Medalha do futebol é um ‘feito histórico’

Avaliação é do secretário Cassiano Sinisgalli que comenta participação nos Regionais

449
Seleção de futebol sub-20 comemora com a prefeita Maria José e vice Luiz Paulo título nos Regionais (foto: AI Prefeitura)
Publicidade

A medalha de ouro obtida pela equipe tatuiana de futebol, na 63ª edição dos Jogos Regionais é considerada um feito pelo secretário municipal de Cultura, Esporte, Turismo, Lazer e Juventude, Cassiano Sinisgalli. Em entrevista, o titular da pasta destacou ainda o aumento do número de atletas locais na competição e o desempenho dos representantes de Tatuí nas 21 modalidades.

O futebol rendeu à cidade o único título por modalidade. A equipe da categoria masculina sub-20 sagrou-se campeã invicta ao vencer o selecionado de Jundiaí, por 2 a 0. A disputa aconteceu no campo da “Estrada de Ferro Sorocaba”, no dia 12 deste mês, penúltimo dia da competição. Tatuí disputou os Regionais pela 8ª Região Esportiva do estado.

Neste ano, a cidade contou com delegação “um pouco menor”. Conforme Sinisgalli, a redução no número de atletas – que segundo ele não comprometeu o desempenho tatuiano – ocorreu por compromissos profissionais dos competidores.

“O que nos atrapalha, um pouco, durante os jogos, é que muitos atletas trabalham. Como no ano passado, a maioria das disputas com representantes locais foi sediada aqui, conseguimos quase todas as equipes completas”, disse.

Em compensação, em 2019, Sinisgalli explicou que houve aumento na participação do número de atletas nascidos no município. Como exemplo, ele citou a equipe de atletismo ACD (atleta com deficiência) com todos os participantes sendo originários da “Capital da Música” e que obteve 20 medalhas.

Publicidade

A própria seleção de futebol, campeã, também teve maioria dos jogadores tatuianos. Do elenco que venceu, apenas um dos atletas é de Sorocaba. “Mas ele já representava a nossa cidade em outras competições. Quando fomos vice-campeões estaduais, ele esteve conosco. E mantivemos o time”, disse o secretário.

Sinisgalli considera o título da equipe de futebol bastante significativo, por conta das mudanças registradas na competição. Até 2017, as equipes disputavam dentro da 8ª Regiões em divisões. Isso significa que os tatuianos sagraram-se os melhores de todas as cidades que participaram da modalidade.”

“Então, posso colocar que é um feito histórico. Ainda não caiu a ficha dessa molecada, o que eles fizeram por Tatuí. Sabemos que todas as modalidades são importantes, mas o futebol é a maior paixão dos brasileiros e todo mundo investe no esporte”, ressaltou.

Para o secretário, o resultado da equipe mostra que a cidade possui “uma base muito boa”. Ele destacou as escolinhas mantidas pela prefeitura como tendo papel fundamental para o desempenho do selecionado. “É um trabalho muito bem desenvolvido pelos nossos treinadores de base de futebol”.

Sinisgalli ainda ressaltou que o município saiu do evento “bem conceituado”. De acordo com ele, a cidade contou com equipes brigando em todas as modalidades.

No voleibol, Tatuí terminou na quarta posição. Em 2018, a equipe que representou a cidade sagrou-se campeã. Apesar de o resultado deste ano não ter sido o esperado, o secretário explicou que a equipe sofreu dois desfalques.

Não contou com o jogador Igor Guillen, veterano do selecionado local e que, no momento, atua profissionalmente em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. O atleta teve uma lesão. Além dele, a secretaria precisou repor outro jogador. “Não conseguimos a liberação do emprego para as quartas-de-final”, contou.

Mesmo com a equipe enxuta, Sinisgalli frisou que Tatuí conseguiu chegar longe. “Se estivéssemos com a equipe completa, acredito que brigaríamos pelo bicampeonato”, avaliou.

Conforme o secretário, o desempenho da equipe é resultado de um trabalho novo, que estamos desenvolvendo no vôlei tanto masculino quanto feminino. A seleção de meninos é comandada por Francisco de Assis Tucunduva Júnior, o Tucunduva. E a feminina, por Natalino Pedreschi Júnior, o Magoo.

A equipe de futsal também terminou em quarto, depois de perder para o Magnus, representante de Sorocaba. “Estávamos indo bem, vencendo, mas tivemos azar”, disse Sinisgalli.

O secretário também avaliou a equipe de basquete e fez projeções para os próximos anos. De acordo com ele, a equipe tatuiana é formada por atletas da sub-17 que poderão, no futuro, disputar uma competição sub-20 com chances de vitória.

“Nós fomos bem. Acredito que se conseguirmos manter essa equipe, no ano que vem, eles deverão dar ainda mais trabalho. Muito do que a gente fez com a nossa própria base. Foi o ano que nós menos investimos”, declarou.

Para Sinisgalli, o trabalho de base nas diferentes modalidades fez a diferença. Caso do judô que concluiu participação em quarto lugar, por equipes. Individualmente, o desempenho dos atletas foi melhor, segundo o secretário.

“Muitas das nossas meninas conquistaram medalhas. E elas são de Tatuí. Antes, chegamos a ter de complementar o quadro com jogadoras de fora”, relembrou.

O secretário disse estar contente com os resultados, considerando que muitos dos atletas iniciaram nas escolas de base. A prefeitura mantém projetos no futebol, judô e voleibol, entre outras modalidades. Neste ano, iniciou trabalhos com a natação ACD, cujos atletas também obtiveram medalhas.

“Ficamos muito contentes com isso. A cada ano, estamos reduzindo a quantidade de atletas de outras cidades nas nossas equipes e competindo mais com a nossa base. Atingimos um resultado que é real”, comemorou o secretário.

De acordo com ele, ainda que menor, há presença de atletas vindos de outros municípios nas equipes que representam Tatuí. Na maioria dos casos, são pessoas que se dispõem a competir gratuitamente, sem contratação.

Para o secretário, tanto os resultados de Tatuí como o crescimento da participação de atletas do município são reflexos do fortalecimento do esporte. Sinisgalli ressaltou que Tatuí ainda não possui a mesma estrutura de cidades como Sorocaba e Jundiaí. Entretanto, disse que ela está fazendo a lição de casa.

“As cidades que ficaram na nossa frente, tirando Itapetininga que considero do mesmo nível, são quase imbatíveis. Têm estrutura de outro nível há anos. Nós estamos fazendo um trabalho de pouco tempo, mas nos fortalecendo”, disse.

As ações de incentivo incluíram, conforme o secretário, o suporte no alojamento e a melhoria na alimentação. Sinisgalli contou que esteve nos alojamentos das equipes e que verificou pessoalmente que a alimentação “era de primeira”.

O município enviou para Sorocaba 270 atletas, que receberam lanches e transporte entre os alojamentos e os locais de competição. A delegação viajou sob o comando do diretor Osvaldo Luís Peixoto, o Keka. Ele contou com apoio de Luís Antonio e de Jenner Jesus de Almeida Tavares, o Jeninho, além de toda equipe do DME (Departamento Municipal de Esportes).

Segundo o secretário, os dirigentes não registraram nenhuma reclamação sobre acomodação, transporte e alimentação. Sinisgalli disse que a delegação também não contabilizou caso algum de problema de indisciplina. “Foi algo de união, que é uma coisa que nós valorizamos”, concluiu.

Publicidade