislativo e o Executivo.

O presidente da Casa de Leis, Luís Donizetti Vaz Júnior (PSDB), informou que o valor deverá ser aplicado no pagamento do 13º salário dos funcionários e na compra de medicamentos que atendem ao setor de cirurgia.

Vaz Júnior divulgou a intenção do repasse, que é fruto da antecipação de devolução do duodécimo da Câmara para a Prefeitura, em sessão ordinária na noite de terça-feira, 7.

Ele falou sobre o assunto em pronunciamento. Na quarta-feira, 8, o parlamentar esteve reunido com a prefeita Maria José Vieira de Camargo (PSDB), para tratar de como se dará a devolução.

De acordo com o vereador, o Executivo deverá encaminhar projeto de lei similar ao que originou a lei municipal 5.098, autorizando a Prefeitura a repassar à Santa Casa a devolução parcial da receita da Câmara. Na época, os vereadores autorizaram a transferência de R$ 150 mil.

Publicidade

Segundo o presidente, o hospital utilizou o recurso para custeio, o que teria permitido a UTI (unidade de terapia intensiva) e o centro cirúrgico funcionarem.

De modo a auxiliar novamente o hospital, o parlamentar disse que tomara a decisão, como administrador, de “cortar todos os gastos possíveis” da Câmara. O montante economizado será dividido para atender demandas específicas do hospital.

“Nós conseguimos fazer uma forma de ajudar, de contribuir com a nossa sociedade. Nós estamos garantindo aos funcionários da Santa Casa receberem o seu 13o salário”, ressaltou.

A medida é um ato autorizado pela mesa diretora, composta, ainda, por Antonio Marcos de Abreu (PR), Valdeci Antonio de Proença (Podemos) e Alexandre de Jesus Bossolan (PSDB).

Dos R$ 850 mil, R$ 600 mil serão encaminhados para o pagamento do 13º salário. A estimativa é de que os funcionários do hospital possam recebê-lo até o dia 7 de dezembro.

Na avaliação do presidente da Casa, a medida deverá impedir greve neste ano. Em 2016, os empregados do hospital cruzaram os braços por atrasos nos vencimentos e pelo não pagamento da bonificação.

“Quem vai ganhar não são somente os familiares dos trabalhadores. A população vai ganhar, porque o serviço vai continuar ininterrupto”, frisou o presidente.

De acordo com previsão do vereador, outros R$ 100 mil serão encaminhados para a compra de materiais, empenhados na manutenção de equipamentos e aquisição de insumos hospitalares, como medicamentos.

Conforme Vaz Júnior, por conta da retomada das cirurgias eletivas, a Santa Casa ficou sem recursos para adquirir remédios. “Os estoques estão baixos. Esse valor vai garantir continuidade e os pacientes vão ter o atendimento digno”, disse.

A Santa Casa terá à disposição, ainda, mais R$ 142 mil para “outras necessidades” e R$ 8.000 irão para o Banco de Sangue “Fortunato Minghini”.

Somando a devolução feita em julho deste ano, a Câmara repassará ao hospital R$ 1 milhão. A transferência deverá ser regulada por projeto de lei do Executivo. A previsão é de que a matéria seja deliberada o “mais breve possível”.

Publicidade