Rizek acelerado

3894
Publicidade

Entre diversos aspectos observados no trabalho do promotor cultural Jorge Rizek, destaca-se o constante cuidado com a atualização – o que tem se refletido claramente ao longo dos últimos 34 anos na coluna social mais acompanhada e prestigiada da cidade, assinada por ele em O Progresso.

Um dos resultados dessa virtude, naturalmente, é a credibilidade que o colunista carrega há décadas, sempre procurado e respeitado quando se trata de promoção e – claro -, posterior divulgação de eventos.

A verdade é que, em Tatuí, não há quem não goste de “sair no Rizek”! Estar presente em suas páginas semanais é algo como integrar uma grife tatuiana, prestigiada e concorrida.

No entanto, apesar disso, Rizek nunca praticou distinções de ordem social, cultural e – menos ainda – financeiras para as personagens figurarem em sua coluna. Todos têm vez!

A evidência do reconhecimento e da abrangência do colunismo social praticado por Rizek tornou-se ainda maior e mais certificada quando, há cerca de um ano, o jornal O Progresso reestruturou seu portal de notícias, tornando-o próprio ao acesso por meio de tablets e celulares.

Publicidade

A coluna de Rizek não apenas faz parte do conteúdo on-line do jornal, sendo todo disponibilizado pela internet, mas vai além e publica imagens exclusivas, assim explorando-se ao máximo o que essa plataforma pode oferecer, claro, gerando ainda mais interesse pela versão digital.

Por consequência, em pouco mais de um ano, a coluna quadruplicou suas visualizações on-line, atualmente chegando a cerca de dez mil acessos por postagem.

Em razão disto, o colunista e o próprio jornal reconheceram a pertinência de novas mudanças, de atualizações. Assim, respondendo justamente à maior característica dos conteúdos digitais – que é a rapidez -, concluíram pela necessidade de acelerar as publicações.

A solução foi simples: uma vez que o jornal circula também em meio de semana, desdobrou-se a coluna de final de semana, cuja primeira publicação semanal passou a integrar a edição de quarta-feira.

Com a mudança, ganha ainda mais dinamismo a versão on-line, que passa a ser muito mais atual e com potencial de dobrar as visualizações ao longo do mês, acessadas por oito postagens e não mais em quatro, como antes.

Assim, desde esta quarta-feira, 6, a coluna de Jorge Rizek já está presente no jornal O Progresso. “Esperamos, assim, contemplar nossos leitores com duas colunas por semana, recheadas de informações”, comentou o colunista.

Jorge Rizek atua de forma efetiva em várias áreas, entre elas, as de turismólogo por formação, produtor de eventos por aptidão e ativista social por “paixão”.

A coluna social é publicada desde 1984, trazendo as principais notícias sobre sociedade, moda, noite e “life style”. A primeira edição circulou no dia 16 de setembro daquele ano.

São 34 anos de colunismo, a serem completados em setembro de 2018, registrando as transformações sociais, de comportamentos e tendências da Capital da Música.

Durante esse tempo, com alguns intervalos ocasionais, muitas mudanças ocorreram, desde a logomarca, que no ano de 1987 foi alterada três vezes e, a partir de então, ganha um novo visual a cada ano, até o conteúdo dos textos e imagens, sempre revistos.

No ano de 1986, por exemplo, o jornal mudou de formato e começou a publicar mais fotos. No ano seguinte, passou a ser bissemanário, sendo que a coluna social permaneceu por um ano apenas às quartas-feiras. Depois, manteve-se constante no fim de semana.

Segundo o colunista explicou, no começo, o projeto era escrever o que os semanários da cidade não contavam. “Queria mostrar o outro lado da notícia, ou certos acontecimentos que não estavam nos editoriais jornalísticos”, diz ele, na revista especial publicada por O Progresso em 2014 e que resgatou os 30 anos de colunismo social de Rizek.

O colunista lembra que, no início, a coluna era publicada em um canto de página, somente com notinhas, sem fotos. “A coluna era datilografada na velha ‘Remington’, nos intervalos das festas, das intermináveis noites do Tro-lo-ló”, comenta.

Aos poucos, o espaço foi crescendo, ganhou uma página inteira e, depois, duas páginas. Também foi a primeira a ganhar cor nas páginas do jornal.

Assim como o próprio Rizek cita na apresentação do editorial da revista comemorativa, desde a primeira publicação, a coluna percorreu a linha do tempo da antiga impressão em linotipo até a digitação total. Depois, da chegada da internet à ascensão das redes sociais.

O colunista entende as mudanças como necessárias para acompanhar a evolução da tecnologia e o cotidiano dos cidadãos. “Isso vai ao encontro de deixarmos mais dinâmica as informações nesses tempos digitais”, observou Rizek.

O colunista ainda afirma ser sempre prazeroso vasculhar a cidade em busca de notícias, novidades, pesquisar letras de música, abrir o baú para procurar fotos.

“Falar do tatuiano que faz sucesso aqui ou lá fora, mostrar o outro lado da cidade e valorizar quem faz Tatuí acontecer”, ressalta.

E fazer acontecer, finalmente, é a outra maior virtude do colunista, que segue fazendo e acontecendo, dentro e fora de sua tradicional e sempre renovada coluna. Agora, ainda mais acelerada, como ele próprio.

Publicidade