‘MHPS’ é aceito no Cadastro Estadual de Museus de São Paulo

Ferramenta auxilia na qualificação e condição técnica dos museus paulistas

498
Museu Paulo Setúbal é um dos mais visitados do interior paulista (foto: AI Prefeitura)
Publicidade
Da reportagem

O Museu Histórico “Paulo Setúbal”, equipamento de cultura da prefeitura, recebeu a notificação de deferimento da adesão ao CEM (Cadastro Estadual de Museus de São Paulo) e, desde o início de março, está fazendo parte dessa rede.

A deliberação ocorreu na sessão ordinária do Cosisem (Conselho de Orientação do Sistema Estadual de Museus), dia 5, nas dependências da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do estado.

A maioria dos membros decidiu incluir o MHPS no “Cadastro Básico”, considerando que “foram atendidos os parâmetros técnicos de elegibilidade”.

A gestão do museu tatuiano explica que o CEM é uma ferramenta da política pública da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, regulamentada pela resolução SC 59, de 13 de junho de 2016, que visa a sistematizar as informações sobre as condições técnicas dos museus paulistas.

Por meio do cadastro, o Sisem (Sistema Estadual de Museus) também atua em cooperação técnica com o Ibram (Instituto Brasileiro de Museus), de forma que todas as instituições cadastradas que manifestam interesse em aderir ao registro têm as informações sobre o equipamento cultural, automaticamente, compartilhadas em todo o estado.

Publicidade

O MHPS solicitou o CEM em outubro de 2019, após o preenchimento do IQC (Instrumento de Qualificação Cadastral). Em 5 de dezembro de 2019, após a conferência do grupo técnico de coordenação do Sisem, uma visita técnica foi realizada no equipamento cultural, para a coleta de informações, visando também à geração de documentos de orientação que auxiliarão no trabalho de aprimoramento institucional.

As informações foram compiladas para análise do Conselho de Orientação do Sistema Estadual de Museus, que deu parecer favorável ao deferimento do museu no cadastro.

O gestor do MHPS e diretor do Departamento de Cultura, Rogério Vianna, observa que receber o deferimento do grupo técnico de coordenação do Sisem é de grande importância para o MHPS.

Segundo ele, a ferramenta auxilia na qualificação dos equipamentos culturais e permite que os museus paulistas tenham as mesmas condições técnicas do estado.

“Receber técnicos do Sisem e um relatório deles permite que o Museu ‘Paulo Setúbal’ continue atuando com excelência e ainda se torne um equipamento municipal cadastrado no estado e no Ibram, por meio do Cadastro Nacional de Museus”, explica o diretor.

Conforme Vianna, o deferimento no cadastro dos museus do estado também permite um mapeamento dos equipamentos culturais paulistas e fornecimento de dados à população e aos turistas, divulgando as atividades realizadas em escala estadual.

“Outro fator é receber um relatório do grupo de coordenação, para garantir a salvaguarda e melhorias no atendimento ao público, além de manter a reserva técnica do museu de forma adequada para prestar serviço a pesquisadores, estudantes e interessados em museologia”, concluiu o diretor.

Publicidade