Infraestrutura projeta concluir três obras de galerias pluviais este mês

208
Publicidade





AC Prefeitura / Evandro Ananias

Tubulações estão sendo implantadas em três pontos da cidade para escoar águas e evitar alagamentos

 

Três obras deverão ser concluídas pela Prefeitura até a metade de dezembro. Este é o cronograma divulgado pelo secretário municipal da Infraestrutura, Meio Ambiente e Agricultura, José Roberto do Amaral, nesta semana.

De acordo com ele, o cronograma só deve ser alterado caso o volume de chuvas aumente nos próximos dias. As galerias pluviais estão em execução nas ruas Alberto dos Santos, Antonio Henrique da Silva, Coronel Lúcio Seabra e Santo Bertin.

Publicidade

Nesta última, houve a conclusão da instalação da tubulação de água pluvial. “Temos de fazer, agora, a parte do fechamento e, depois, o asfaltamento”, afirmou.

A galeria da Santo Bertin atenderá ao fluxo de água da rua 7 de Setembro, desembocando no ribeirão do Manduca. As demais estão situadas em diferentes pontos da cidade. “São ruas pré-determinadas, que ficam em bairros com tendência de alagamento”, argumentou.

De acordo com o secretário, as obras visam minimizar os problemas de represamento das águas das chuvas recorrentes no município. Entre eles, Amaral citou a galeria na rua Santo Bertin. Conforme ele, a obra terá “influência em toda a vila Dr. Laurindo”. “Ela já teve problema de drenagem”.

Em janeiro deste ano, as chuvas inundaram o prédio que era utilizado pela Saúde Mental e a área na qual ficavam estacionados os veículos da frota municipal.

Além de melhorar a drenagem do bairro, o secretário disse que a galeria vai “desafogar” a rede coletora que está situada perto da rodoviária municipal.

Amaral afirmou que as galerias estão sendo construídas com tubulações de diâmetros variados. “Começa com mil milímetros e vem reduzindo para 600”, contou.

O Executivo fez o dimensionamento das tubulações com base em projeto de drenagem, envolvendo cálculo de vazão. O mesmo estudo vem sendo atualizado junto com o cronograma das obras. Amaral prevê que a etapa de instalação de pelo menos duas das três galerias esteja concluída até o final do ano.

O prazo pode não se cumprir no trecho da rua Coronel Lúcio Seabra. Lá, o secretário afirmou que há um “problema mais acentuado devido a interferências”. Conforme ele, a rua possui galerias antigas em determinados trechos, que dificultam a instalação da nova tubulação de águas pluviais.

Também existem as “interferências” da rede de água, esgoto, telefonia e gás natural. Como a implantação das galerias tem de ser feita “de baixo para cima”, por conta dos encaixes, o trabalho torna-se mais demorado, uma vez que as demais redes existentes não contam com projeto de traçado definido.

“Então, quando ‘abrimos’ um determinado lugar, encontramos as redes instaladas de uma determinada forma. Trinta metros dali, já muda. Como as redes são antigas, não têm uma direção, não estão alinhadas. Aí, existem problemas”, disse.

Amaral informou que o prazo da conclusão das obras se mantém caso as chuvas não aumentem. O secretário disse que as precipitações são “fator predominante” para que as galerias sejam terminadas – pelo menos a etapa de instalação – até dezembro.

As estimativas são de encerrar a fase de implantação até o início deste mês. Na rua Coronel Lúcio Seabra, a Prefeitura estendeu o prazo para “o meio de dezembro”.

No entanto, o secretário disse que, caso as chuvas “castiguem” o município, a conclusão das obras poderá ser adiada para o começo do ano que vem. Desta forma, a Prefeitura manteria os trechos parcialmente interditados.

Além de ganhar galeria, os trechos serão asfaltados e terão novas guias e sarjetas. As obras estão a cargo da Atrio Engenharia e Representações, vencedora de licitação.

Já no Jardim Bela Vista, a Prefeitura iniciou na quarta-feira, 27 de novembro, a primeira etapa das obras de infraestrutura no bairro. As máquinas começaram o trabalho de preparação de solo e de compactação do leito.

A fase inicial prevê melhorias em três ruas: Professora Eny Vanni de Campos, Bento Roberto Fornazari e João Alberto Pires de Campos, com total de 1.163 metros lineares de pavimento.

O projeto prevê, ainda, implantação de galerias para escoamento de águas de chuva, de guias, sarjetas e calçada, além de sinalização horizontal e vertical.

Serão 10.890,70 metros quadrados de asfalto, 4.045,39 metros quadrados de calçada e mais 2.333,56 metros lineares de guias e sarjetas.

O investimento total passa de R$ 1,2 milhão, sendo R$ 840.228,66 do governo federal com contrapartida de R$ 400 mil liberados dos cobres do município.

Em nota enviada à imprensa, o prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, informa que a etapa inicial prioriza o chamado “corredor de ônibus” no bairro. De acordo com ele, o asfaltamento facilitará o acesso ao transporte público, permitindo “maior segurança e conforto para os moradores do bairro contemplado”.

Também por meio do setor de comunicação, Manu pediu “paciência e compreensão à população”. Ele informou que “outras ruas do mesmo bairro também deverão ser contempladas” por conta dos R$ 18,7 milhões liberados pelo governo federal, via PAC II (Programa de Aceleração do Crescimento).

“Graças ao apoio da Câmara Municipal, em especial do presidente Oswaldo Laranjeira Filho, estamos dando a largada, iniciando o primeiro passo para atender uma demanda há muito tempo sonhada, cobrada, exigida pela população do Bela Vista”, afirmou o prefeito.

“Acompanhei de perto essa luta, como vereador. Agora, será a vez de resolver esse problema de maneira definitiva, de uma vez por todas, e levar dignidade aos moradores do bairro”, declarou o prefeito.

O secretário da Infraestrutura explicou que as obras no Bela Vista servirão como “preparo para um futuro asfaltamento completo do bairro”. “Numa próxima oportunidade, com captação de recursos, vamos ver se conseguimos”, encerrou.


Publicidade