NOTAS POLICIAIS

396
Publicidade





GCMs flagram dois serventes com papelotes na v. Angélica

Denúncia anônima ajudou a GCM (Guarda Civil Municipal) a apreender 37 papelotes de entorpecentes na vila Angélica, no final da tarde de segunda-feira, 7.

As drogas (maconha e cocaína) estariam em poder de dois serventes de pedreiro, um de 18 e outro de 19, acusados de tráfico e associação para o tráfico de drogas.

Conforme boletim de ocorrência, Felipe Almeida Siqueira e Marcos Douglas dos Santos receberam voz de prisão às 17h50. Eles estavam na rua Farid Sallum, quando uma guarnição da corporação realizou abordagem no endereço denunciado.

Publicidade

A informação repassada à GCM era de que havia, no local, dois homens comercializando drogas. Os guardas abordaram os suspeitos e encontraram com Santos cinco papelotes de maconha e com Siqueira, sete de cocaína, conforme o BO.

Também localizaram, com Santos, a quantia de R$ 10 em dinheiro. Com ajuda do cão “Marley”, pertencente ao Canil Municipal, os GCMs encontraram mais 14 papelotes de cocaína. A droga estava escondida em um terreno baldio.

Conforme os guardas, Siqueira e Santos teriam negado a posse dos entorpecentes. Durante a abordagem, eles teriam admitido serem, somente, usuários de maconha.

Após o flagrante, a equipe encaminhou os dois ao plantão policial, onde os suspeitos permaneceram aguardando transferência para uma cadeia da região.


Mãe denuncia estupro contra criança de 6 anos por vizinho

Uma autônoma de 41 anos chamou a Polícia Militar, às 16h de domingo, 6, para denunciar um vizinho. A mulher alegou que ele teria estuprado o filho dela, de seis anos, quando a criança teria saído de casa para comprar doce num bar.

O menino reside num bairro rural do município e teria contado o fato à mãe. De acordo com a autônoma, a criança teria dito que, na volta para casa, o vizinho a teria chamado para ir até uma casa abandonada, “como se fosse para brincar”.

No interior da casa, o suspeito teria “pegado a criança à força” e efetivado sexo anal. O fato teria sido presenciado por outro vizinho do menor. Depois de relatar o fato aos PMs, a mãe registrou o crime em boletim de ocorrência.


Guardas fazem operação para apreender bicicletas e skates

Guardas civis municipais realizaram, na noite de sábado, 5, operação que resultou em apreensão de bicicletas e skates no centro da cidade.

A ação ocorreu em função de reclamações de pessoas que relatavam à corporação a presença de ciclistas e skatistas “realizando manobras em praças e calçadas de ruas”.

De acordo com as queixas, os grupos estariam “danificando patrimônio público e impedindo que pessoas circulassem tranquilamente por ruas do centro”.

Em nota, a GCM destacou que eles também estariam “colocando em risco suas próprias vidas ao transitar em contramão de direção pelas ruas e demais vias da cidade”.

A operação baseou-se na lei municipal 2.107/89 (Código de Posturas), sendo coordenada pelo comandante da corporação, José Carlos Ferraz Fiuza. Segundo o responsável, ela resultou na apreensão de 15 bicicletas e 2 skates.


Ação conjunta fecha bar que estava irregular no Tanquinho

A Guarda Civil Municipal realizou, na noite de domingo, 6, ação conjunta com o Departamento Municipal de Fiscalização e Vigilância Sanitária com finalidade de vistoriar funcionamento de estabelecimentos comerciais. Por conta das fiscalizações, houve fechamento de um bar no bairro Tanquinho.

De acordo com relatório encaminhado pela GCM, o estabelecimento funcionava irregularmente. O proprietário – não identificado – não possuiria documentos que permitissem a operação, como alvará e licença de funcionamento.

Além de ter o bar fechado, o dono recebeu auto de infração por “permitir a venda de bebida alcoólica a menores de idade”. No momento da fiscalização, seis menores estariam dentro do estabelecimento consumindo bebidas.

Todos foram encaminhados ao plantão policial, sendo o proprietário e os menores liberados após registro de boletim de ocorrência. O caso contou com intervenção do Conselho Tutelar, que acionou os responsáveis pelos menores.

Ainda no domingo, guardas e os representantes da fiscalização e da Vigilância municipal fecharam outro estabelecimento comercial.

O bar funcionava no Jardim Gonzaga, tendo sido o proprietário notificado por “exceder o horário de funcionamento permitido e perturbação de sossego público”.


Publicidade