Inaugurada a nova escola do ‘Santa Emília’

    Mais três creches serão abertas até o 1º trimestre de 2020; Inocoop abre neste sábado

    331
    Autoridades e familiares da homenageada descerram placa inaugural; investimento na obra é de cerca de R$ 1,6 milhão (foto: Eduardo Domingues)
    Publicidade
    Siltec
    Da reportagem

    A prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação, realizou no sábado, 30 de novembro, a cerimônia de inauguração da Escola Municipal de Educação Infantil “Professora Luci Santos de Campos Camargo”, no Jardim Santa Emília.

    A solenidade de entrega da unidade começou às 10h, com participação da prefeita Maria José Vieira de Camargo, do vice-prefeito Luiz Paulo Ribeiro da Silva, do ex-prefeito e secretário parlamentar Luiz Gonzaga Vieira de Camargo, vereadores, secretários, diretores municipais, servidores da rede de ensino e familiares da homenageada.

    No prédio, com área construída de 813,46 metros quadrados e 2.302,46 metros quadrados de área total, serão atendidas crianças do berçário I (quatro meses a um ano), berçário II (um a dois anos), maternal I (dois a três anos), maternal II (três anos) e pré-escola (quatro e cinco anos).

    A O Progresso, o secretário municipal da Educação, Miguel Lopes Cardoso Junior, informou que, com a nova unidade, serão ofertadas 136 novas vagas, sendo 48 destinadas a crianças de quatro meses a três anos de idade.

    Conforme Cardoso, as aulas da unidade devem começar no primeiro semestre letivo de 2020. Cerca de 30 servidores municipais trabalharão na unidade escolar. O investimento na obra é de cerca de R$ 1,6 milhão.

    Publicidade
    Siltec

    “É uma creche arejada, com mobília nova, brinquedos pedagógicos, livros pedagógicos com conteúdo direcionado à faixa etária. Enfim, pensamos em todos os detalhes para fazer tudo bonito e de qualidade para atender às nossas crianças”, enfatizou o secretário.

    A cerimônia foi aberta com a leitura da biografia da professora Luci Santos de Campos Camargo, que deu nome à nova instituição de ensino. Em seguida, a prefeita entregou um vaso de orquídeas à neta da homenageada, Giovana Campos.

    Cardoso abriu os discursos agradecendo às pessoas presentes e ressaltando alguns dos serviços realizados pela Secretaria Municipal, em parceria com a prefeitura, na rede de ensino.

    “Temos feito reuniões nos bairros para apresentar nossa secretaria à comunidade, e tem sido muito produtivo. Com a participação dos pais, mostramos um pouco do que tem sido feito, da preocupação da prefeita no cuidado com as crianças, e às pessoas que participam têm se surpreendido com o resultado”, mencionou o secretário.

    Ele elencou algumas das melhorias realizadas durante este ano na rede municipal, destacando a entrega dos uniformes, dos materiais didáticos e a instalação de câmeras de segurança nas unidades.

    “Dificilmente você vê uma rede de ensino – pelo menos no nosso entorno – entregar uniformes como foi feito, com um material de excelente qualidade. Além das câmeras de monitoramento nas escolas, pois nós temos até escolas particulares que ainda não contam com este recurso”, salientou Cardoso.

    Ainda na área de segurança, o secretário anunciou que uma nova tecnologia com reconhecimento facial deve ser instalada nas escolas. Segundo ele, a pedido da prefeita, estão sendo realizados estudos para que o recurso possa ser implantado nas unidades municipais até 2020.

    “Com essa tecnologia, as crianças entrarão na escola, passarão pelo reconhecimento facial e os pais receberão uma mensagem por meio de um aplicativo, que pode ser instalado no celular, indicando que o aluno entrou na unidade”, explicou Cardoso.

    A O Progresso, o secretário ainda revelou que uma unidade escolar deve receber a tecnologia já nos primeiros meses de 2020 em modo piloto. De acordo com ele, uma sala da Emef “Eugênio Santos” está sendo adaptada para a implantação e os alunos já estão sendo cadastrados no sistema.

    O presidente da Câmara Municipal, Antônio Marcos de Abreu (PL) – autor da lei que denominou a unidade de Emei “Professora Luci Santos de Campos Camargo” – foi o segundo a falar e aproveitou a oportunidade para justificar a homenagem.

    “Eu a conheci quando ainda era criança. Ela tinha uma dedicação muito especial com os pequenos e tratava a todos com muito carinho, amor e dedicação. Como professora, também foi uma das melhores que já conheci. Era uma pessoa honesta, muito religiosa e que entregava todo amor à profissão”, declarou Abreu.

    Na sequência, o vice-prefeito apontou algumas das obras já entregues no bairro e afirmou que, além da nova escola, outras inaugurações ainda devem acontecer na região do Jardim Santa Emília.

    “Essa área foi muito privilegiada na gestão da prefeita Maria José. A marginal do Manduca está totalmente restaurada, a subida da rua Benedito Faustino da Rosa também foi feita e duas praças contemplam o bairro. Uma em forma de talude, que está pronta, e a outra que, com certeza, será a mais bonita da cidade”, asseverou Luiz Paulo.

    Conforme o vice-prefeito, a praça Mario Coscia, no Jardim Wanderley, está sendo revitalizada, na qual estão previstos a implantação de um lago com espelho d’água, pista de caminhada e paisagismo.

    A prefeita encerrou os discursos frisando que a unidade foi entregue com estrutura pedagógica “completa”, livros, brinquedos e carteiras novas, “para um aprendizado de excelência” aos alunos da rede de ensino.

    Ela também lembrou a homenageada, acentuando que, na juventude, estudara com Luci para o concurso do magistério, no qual também se tornou professora, e, por fim, agradeceu aos familiares da patrona da escola.

    “Homenagens como esta nos trazem à memória um pouco deste trabalho e desta missão que é educar. Não desprezando os homens, a mulher tem um dom a mais, como foi dona Luci, que cuidou da família, dos alunos e ainda dividiu seu tempo no ensino na catequese. É um exemplo para os que com ela conviveram e guardam no coração a saudade da sua presença”, finalizou a prefeita.

    A O Progresso, a prefeita acentuou que, como professora por formação, procura “prezar pela qualidade do ensino” e reforçou que a unidade fora planejada para ter um ambiente amplo, ventilado e preparado para receber os alunos com conforto.

    “Um ambiente como este que estamos entregando hoje estimula as crianças a estarem no ambiente escolar e aos próprios professores, que têm infraestrutura física e pedagógica preparada para oferecer ensino de qualidade”, frisou Maria José.

    Ela também reiterou que, nos próximos meses, vai ampliar o número de vagas ofertadas em creches, principalmente para o público infantil de zero a três anos, por comporem a principal demanda.

    A escola de ensino infantil no bairro Inocoop (Conjunto Habitacional “Amaro Padilha”) também está programa para ser inaugurada neste ano. Conforme anunciado pela prefeita, a cerimônia está agendada para o sábado, 7, às 10h.

    A obra se aproxima de R$ 900 mil, em um prédio com 450 metros quadrados, projetado para atender, no mínimo, 120 crianças. A creche está sendo construída ao lado da pré-escola que já atende alunos de quatro e cinco anos desde 2017.

    A prefeita reforçou que uma das metas na Educação, até 2020, é zerar a lista de espera por vagas em creche, lembrando que outras unidades escolares estão em construção para atender à demanda.

    Segundo a prefeita, até dezembro, seria inaugurada a creche do bairro Santa Cruz, contudo, nesta semana, ela divulgou, em nota, que a obra deve ser entregue no primeiro trimestre de 2020. O investimento é de R$ 1.231.435,21. A construção tem 890 metros quadrados, devendo gerar outras 120 vagas.

    A prefeitura retomou as obras da creche do bairro em agosto deste ano, após passar por novo processo de licitação. A primeira empreiteira que realizava a obra atrasou o cronograma de construção e houve rompimento do contrato.

    Na sequência, a previsão é de conclusão da creche do Residencial Astória, que também funcionará como pré-escola e escola municipal, para atender às crianças do bairro e adjacências, em investimento de R$ 2,1 milhões.

    A obra substituirá o prédio chamado “Escola de Lata” por um de alvenaria. Com a nova unidade, a secretaria poderá começar a atender desde a creche até o aluno do quinto ano do ensino fundamental.

    Também para 2020, há previsão de conclusão de uma pré-escola para atender mais de 350 alunos, de zero a cinco anos, no loteamento Residencial Vida Nova Tatuí, o bairro Pacaembu. A unidade escolar começou a ser construída em fevereiro e contará com 1.462 metros quadrados.

    Ainda de acordo com Cardoso, com a construção das quatro escolas, serão ampliadas em pelo menos 600 as vagas para o ensino infantil, que, somadas às 350 na nova escola do bairro Tanquinho, totalizarão 950 novas matrículas para o próximo semestre letivo.

    Homenageada

    Luci Santos de Campos Camargo nasceu em Tatuí no dia 10 de dezembro de 1942, filha do barbeiro Benedito Antunes (Dito Tatu) e da costureira Maria José Antunes. Iniciou os estudos no Instituto de Educação Estadual “Barão de Suruí”, onde fez magistério, tornando-se professora primária.

    Com 17 anos, passou no concurso da então nova escola do Sesi-SP, onde lecionou em conjunto com escolas rurais, alfabetizando centenas de crianças, dando aula na primeira série do ensino infantil e na alfabetização de adultos.

    Casou-se com Paulo de Campos Camargo, com o qual teve três filhos: Paulo Sérgio, Afonso e Marcos Rogério. Diplomou-se pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Itapetininga (SP), em pedagogia e letras.  Também concluiu um curso de administração escolar e, com o marido, participou de atividades do Lions Club de Tatuí.

    Passou o ocupar a pasta de língua portuguesa na escola do Sesi, onde permaneceu até a aposentadoria. Recebeu vários prêmios como coordenadora em atividades extraclasse, como o Festival Estudantil de Teatro Amador, junto à Banda Rítmica do Primário do Sesi e em concursos literários.

    Conforme ressaltado durante a homenagem, a carreira de Luci é marcada pelo “grande incentivo que ela dava à leitura, a todas as idades e todas as classes sociais”. Ela também se dedicou à catequese na então comunidade Sagrada Família de Tatuí, onde passava ensinamentos bíblicos, “atividade que era exercida com muito apreço, carinho e amor”.

    Faleceu em Tatuí no dia 24 de agosto de 1999, “levando consigo o prazer de ter ajudado muitos alunos a alcançar os seus objetivos e também o de ter sido uma filha, esposa, mãe e avó dedicada”.

    Publicidade
    Siltec

    DEIXE UMA RESPOSTA

    entre com sua mensagem
    entre com seu nome