Idosa falece após 5 dias internada por agressões sofridas do marido

Casos aconteceu na quarta e morte foi confirmada nesta segunda

881
Publicidade
Da redação

Adelaide Selma Paulina Remde Satel, de 72 anos, faleceu na manhã de segunda-feira, 29, após ficar cinco dias internada, em estado grave, no Pronto-Socorro Municipal “Erasmo Peixoto”.

Conforme o boletim de ocorrência registrado sobre o caso, a idosa foi agredida pelo marido, um motorista de 57 anos, na tarde de quarta-feira, 24, na residência deles, na rua Juvenal de Campos, no Jardim Santa Cruz.

De acordo com o BO, registrado pela Polícia Militar na tarde de quarta-feira, por volta das 17h, uma equipe foi acionada, via rádio, para atender a uma ocorrência de desentendimento entre casal. No local, uma equipe do Corpo de Bombeiros socorria a idosa, que estava consciente, caída nos fundos da casa.

Conforme o boletim, um casal de vizinhos, um comerciante de 35 anos e uma vendedora de 39 anos, acionaram a PM, informando terem escutado gritos de uma mulher. Algumas enfermeiras, de um posto de saúde próximo, também estiveram no local para verificar os gritos de socorro.

Segundo o boletim, ao perguntar o que estava acontecendo na residência, o casal foi agredido pelo motorista, que estaria “descompensado”. Posteriormente, o marido da idosa ainda depredou um carro cinza, da marca Fiat, modelo Uno Way, e uma moto preta, da marca Honda, modelo Elite 125, pertencentes ao casal de vizinhos.

Publicidade

Conforme a PM, quando os agentes chegaram, o motorista estava dentro da residência. Aos policiais, ele alegou que a esposa tinha depressão e tomava medicamentos.

O marido afirmou ter dito à esposa que “queria ficar na dele” e, posteriormente, visto que ela havia “se atirado” de uma janela do quarto do pavimento superior da residência.

Na sequência, segundo o BO, as vítimas e o motorista foram levados à unidade de saúde para exames de corpo de delito. A idosa foi internada, em estado grave, na Santa Casa de Misericórdia, com fratura exposta em um dos braços e traumatismo craniano.

O delegado decidiu deter o motorista e colocá-lo à disposição da Justiça para prestar mais esclarecimentos e responder criminalmente pelos atos, registrando boletim de ocorrência de tentativa de homicídio qualificado, lesão corporal e vias de fato. Após a morte da idosa, o documento foi alterado para homicídio qualificado.

A reportagem de O Progresso entrou em contato com a Delegacia Central, sendo informada de que o motorista permaneceu detido no local e, na manhã do dia seguinte, foi encaminhado a Itapetininga. Na cidade vizinha, o marido da idosa passou por exame do IML (Instituto Médico Legal) e por audiência de custódia, sendo determinado que fosse solto.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome