Projeto informa sobre árvores e pássaros presentes na Matriz

Curso da Faesb usa tecnologia para indicar ‘natureza’ da praça

744
A intenção do projeto é permitir que as pessoas possam obter conhecimento (foto: Eduardo Domingues)
Publicidade
Siltec
Da reportagem

Os estudantes do oitavo semestre do curso de engenharia agronômica da Faesb (Faculdade de Ensino Superior Santa Bárbara) concluíram, na noite de terça-feira, 3, o trabalho desenvolvido junto à disciplina de paisagismo.

Eles instalaram, na Praça da Matriz, três banners informativos elaborados por meio do projeto de educação ambiental denominado “Árvores da Praça e Pássaros Urbanos”. A ação contou com orientação do professor mestre em meio ambiente Ivan de Maria.

O projeto de educação ambiental tem como objetivo auxiliar a população e o público em geral, que passa pelo espaço, a identificar as principais espécies arbóreas plantadas nele e os pássaros que o habitam.

As identificações são feitas com auxílio de tecnologia. A proposta apresentada pelos alunos é de aumentar a interatividade com a população, fazendo uso de “QR-Codes”, os quais direcionam a uma aba específica com mais informações sobre as plantas e aves.

No caso das árvores, através da câmera do celular e de um aplicativo leitor, a pessoa é redirecionada à aba desenvolvida pelos estudantes, apresentando uma figura ilustrativa e texto informativo sobre o nome científico e popular da planta, a origem dela e a época do ano na qual floresce.

Publicidade
Siltec

O recurso do QR-Code é possibilitado por meio de banners instalados na Praça da Matriz. O informativo das árvores contém um mapeamento numerado, evidenciando a localização e o nome, além do código tecnológico.

De acordo com o professor, a intenção do “Árvores da Praça e Pássaros Urbanos” é permitir que as pessoas possam obter conhecimento. “Quem frequenta a praça, muitas vezes, passa pelo pau-brasil e não sabe que é uma espécie ameaçada de extinção”, justifica Maria.

Conforme determinado pela grade curricular, os alunos precisam desenvolver projetos todos os semestres. Eles escolheram o tema, que teve início no mês de agosto, quando o docente levou a turma à Praça da Matriz para uma atividade extraclasse.

Os alunos foram divididos em grupos, sendo que o primeiro teve de mapear o espaço público. Os demais tiveram a missão de identificar e pesquisar sobre as árvores e as aves, criar o endereço eletrônico para abrigar as informações, desenvolver a arte do banner e cuidar do processo operacional de instalação na praça.

“O projeto foi dividido entre os estudantes para que todos participassem”, destaca o professor.

Conforme o docente, entre as espécies arbóreas da Praça da Matriz, os alunos notaram a presença de várias espécies relevantes e ameaçadas de extinção.

Entre as árvores catalogadas, estão: pau-brasil, pândano, pau-ferro, melaleuca, quaresmeira, sibipuruna, paineira, angico, falsa-seringueira, ipê-amarelo, pinheirinho, pau-mulato, ipê-branco e jabuticabeira.

Em 2016, os alunos da Faesb do oitavo semestre do curso na época fizeram um projeto semelhante na Matriz. Na oportunidade, foram instaladas 20 placas de acrílico informando sobre as árvores, contudo, poucas ainda permanecem no local.

Maria revelou que a instituição pensa em levar a experiência a outros pontos do município, destacando as plantas e a fauna urbana. “Temos um ecossistema riquíssimo em Tatuí, que, normalmente, não observamos, porém, está vivo no nosso entorno”, ressalta.

Ainda conforme o docente, outra meta é estimular a visitação junto às escolas da rede municipal, para ampliar a ação de conscientização. “As crianças são os principais agentes multiplicadores do meio ambiente. É preciso trazê-las para ensinar, mostrar e pegar na casca das árvores para senti-las. É muito importante para estimular a criança”, finalizou Maria.

Publicidade
Siltec