Envelhecimento é temática de cinco dias

323
Publicidade
Siltec





AC Prefeitura / Evandro Ananias

Coordenadora, primeira-dama de Tatuí, prefeito, palestrante e vice-presidente do asilo integraram mesa

 

Maria Alice Ribeiro Marques tem 72 anos e uma rotina que a mantém disposta. Nos últimos cinco anos, começou a fazer ginástica, alongamento, caminhada e outras tarefas que ajudam a manter a saúde do corpo e da mente.

As atividades fazem parte do “Melhor Idade”, desenvolvido pelo Fundo Social de Solidariedade no Parque Ecológico Municipal “Maria Tuca”. O projeto atende, atualmente, 180 idosos, que participam de eventos “extras” em ambientes externos.

Publicidade
Siltec

Parte deles, como Maria Alice, acompanhou a solenidade de abertura do primeiro “Seminário de Gerontologia”. O evento teve início na manhã de segunda-feira, 14, no teatro do Centro Cultural Municipal.

A iniciativa aborda, até sexta-feira, 18, o tema “Ações Afirmativas de Atenção ao Envelhecimento” e propõe “pausa de uma semana” para reflexões sobre a velhice.

Realizado pelo Fundo Social, ele é apontado como inovador pela presidente da entidade e primeira-dama do município, Ana Paula Cury Fiuza Coelho.

“Sabemos que a população está envelhecendo. Então, temos de dar suporte a ela, por meio dessa série de palestras que trazem assuntos relacionados ao tema”, afirmou.

No total, cinco explanações estão programadas para o seminário, sendo uma por dia. Na segunda, após a abertura, a gerontóloga Marilia Silva de Albuquerque abordou o tema “Memória: Uma Conversa Sobre Nossa História ou Estórias Inventadas?”.

Ontem, terça-feira, 15, Mayara Cristina Coronado, graduanda em gerontologia, falou sobre “Espiritualidade e Qualidade de Vida”.

“Esses profissionais conversam com as pessoas da terceira idade e com o pessoal que trabalha com esse público”, explicou Ana Paula. Ela afirmou que o evento é aberto à comunidade e importante “para os idosos conhecerem suas limitações e como eles podem vencê-las”.

Conforme ela, as orientações vão ajudar os idosos a viver com qualidade. “Aqui, estamos falando do trato da família, do envolvimento com os parentes e dos exercícios físicos. São ‘n’ atividades que podem ser feitas para que as pessoas da melhor idade tenham condição melhor de vida”, adicionou.

A primeira-dama destacou que, no município, há diversos mecanismos de apoio à população idosa. Entre eles, o “Melhor Idade” e os espaços como a “Praça do Idoso”, na vila Dr. Laurindo, e, no ano que vem, as “academias ao ar livre”.

Maria Alice faz uso de todos os dispositivos atualmente existentes em Tatuí e disse que eles a ajudaram a mudar de vida. “Melhorou muito minha autoestima. Você, tendo uma ocupação, não envelhece muito rápido”, comentou.

Colega dela, Maria de Lourdes, de 77 anos, também se beneficia das políticas públicas. Frequentadora do Melhor Idade desde 2007, ela disse que sente falta das atividades físicas quando não consegue ir ao “Maria Tuca”. “É muito bom para os braços, para as pernas e para a cabeça”, comentou.

As atividades são supervisionadas por professores de educação física, como Rosa Maria de Souza, responsável por coordenar o grupo que participou da abertura do seminário. “Eles desenvolvem um trabalho que vem de uma sequência”, disse ela.

No parque ecológico, os 180 idosos realizam atividades físicas, fazem fisioterapia e trabalhos manuais. Também recebem acompanhamentos de médicos e auxiliares de enfermagem.

Eles participam, ainda, de atividades “extras”, como aulas de coral e de informática, além de eventos externos, com apresentações.

Os trabalhos são desenvolvidos com base no grau de condicionamento físico dos idosos. “Trabalhamos com movimentos que são apropriados para a idade deles”, contou Rosa.

“Vamos puxando mais quando eles adquirem mais força, mas os que são mais debilitados fazem exercícios mais leves”, adicionou.

A professora de educação física destacou que, além das atividades, os idosos sempre recebem orientações. Para ela, o seminário teve “peso importantíssimo”.

“Em primeiro lugar, eles conhecem as limitações deles; em segundo, sabem que podem superá-las e que podem se desenvolver mais”, argumentou.

Durante a semana, os participantes do Melhor Idade receberão informações que poderão auxiliá-los a conviver com a velhice. “Eles vão sair daqui bem mais entusiasmados, mais do que eles já são”, afirmou a professora.

Hoje, quarta-feira, 16, o seminário traz como tema “As Universidades Abertas à Terceira Idade”, a cargo da gerontóloga Thaís Helena da Silva.

Amanhã, será a vez de debate apresentado pela gerontóloga Mariana Almeida, que falará sobre “Capacitação: Ações Afirmativas de Atenção ao Envelhecimento”.

Na sexta, o assunto “Capacitação com Maior Cuidado (Prevenção de Quedas) e a Segurança Viária para Idosos (Prevenção de Atropelamentos) da Fundação Mapfre” será discutido pela gerontóloga Sandra Regina Gomes.

As explanações têm início a partir das 9h e são encerradas às 12h. No último dia, elas serão estendidas até às 13h, quando acontece cerimônia de encerramento.

De acordo com o prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, o seminário faz parte das comemorações ao Dia Mundial do Idoso, celebrado no dia 1º deste mês.

Ele tem coordenação da gerontóloga Paola de Campos, responsável pelos trabalhos desenvolvidos junto ao público do Melhor Idade.

Segundo Manu, o objetivo das palestras é fornecer informações que ajudem a proporcionar melhores condições de vida aos idosos.

Durante o evento, a população tem oportunidade de conhecer as ações já desenvolvidas para a terceira idade. Entre elas, o “Centro de Convivência do Idoso” e o “Centro Dia”, viabilizados por meio de convênio com o governo estadual.

O prefeito afirmou que o centro de convivência será “uma extensão dos programas do idoso” na cidade. Na futura unidade local, eles poderão fazer atividades físicas e participar de projetos de capacitação, em cursos de artesanato. Já o Centro Dia funcionará como uma espécie de “creche do idoso”.

Manu afirmou que poderão utilizar o centro os idosos que não têm mais parentes, ou os que ficam aos cuidados de filhos que precisam trabalhar. “Eles poderão passar o dia, tendo todos os cuidados, e voltar às casas à tarde”, contou.

O prefeito também citou que o Executivo vem ampliando projetos já existentes, como o Melhor Idade. Ele passou de 120 para 180 idosos assistidos neste ano. A intenção é oferecer maior suporte às pessoas acima de 60 anos.

“A população idosa vem aumentando muito no país. A qualidade de vida e a expectativa de vida é maior. Então, nós temos de criar mecanismos de suporte para dar melhor atendimento a essa população”.

O prefeito compôs a mesa de autoridades da solenidade de abertura do seminário, ao lado da primeira-dama, das gerontólogas Paola de Campos e Marilia Silva e da vice-presidente do Lar São Vicente de Paulo, Célia Maria Oliveira Holtz.

Em discurso, Paola agradeceu a presença dos idosos, dos profissionais de saúde e de representantes de entidades. Também leu o currículo da palestrante convidada e afirmou que o evento teria vários temas relacionados ao envelhecimento.

“O mês de outubro é o mês do idoso. É importante que comecemos a refletir sobre as questões da velhice. Então, esse evento é uma pausa de uma semana para nós trabalharmos temas que influenciam nessa fase da vida”.

A primeira-dama também agradeceu aos participantes e aos profissionais e afirmou que o evento é uma iniciativa “inovadora”.

“Nós queremos que as pessoas acima de 60 anos, consideradas da melhor idade, tenham um envelhecimento digno na cidade. Queremos que, cada vez mais, o município dê estrutura para que os idosos recebam cuidados”, argumentou.

Já o prefeito, em discurso, parabenizou os funcionários municipais e as equipes do Fundo Social. Manu também elogiou a organização e destacou a presença da palestrante, que é tatuiana, formada pela USP (Universidade de São Paulo).

Os temas abordados no evento são considerados “importantíssimos” por membros de entidades que atuam com a terceira idade. Célia Holtz disse que o seminário contribui para a capacitação das equipes de atendimento.

“Particularmente, para o Lar, isso é muito bom. Nós vamos designar uma pessoa, a cada dia, para frequentar o evento e dar um retorno aos nossos funcionários. Serão multiplicadores. O ideal seriam todos (os funcionários) participarem, mas isso não é possível. Então, fazemos por etapas”, explicou.

Ela parabenizou o Executivo pela iniciativa e disse que as palestras são de “extrema relevância”. “São temas que dizem respeito ao nosso cotidiano. Fiquei até surpresa em ver que há assuntos como atropelamento”, concluiu.


Publicidade
Siltec