Creche-escola atenderá em turno integral

Unidade inaugurada no dia 28 inicia atividades dia 5 e registrou fila para pré-inscrições

2523
Prefeita Maria José citou que Executivo soma mais de R$ 1 milhão em investimentos no bairro Congonhal (foto: Cristiano Mota)
Publicidade
Siltec

Com a presença de moradores do Congonhal e região, funcionários públicos municipais, secretários e vereadores, a Secretaria Municipal de Educação inaugurou a primeira creche situada em zona rural no município.

A unidade, entregue em solenidade a partir das 10h do dia 28, junta-se às outras 26 da educação infantil mantidas pela Prefeitura na zona urbana. Ela foi construída no modelo creche-escola.

Participaram do evento de entrega a prefeita Maria José Vieira de Camargo, o vice-prefeito Luiz Paulo Ribeiro da Silva, a secretária municipal da Educação, professora Marisa Aparecida Mendes Fiusa Kodaira, e o secretário municipal do Governo, Luiz Gonzaga Vieira de Camargo.

A O Progresso, Marisa antecipou que a nova creche iniciará as atividades nesta segunda-feira, 5. Para atender aos 80 alunos – somando as crianças que frequentarão a creche e as que farão a pré-escola –, a pasta efetivou pré-inscrição. O cadastro dos estudantes aconteceu após a cerimônia.

Miguel Vinicius Teixeira, de quatro anos, foi uma das crianças pré-matriculadas. A mãe dele, Danielle Teixeira, conta que o menino deixou de frequentar creche por conta da distância. Ela mora com o filho no Congonhal de Baixo e alegou ter muita dificuldade para levar o menino até a zona urbana.

Publicidade
Siltec

“Ter uma creche aqui ajuda bastante. Fazia muita falta, porque eu tinha de levar o meu filho na cidade. Ele acabou não frequentando e ficando um ano em casa”, contou.

O menino chegou a frequentar a Creche “Maria Estrela de Abreu”, no Jardim Manoel de Abreu. Entretanto, por compromissos de trabalho da mãe, precisou sair da creche. Danielle explicou que a carga horária do serviço dela dificulta o transporte do menino da casa para a creche e vice-versa.

Sem condições de deixar o menino aos cuidados de monitores, Danielle optou por tirá-lo da unidade e precisou deixar o trabalho. “Tive que arranjar outro serviço no qual trabalhasse menos para ter tempo de ficar com ele”, relatou.

Para a mãe, ter uma unidade também representará significativa evolução no quadro da educação das crianças que vivem no bairro e no entorno dele. “Sem falar que, para os pais, ter uma creche perto de onde residem os filhos é muito bom”, completou.

De acordo com a secretária da Educação, o principal motivo para a transformação da unidade em creche-escola é justamente a demanda dos pais. Marisa afirmou que, além disso, a Educação entende ser importante atender a uma faixa etária maior, em função da melhoria da qualidade do ensino.

Caso a unidade funcionasse apenas como creche, ela receberia apenas crianças de zero a três anos. As pré-escolas atendem a alunos entre quatro e cinco anos.

Ao unir as duas funções, a pasta abrangerá mais crianças. Os alunos da pré-escola incluídos na nova unidade já eram atendidos no Cepem (Centro de Educação Pré-Escolar Municipal) “Elide Vanni”.

“Eles frequentavam apenas uma sala, com pouco espaço para recreação. Aqui, como o prédio é maior, vamos atender a todos. Nós apenas transferimos para cá, com a nova demanda de crianças de zero a três anos, as de quatro e cinco que já estavam matriculadas no Cepem”, explicou a secretária.

De acordo com a ela, a nova unidade representará “um desafio” ao Executivo e permitirá à Educação fazer comparações entre o funcionamento de unidades da zona urbana e rural.

“A população do bairro pode ter a certeza de a qualidade será a mesma, tanto na educação infantil como no ensino fundamental”, prometeu.

A primeira creche da zona rural não deverá ser a única da cidade. Marisa informou que um novo estudo para a construção em outra região campestre deverá ser determinado a partir de demanda. “Esse bairro era o que tinha maior concentração de pedidos”, argumentou.

À reportagem, a prefeita enfatizou que a entrega da creche-escola representa a primeira ação – de várias que estão em andamento – executada pela administração para atender aos moradores do Congonhal.

“É um olhar diferente que a Prefeitura está dando para quem vive aqui. Este é um bairro muito populoso, e a demanda da população já vinha de muitos anos”, descreveu.

“É um pedido antigo, do último governo do ex-prefeito Gonzaga”, reforçou Marisa. Conforme ela, o Executivo havia começado a discutir sobre a construção em 2011.

Ela ainda destacou o papel da equipe da pasta, que atuou na limpeza do prédio e na instalação de mobílias. Apontou a colaboração da engenharia e arquitetura da Prefeitura e anunciou, para os moradores, uma decisão a partir de pedidos.

A unidade atuaria em período integral com crianças de zero a três anos e, em período parcial, com as demais (de quatro a cinco anos). Marisa informou que, ao receber pedidos na própria cerimônia, e em conversa com a prefeita e o vice-prefeito, a secretaria resolveu atender todos em tempo integral.

“Na gestão da nossa prefeita, do vice e do secretário municipal de Governo, é a população que determina os rumos da Educação”, declarou.

Representado a Câmara Municipal, o vereador Antonio Marcos de Abreu, em discurso, mencionou que a prefeita cobra sempre a equipe para “dar uma condição melhor para a população”.

Abreu falou sobre ações realizadas pela administração, como a locação de veículos para a Saúde e o pagamento de boa parte de dívidas herdadas, avaliadas em R$ 60 milhões. Ainda afirmou que Maria José está realizando “o que nenhum outro prefeito, a não ser Gonzaga, já realizou”.

Ele também apontou a colaboração de Gonzaga nas conquistas da administração municipal e dos vereadores da base. Abreu afirmou estar feliz porque os parlamentares têm aprovados todos os projetos apresentados pela prefeita.

O vereador ainda parabenizou a Câmara pela devolução de R$ 500 mil, do orçamento anual, para as obras de recapeamento da principal via de acesso ao Congonhal, e destacou que a obra de infraestrutura terá aporte da Prefeitura, com recursos economizados com o corte da chamada “farra dos salários”.

Segundo o parlamentar, Maria José promoveu corte nos vencimentos dos servidores comissionados, o que gerou economia de R$ 2,3 milhões por ano. No período de quatro anos, da gestão, a redução será de pouco mais de R$ 9 milhões.

Ele ainda agradeceu à família Simões pela cessão do terreno onde está localizada a nova creche. Colaboraram com a Prefeitura, Cecília, Jairo, Fábio e Luciana Simões.

Para o secretário do Governo, a inauguração representou um marco importante na gestão da prefeita. Gonzaga classificou a unidade como uma “obra importantíssima” e disse que ela tinha sido reclamada pelos pais havia muitos anos.

“O Congonhal teve um crescimento extraordinário nesses últimos anos e não vinha tendo uma resposta à altura do seu desenvolvimento pela Prefeitura”, iniciou.

Relembrando a carreira profissional da prefeita, que atuou como professora, o secretário destacou que Maria José começara a dar aulas em Angatuba e, para se deslocar, andava a cavalo. Depois do casamento, transferiu-se para Guareí, lecionando na zona rural.

“E ela enfrentava aquelas estradas sem nenhum pavimento. Ela sempre teve um cuidado com a educação, até pela própria formação profissional dela”, sustentou Gonzaga.

O secretário afirmou que o governo municipal ainda “planeja muitas benfeitorias” para o bairro. Entre elas, o projeto que prevê implantação de sistema de coleta de esgoto que está sendo desenvolvido pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), e para obtenção de recursos junto ao Fehidro (Fundo Estadual de Recursos Hídricos).

Gonzaga antecipou que o projeto será “uma luta e que não vai acontecer do dia para a noite”. Entretanto, lembrou que a atual administração já enfrentou vários desafios e, em função disso, tem certeza de que haverá de vencer os demais.

“Lá atrás, quando aqui não tinha água, nós conseguimos expandir para praticamente todo o bairro a rede (de distribuição), e assim nós temos trabalhado. Então, nos deem um pouco de tempo, porque está no nosso radar a necessidade de resolvermos o problema de esgoto do Congonhal”, vaticinou.

Penúltimo a falar, o vice-prefeito declarou que a administração superara desafios para concluir a creche. Luiz Paulo também comentou a respeito da revitalização da principal via de acesso ao bairro.

Ele enfatizou que a Prefeitura vai recuperar um total de três quilômetros e que a obra será feita anos depois da anterior pavimentação. A estrada havia sido asfaltada em 1994, pelo governo estadual, que, na época, tinha à frente Luiz Antônio Fleury Filho.

“Hoje, 24 anos depois, a prefeita, com recursos próprios do município, entregará uma estrada totalmente nova para vocês”, ressaltou.

Luiz Paulo também agradeceu a presença dos moradores na solenidade e afirmou que o comparecimento é “sinal de credibilidade do governo”.

Fechando os discursos, Maria José ressaltou que a Prefeitura investira – com a creche e a revitalização da via principal – mais de R$ 1 milhão. Também destacou que o Executivo providenciara a pintura de uma escola municipal e da UBS (unidade básica de saúde) que atende aos moradores do bairro.

Maria José ainda informou a população do Congonhal que o Fusstat (Fundo Social de Solidariedade de Tatuí) levará cursos de capacitação ao bairro.

Ela antecipou já estar no planejamento anual da presidente do órgão, Sônia Maria Ribeiro da Silva, a oferta de cursos de qualificação já para o começo deste ano.

Publicidade
Siltec