Empregos somam 135 vagas em outubro

    Tatuí tem saldo positivo na geração de trabalho formal pelo quarto mês consecutivo

    422
    PAT é responsável por pelo menos 50% das contratações (foto: divulgação PAT)
    Publicidade
    Siltec
    Da reportagem

    No mês de outubro, sete dos oito segmentos da economia fecharam com saldo positivo, gerando 135 novos postos de trabalho a partir de 817 contratos formalizados e 682 encerrados. Os dados foram divulgados pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, por meio do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

    Com o resultado de outubro, o município teve saldo positivo pelo quarto mês consecutivo. Nos últimos meses, os resultados mostraram crescimento de vagas de trabalho formais em julho (mais 151 novas vagas), agosto (195) e setembro (91).

    De acordo com Gustavo Grando, diretor do Departamento Municipal de Trabalho e coordenador do PAT (Posto de Atendimento ao Trabalhador), o índice foi melhor que o esperado para outubro.

    “Em setembro, tivemos um saldo positivo de 91 vagas e, pelas contratações aqui do PAT, nós esperávamos que o resultado fosse equivalente em outubro. Já sabíamos que não seria negativo, mas o crescimento foi muito bom. Agora, nossa expectativa é de melhora também nos próximos meses”, comentou o diretor.

    Conforme o levantamento do Caged, o setor de serviços foi a atividade econômica que mais alavancou o saldo de empregos em outubro, gerando 76 novas vagas com carteira assinada. O saldo é resultado de 271 admissões e 195 demissões.

    Publicidade
    Siltec

    Entre os subsetores, o que mais gerou vagas foi o de serviços de alojamento, alimentação, reparação, manutenção e redação, responsável pelo saldo positivo de 38 novas vagas, vindas de 94 contratações para 56 desligamentos.

    O comércio obteve o segundo melhor resultado no décimo mês do ano. Somente no setor, o município gerou 41 novas vagas com carteira assinada. O saldo, resultado de 268 admissões e 227 demissões, é o terceiro melhor do ano para a atividade.

    O subsetor varejista foi responsável pela criação de 49 novas vagas, vindas de 255 contratações para 206 desligamentos. O comércio ainda mostra saldo positivo de 125 novas vagas geradas no acumulado dos dez meses do ano, vindos de 2.426 contratados e 2.301 demitidos.

    Grando salienta que, com a chegada do final do ano, o resultado do comércio já era esperado e reforça que a expectativa é de novos saldos positivos nos próximos meses. Segundo ele, os comerciantes estão acreditando na economia e buscando aumentar o quadro de funcionários.

    “Esta semana visitei algumas lojas no centro e soube de diversos comércios que estão contratando. Uma loja está com 12 funcionários e pretende chegar a 20 até o Natal. Além disso, muitos estão animados com o lançamento da Casa do Papai Noel aqui na Praça da Santa, que acaba atraindo mais consumidores”, argumentou o diretor.

    O terceiro setor que mais se destacou no mês de outubro foi a indústria de transformação, que contabilizou 16 novas contratações, resultado de 165 admissões para 149 desligamentos.

    O cargo com maior número de contratações no setor é o montador de equipamentos elétricos, com salário médio de R$ 1.350. Somente para esse serviço, foram contratados 16 novos trabalhadores.

    Entre os subsetores, o que mais se destacou foi o da indústria de produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico. A atividade foi responsável pelo saldo positivo de 18 novas vagas, vindas de 48 contratações e 30 demissões.

    A atividade econômica classificada como “serviços industriais de utilidade pública” obteve o quarto melhor resultado do mês, com a geração de quatro novas vagas, a partir de quatro admissões e nenhum desligamento. Os números representam variação positiva de 2,13% em relação ao mês anterior.

    O órgão do Ministério do Trabalho ainda mostra saldos positivos na extrativa mineral, com mais três vagas, na administração pública, com um novo posto de trabalho, e na agropecuária, também com uma nova vaga.

    O único setor que teve saldo negativo em outubro foi a da construção civil. Com 44 contratações e 51 desligamentos, a atividade econômica fechou o mês com menos sete postos de trabalho formal.

    Grando salientou que mais de 40% das contratações do mês de outubro ocorreram por meio do PAT. Ainda segundo ele, o posto direcionou centenas de pessoas a empresas sediadas em cidades da região, sendo que esses números não são contabilizados pelo Caged.

    Entre as vagas mais ofertadas pelo posto, Grando destaca os cargos de vigilante e porteiro. Conforme o diretor, o crescente número de condomínios na cidade é o responsável pelo aumento das vagas.

    “Nestes casos, a maioria das empresas trabalha em turnos de 12 horas de serviço por 36 horas de descanso, então, só para uma vaga, já são contratadas quatro pessoas diferentes. Sempre tem vagas para estes cargos. No caso do vigilante, o mais importante é fazer o curso de vigilante e estar em dia com reciclagem. Isso ajuda muito”, acentuou.

    Com os números de outubro, o saldo do acumulado do ano entre os 4.868 estabelecimentos contabilizados também apresenta variação positiva. Durante os dez meses, foram gerados 569 novos postos de trabalho formal na cidade, a partir de 7.748 contratações e 7.179 desligamentos.

    O Caged fornece informações sobre trabalhadores regidos pela CLT (Consolidações das Leis do Trabalho) e que possuem carteira assinada. O levantamento não leva em consideração funcionários públicos estatutários e trabalhadores na informalidade.

    As estatísticas com o resultado do saldo de empregos do mês de novembro devem ser divulgadas pelo órgão do Ministério da Economia até o final de dezembro.

    Dados regionais

    Os dados positivos também refletiram em alta na microrregião de Tatuí, que registrou variação absoluta positiva de 177 empregos. Cinco dos nove municípios que integram o grupo tiveram saldo positivo no décimo mês do ano.

    No comparativo regional, a indústria tatuiana teve o melhor saldo em outubro. Na sequência, os melhores índices ficaram para Cerquilho (mais 114), Pereiras (34), Cesário Lange (16) e Torre de Pedra (1).

    Em contrapartida, Boituva obteve o pior saldo, com menos 78 postos de trabalho.  Ainda registraram queda nos índices as cidades de Laranjal Paulista (menos 21), Porangaba (menos 12) e Pereiras (menos 12).

    Também beneficiado pelo comércio e pelos serviços, a criação de empregos com carteira assinada no Brasil registrou, em outubro, o sétimo mês seguido de desempenho positivo, com a criação de 70.852 postos formais.

    Conforme o MT, esse foi o melhor nível de abertura de postos de trabalho para outubro desde 2016, quando as admissões superaram as dispensas em 76.599. A criação de empregos totaliza 841.589 postos de janeiro a outubro, 6,45% a mais que no mesmo período do ano passado.

    Ainda segundo os dados do Caged, a geração de empregos também atingiu o maior nível para os dez primeiros meses do ano desde 2014, quando tinham sido abertas 912.287 vagas no acumulado de dez meses.

    As cinco regiões tiveram saldo positivo em outubro, com destaque para a região Sul, com a geração de 27.304 novas vagas. O Nordeste teve mais 21.776; o Sudeste, mais 15.980; o Norte, mais 4.315; e o Centro-Oeste, mais 1.477.

    Publicidade
    Siltec

    DEIXE UMA RESPOSTA

    entre com sua mensagem
    entre com seu nome