Festival com carnes exóticas expõe ‘audaciosa’ inovação no Ópera Mix

Carnes de caça são atração em cardápio assinado pelo chef Augusto Piras

2776
Publicidade

Na noite de quarta-feira, 14, o Ópera Mix promoveu mais um festival gastronômico a seus clientes. O evento, intitulado “Carnes Exóticas de Caça: Menu Especial”, levou ao cardápio a proposta de surpreender com sabores específicos e pouco comuns.

Os proprietários do Ópera Mix, Gláucio e Liza De Marchi, proporcionaram uma noite especial, com todo o requinte e sofisticação culinária em um menu assinado pelo chef italiano Augusto Piras.

Nascido na região italiana da Sardenha, residindo no Brasil desde 2000 e com mais de 30 anos dedicados à gastronomia, Piras é considerado um dos chefs mais respeitados do mundo.

O hábito de consumir carnes de caça é extremamente popular na Europa e América do Norte, lembra o chef. Elas são saudáveis, nutritivas e têm conquistado cada vez mais espaço na gastronomia brasileira.

Sempre atento às novas tendências, com o tema do festival, o Ópera Mix cuidou de proporcionar mais uma oportunidade exclusiva para Tatuí e região, como só se encontra em grandes centros.

Publicidade

O “Carnes Exóticas de Caça” apresentou menu exclusivo, desenvolvido com peças de caça, evidenciando a essência rústica dos cortes e proporcionando combinações e complementos que enriquecem os sabores.

O menu em cinco tempos foi aberto com rocambole de galinha d’angola e cogumelos frescos na massa fillo crocante. Após o aperitivo, seguiu-se a entrada: brusqueta de polenta italiana grelhada com cozido de javali em agridoce.

Chapeis de massa caseira recheados de coelho ao seu próprio molho, com toque de funcho, antecederam ao prato principal: codorna recheada com pupunha e linguiça de lombo com redução de jabuticaba e batata recheada ao pecorino. Como sobremesa, foi servido pão de ló recheado aos três sorvetes merengado com calda de vinho moscato.

Embora considerados exóticos, os sabores intensos e marcantes de cortes especiais estão cada vez mais frequentes nos cardápios dos restaurantes autorais do país.

O menu produzido pelo chef apresentou carnes como a de javali, extremamente magra e tenra, com baixo teor de gordura e colesterol. Outra carne apreciada foi a de coelho: branca, saborosa, macia e com baixo teor de colesterol. “A carne de coelho é extremamente saudável, muito melhor do que o frango”, observou Piras.

O chef destaca que os cuidados para a preparação das carnes são iniciados desde o nascimento dos animais. No caso da galinha d’angola, ela tem de crescer solta e alimentando-se naturalmente, com ervas e sementes. A carne é delicada e um pouco mais escura que a de frango.

“A galinha d’angola deste festival é tatuiana. É uma galinha caipira, bem da roça, e que veio de uma fazenda do município”, informou Gláucio.

No caso da codorna, há um cuidado com a limpeza para colocar o recheio interno. Posteriormente, a carne é levada à grelha e, depois, ao forno.

“Cada item tem um processo. O chef começou a preparar o festival na quinta-feira (dia 8). Foram exatamente sete dias preparando esse jantar”, comentou Gláucio.

O festival evidencia a proposta “audaciosa” que o Ópera Mix tem seguido. Gláucio revela que o restaurante extrapolou o estágio de preparar comidas somente voltadas a temas da gastronomia internacional, principalmente de países.

De acordo com o proprietário do Ópera Mix, a intenção é explorar temas específicos, com diversos ingredientes e produtos que podem oferecer pratos variados.

Gláucio ressalta que Piras é um chef que, a partir do conhecimento de como os pratos são preparados no exterior, reinventa-os, idealizando a “gastronomia raiz”.

“O Ópera Mix está propondo pratos difíceis ao chef. E ele prepara os produtos de maneira original, não fazendo pratos similares”, acentuou. “Se é para fazer, tem de fazer bem feito”, completou Piras.

O empresário reforça que as novas experiências do Ópera Mix passam pela confiança em Piras. Segundo Gláucio, o menu com carnes de caça mostra a competência do chef e faz com que o restaurante busque ingredientes à altura.

“A audácia é quando você, realmente, tem condição de entender a sua capacidade. Estou muito seguro com o chef, porque ele não é qualquer um”, garantiu Gláucio.

Os festivais produzidos pelo restaurante “contam histórias”. Os eventos são iniciados com pratos mais leves, preparando os clientes para sabores mais acentuados.

“É uma história que tem um começo, meio e fim. Cada prato te prepara ao próximo, sempre crescendo, até chegar ao ápice”, salienta a equipe do Ópera Mix.

A próxima oportunidade de uma nova história no Ópera Mix vai acontecer no início do mês de outubro, no dia 09, com o festival “Quatro Vezes Bacalhau”, evidenciando quatro texturas diferentes da iguaria.

“Em todos os pratos, teremos bacalhau, preparado com processos diferentes, combinações, temperos e métodos de produção”, afirma Gláucio.

Realizando festivais com o chef há quase um ano, o empresário conta que a tendência é o Ópera Mix explorar novos ingredientes e trazer mais opções. “Há uma nova tendência, e as pessoas querem comer algo diferente. Por isso, elas vêm ao Ópera Mix, para se surpreenderem”, finaliza Gláucio.


Ópera Mix
Rua 13 de Fevereiro, 240 – Tatuí
F: 3305-3000 / 98165-3000
operamix.com.br
@opera.mix

Publicidade