Ministério Público recomenda que Tatuí siga em quarentena

2619
Publicidade
Da redação

O Ministério Público do Estado de São Paulo recomendou que Tatuí permaneça em regime de quarentena. O documento assinado pelo promotor de Justiça Rafael Correa de Morais Aguiar foi protocolado na tarde desta sexta-feira, 27, na Promotoria de Justiça local.

A quarentena é uma medida restritiva adotada pelas principais cidades do mundo, sendo recomendada por médicos, cientistas e autoridades de saúde – inclusive, a OMS (Organização Mundial da Saúde).

De acordo com o documento, um número “razoável” de cidadãos tatuianos tem procurado representantes municipais, solicitando o término do período de quarentena e o retorno da normalidade das atividades, especialmente as comerciais.

A medida segue os decretos assinados pelo governador João Doria e pela prefeita Maria José Vieira de Camargo, determinando a quarentena no estado e no município, de 24 de março a 7 abril, visando à prevenção do contágio pelo Covid-19.

Pelo documento, o Ministério Público determina que o município adote todas as providências necessárias para “efetivar a quarentena e as restrições previstas nos decretos, devendo ser respeitado pela população mesmo que ocasionem limitações temporárias, inclusive, no âmbito profissional”.

Publicidade

Aguiar ainda solicita que as recomendações sejam encaminhadas à ACE (Associação Comercial de Tatuí) e a outras entidades similares, e ainda às lideranças de instituições religiosas do município, com a intenção de certificá-los da necessidade de continuidade e respeito à quarentena, ao menos até o prazo estabelecido.

Ainda conforme o documento, “é preciso deixar que os anseios pessoais e eventuais discordâncias de determinadas restrições em segundo plano, mantendo, em primeiro plano, a preservação da vida e da saúde da população local”.

Publicidade