Curso da Fatec obtém nota máxima em avaliação realizada pelo MEC

    354
    Publicidade
    Alessandra Bonilha, dra
    Siltec





    Arquivo O Progresso

    Estrutura oferecida faculdade ajuda os alunos a se motivarem para o estudo afirma diretor

     

    O curso tecnologia em gestão empresarial da Faculdade de Tecnologia “Professor Wilson Roberto Ribeiro de Camargo” obteve nota cinco no Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes), avaliação realizada pelo MEC (Ministério da Educação). O conceito é a pontuação máxima que uma instituição de ensino superior pode atingir.

    De acordo com o diretor da faculdade, Mauro Tomazela, o resultado coloca o curso da Fatec de Tatuí entre as três melhores instituições do Centro Paula Souza e na 12º do ranking nacional. O MEC listou 176 unidades de ensino que oferecem aulas na área da tecnologia em processos gerenciais.

    Publicidade
    Alessandra Bonilha, dra
    Siltec

    Na região, das unidades de ensino que ministram o mesmo curso, a Unip (Universidade Paulista) de Sorocaba levou nota quatro; a Esamc e a Uniso (Universidade de Sorocaba) ficaram com três pontos.

    As instituições de ensino de Itu, Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio e Faculdade de Tecnologia “César Lates”, obtiveram também a nota três.

    A prova do Enade, aplicada em 2012, segundo o MEC, terminou o ciclo de avaliações dos cursos de ciências sociais aplicadas, ciências humanas e áreas afins, além dos eixos tecnológicos de negócios, apoio escolar, hospitalidade e lazer, produção cultural e design.

    O ministério também divulgou que o Enade fez o balanço do ensino de 7.228 cursos de 1.646 instituições de educação superior em todo o país.

    O exame é aplicado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) e utilizado pelo Sinaes (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior) para analisar a qualidade do ensino superior.

    A notícia de que os alunos do curso de gestão empresarial conseguiram nota máxima na avaliação foi motivo de comemoração na unidade tatuiana. Porém, Tomazela não a considerou “surpreendente”.

    “Somos bastante exigentes e analisamos todas as dificuldades dos alunos. Temos bons professores, e o nosso projeto pedagógico é estudado em conjunto com as diretrizes estabelecidas pelo Centro Paula Souza”, disse.

    A Fatec local pretende, ao realizar o curso de gestão empresarial, fazer com que o estudante entre no mercado de trabalho apto a implementar planos de negócios nos processos de comercialização, suprimento, armazenamento, movimentação de materiais e no gerenciamento de recursos financeiros e humanos.

    Tomazela contou que a expectativa em relação à avaliação dos alunos é sempre positiva. “Por diversos fatores, entre eles a qualidade dos professores e pela grade curricular. Nós também conscientizamos os alunos sobre a importância da prova”.

    O diretor da Fatec revelou que o conteúdo oferecido nas salas de aula atende às atividades práticas e às necessidades do catálogo geral do MEC. Esse documento também é utilizado pelo ministério para a elaboração da prova.

    Um dos fatores que o diretor da Fatec considera primordial para o bom entendimento entre aluno e professor, no curso de tecnologia em gestão empresarial, é conteúdo acadêmico voltado à atuação profissional nas áreas mais importantes do município.

    Esse fato, de acordo com Tomazela, gera mais interesse dos alunos pelo estudo. “Se conseguirmos motivar nossos alunos para o mercado, ele também se torna um bom profissional. Desta maneira, ele consegue ter o melhor resultado no Enade”.

    Tomazela disse que a estrutura oferecida pela faculdade também influencia o resultado conquistado pelos alunos. Segundo ele, o discente fica mais motivado quando a escola está “limpa e bem arrumada”.

    O diretor também parabenizou os alunos pelo resultado. “Tudo na vida da gente é assim: quando nos dedicamos a algo, o resultado torna-se positivo”.

    Esta é a segunda participação da Fatec de Tatuí no Enade. A primeira aconteceu em 2011, com o curso de automação industrial, que obteve conceito dois – a avaliação segue escala de um a cinco, com o menor número sendo o mais “problemático”.

    Sobre a primeira avaliação, Tomazela revelou que, na época, o curso da Fatec passava por reestruturação pedagógica e, por isso, “o conteúdo da prova não era ensinado”.

    “Foi péssimo por essa condição. Considero normal tirar um dois dentro daquele processo. Como também é muito gratificante tirar um cinco agora.”, sustentou.

    A Fatec local não tem a obrigatoriedade de prestar o Enade, revelou o diretor, porque a unidade está vinculada ao Conselho Estadual de Educação e não ao MEC.

    Mesmo assim, Tomazela considera importante os alunos passarem pelas avaliações do ministério. “Não é fácil ter uma nota cinco, tanto que diversas universidades famosas, de grande expressão, não nos alcançaram”.

    O diretor também reconheceu o trabalho das Fatecs instaladas pelo Estado de São Paulo, como em Mococa e Catanduva. As unidades também conseguiram a mesma nota de avaliação da tatuiana.

    O conceito máximo obtido pelas instituições fez com que as unidades de ensino dispensem a renovação do reconhecimento do curso pelo MEC por um período de cinco anos, informou o diretor da Fatec de Tatuí.

    “Conforme o tipo do curso, você tem que fazer esse reconhecimento após três ou quatro anos da implantação”, disse Tomazela.

    Ele também lembrou que os cursos com avaliação baixa podem ser fechados pelo MEC. “Por isso, é importante para a gente estar no patamar máximo”.

    Para o diretor, a obtenção dessa nota aumenta a responsabilidade na qualidade do ensino e, desta maneira, “é preciso manter a qualidade e repetir o feito”.

    “Mostra que estamos no caminho certo. Trabalhamos e implantamos uma nova escola, atendendo a determinada parcela da população. Estamos no caminho correto”, finalizou Tomazela.

    Enade

    O principal objetivo do Enad é verificar se os cursos de ensino superior oferecidos no país estão de acordo com os conteúdos previstos nas diretrizes curriculares do Ministério da Educação. A avaliação pretende constatar, também, se o aluno adquiriu habilidades específicas de sua profissão.

    Assim, segundo o MEC, é possível ter “referenciais que permitam a definição de ações voltadas à melhoria da qualidade dos cursos de graduação por parte de professores, técnicos, dirigentes e autoridades educacionais”.


    Publicidade
    Alessandra Bonilha, dra
    Siltec