PM e Gaeco detêm dez suspeitos de integrar facção criminosa em Tatuí

Operação cumpre 77 mandados de busca e apreensão em todo o estado

3130
Drogas apreendidas durante ação do Gaeco no Jardim Gonzaga (foto: Divulgação PM)
Publicidade

O Ministério Público e a Secretaria da Segurança Pública realizaram, na sexta-feira, 3, uma operação para cumprimento de mandados de prisão e busca e apreensão contra integrantes da organização criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), que atuam na capital e em outras regiões do estado.

A operação, denominada “Jiboia”, teve a participação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e de unidades especializadas da Polícia Militar, como Forças Táticas, Batalhões de Ações Especiais de Polícia (Baep), Rondas Ostensiva Tobias de Aguiar (Rota) e Rondas Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam), além de equipes de canil.

De acordo com a SSP, a operação foi deflagrada com foco em sufocar as movimentações de rua das facções em cinco regiões diferentes do estado. Ao todo, foram empenhados 544 profissionais, sendo 504 PMs. Para apoio, foram utilizadas 121 viaturas, além de 11 cães e 3 helicópteros Águia.

Conforme o tenente Júlio César da Costa, comandante da Força Tática de Itapetininga (SP), que acompanhou a operação em Tatuí, somente na cidade, aproximadamente, cem policiais atuaram na ação, com mais de 30 viaturas da Rocam, Força Tática e canil. Dez pessoas acusadas de integrar a facção foram detidas.

Os policiais cumpriram nove mandados de prisão no Jardim Rosa Garcia I e II, vila Dr. Laurindo, Jardim América, Jardim Santa Rita de Cássia (2), CDHU “Conjunto Habitacional Amaro Padilha”, Tanquinho e vila Esperança.

Publicidade

Também houve um mandado de busca e apreensão no Jardim Gonzaga. Na casa do acusado, os militares apreenderam 659 pinos vazios, uma balança de precisão, uma pedra bruta de crack, papel alumínio, papel filme, 11 pinos de cocaína e R$ 120 em dinheiro, além de um caderno com anotações referentes a tráfico.

No município, a PM atuou em parceria com o Gaeco Sorocaba, que também ficou responsável pelas operações dessa cidade e de Itapetininga. Nos três municípios, a ação resultou em 14 pessoas presas. Além disso, foram apreendidos mais de R$ 800 mil em dinheiro, 147 tijolos de maconha, 5 sacos de pasta base de cocaína e 10 tijolos de cocaína.

No estado, até o último levantamento divulgado pela SSP (às 18h de sexta-feira), cerca de R$ 1 milhão em dinheiro havia sido apreendido, bem como 7 armas, mais de 50 celulares, 4 balanças de precisão, anotações relacionadas ao tráfico de drogas e 7 veículos.

Ao longo das atividades de campo, 44 pessoas foram detidas, sendo 33 por meio do cumprimento de ordens judiciais e as outras 11 em flagrante.

“Desarticulamos, inclusive, uma célula responsável pelo levantamento da rotina de agentes públicos”, explicou Mário Luiz Saturno, subprocurador-geral de Justiça de Políticas Criminais Institucionais, por meio de nota à imprensa.

Os acusados tinham como função o cadastramento de armas, o recolhimento de dinheiro para a organização, a realização de julgamentos dos tribunais do crime, além da coordenação de inteligência.

“Ações como esta mostram a força das instituições de São Paulo, trabalhando de forma mais efetiva em prol da desarticulação de facções em todo o estado”, destacou Sarrubbo, em nota.

Ao todo, foram cumpridos 77 mandados de busca e apreensão nas cidades de São Paulo, Guarujá, Bertioga, Campinas, Sorocaba, Tatuí, Itapetininga, Ribeirão Preto, Jaboticabal, Cravinhos, Matão, São José do Rio Preto, Jales, Fernandópolis, Votuporanga, Cardoso, Tanabi, Mirassol e Barretos.

Publicidade