Faesb realiza décima cerimônia de colação

Universidade forma 109 estudantes em administração, agronomia e ciências contábeis

226
Mais de cem alunos são graduados em três cursos da Faesb (foto: Lance Produções)
Publicidade
Da reportagem

A Faesb (Faculdade de Ensino Superior Santa Bárbara) de Tatuí realizou, neste dia 5, a colação de grau dos formandos 2020 dos cursos de administração, ciências contábeis e engenharia agronômica.

A cerimônia somou 109 estudantes formados, divididos entre os três cursos de graduação. O evento aconteceu na Associação Atlética 11 de Agosto, com a presença de familiares e amigos, além de professores, coordenadores e da direção da instituição de ensino.

De acordo com o diretor da unidade, professor Antonio David Julian, o momento foi de grande importância para os alunos e para a faculdade. “Este é um dos momentos mais lindos na academia. Aqui, nós vemos os jovens saindo para o mercado de trabalho, e sabemos que isso é fruto do nosso trabalho”, salientou.

O diretor enfatizou que a Faesb conta com laboratórios completos, além de parcerias para visitas técnicas e aulas “in loco”. Ainda destacou que a instituição trabalha seguindo os parâmetros do Ministério da Educação e dos conselhos de classe.

“É preciso observar as atribuições que cada conselho vai dar para os profissionais. Estar atento a isso é garantir a formação de profissionais aptos para atuar na sociedade e dar o melhor de si. A cada ano, é maior a quantidade de formandos, e isso mostra que nosso trabalho está dando certo”, observou Julian.

Publicidade

Esta foi a décima formatura realizada pela instituição. A Faesb começou com três cursos e, atualmente, tem seis consolidados. São cerca de 800 estudantes matriculados nas graduações em administração, ciências contábeis, engenharia agronômica, direito, enfermagem e o mais novo: psicologia.

O MEC (Ministério da Educação) publicou em outubro do ano passado a portaria 465/2019, que autoriza o funcionamento desse curso de bacharelado na unidade de ensino.

O coordenador do curso de agronomia, professor Gustavo Castilho Beruski – que participou da primeira formatura como coordenador –, também falou da satisfação de formar estudantes para o mercado de trabalho.

“É uma festividade muito grande para os alunos, já que muitos são de outras cidades, trabalham durante o dia e enfrentam uma séria de desafios para estar aqui. É um momento de coroar todo o esforço que eles tiveram durante os cinco anos de curso e sempre um prazer poder participar de um evento como este”, declarou o professor.

Falando sobre o curso de graduação e a taxa de empregabilidade da área, Beruski sustentou que o mercado agrícola no Brasil – e também na região de Tatuí – é muito aquecido e assegurou que grande parte dos alunos formados consegue vaga após a graduação.

“A gente consegue perceber que o PIB do agronegócio é grande, algo que suporta a economia nacional durante os últimos três anos, e, por isso, nossos alunos, assim que saem do curso – posso dizer que mais de 50% – já estão inseridos na área agronômica. Isso é muito bom para a faculdade e para os alunos, é claro.”, garantiu o coordenador.

Já o coordenador dos cursos de administração e ciências contábeis, Odair de Almeida Ferreira, afirmou que as duas áreas são as mais procuradas na instituição. Ele lembra que os dois cursos foram os primeiros, abertos em 2008.

“A gente observa que o mercado de trabalho, tanto para o administrador quanto para o contador, sempre esteve aquecido, sendo mercados que mais empregam também. Toda a sociedade é formada por organizações, privadas ou sem fins lucrativos, mas precisa ter ali colaboradores, gestores, pessoas técnicas nestas áreas”, apontou Ferreira.

A diretora acadêmica Carla Alessandra Barreto afirmou que a capacitação dos docentes é uma das preocupações da instituição que, neste ano, está investindo em cursos de formação continuada.

Segundo ela, ao longo do ano, todos os professores passarão por formação. A atividade será realizada mensalmente para que, a partir do ano que vem, a Faesb possa iniciar um trabalho com projetos integradores dentro da metodologia ativa.

A iniciativa é uma espécie de workshop que coloca o estudante como participante do processo de aprendizagem e possibilita que ele correlacione a teoria estudada com a vivência no ambiente de trabalho.

“Diversas universidades públicas e privadas também de grande porte têm trabalho com projetos nesta modalidade. A gente entende que, com o perfil de alunado que temos hoje em dia, fica mais fácil de atingi-los e ainda conseguir garantir diferencial na nossa qualidade de ensino”, concluiu.

Publicidade