Educação tem quatro obras a serem concluídas em 2018

1520
Vice-prefeito Luiz Paulo falou sobre desafios e reiterou compromissos (foto: Cristiano Mota)
Publicidade

São quatro as próximas obras a serem concluídas pela Secretaria Municipal de Educação. A lista divulgada pela titular da pasta a O Progresso, professora Marisa Aparecida Mendes Fiusa Kodaira, inclui uma Emei (escola municipal de ensino infantil), duas ações em quadras poliesportivas e uma creche.

As novidades contemplarão crianças que residem – ou estudam – em quatro bairros da cidade: Tanquinho, Jardim Santa Rita de Cássia, vila São Cristóvão e Santa Cruz. Todas elas foram retomadas pela atual administração. “Estão em andamento e próximas de serem concluídas”, disse a secretária.

Segundo ela, a Emei no Tanquinho – iniciada na gestão anterior, mas paralisada por entrave com a empreiteira – teve o projeto original adaptado.

“Era para funcionar só a pré-escola, mas nós estamos solicitando a construção de um fraldário para que possamos atender as crianças de zero a três anos”, contou a secretária.

Já no São Cristóvão, Marisa informou que as obras de construção de uma quadra para atender a uma escola está “praticamente concluída”. “Vai ser feito o fechamento, mas a quadra, propriamente dita, está pronta”, complementou.

Publicidade

No Santa Rita, a Prefeitura dá andamento na construção de uma quadra poliesportiva com vestiário e, no Santa Cruz, a obra da creche “já passou da altura do andaime”.

Entre as melhorias e os novos prédios, Marisa estima aumento significativo no número do alunado. Atualmente, a pasta tem por volta de 14 mil estudantes.

Para atender ao “novo público”, a secretária informou que o município está em vias de realizar concurso público. Os inscritos farão prova no próximo dia 18, com as vagas para professor de educação básica I, substituto da educação básica I, substituto de educação básica II e educação especial. Ao todo, serão contratados 53 novos profissionais.

De acordo com Marisa, o concurso auxiliará a pasta municipal, principalmente, a compor o corpo docente fixo. A secretária explicou que, na educação básica I e II, tanto titulares como substitutos não conseguiam criar vínculos.

A contratação feita até então era por meio de processo seletivo anual. Pelo concurso, os aprovados serão efetivados pela Prefeitura – após o prazo determinado de estágio probatório – como estatutários e passam a ter projeção de plano de carreira. “É completamente diferente”, avalia a secretária.

Atenção maior

Em entrevista, a secretária informou que todas as obras retomadas pela atual administração exigiram atenção maior e que, no caso da creche-escola inaugurada no Congonhal, a pasta demorou a concluí-la por conta de dificuldades. “Foi um desafio. Ela estava com 30% de execução”, contou.

Além de resolver impasse com a construtora, o Executivo precisou resolver a questão do desbarrancamento de um muro. “Tivemos que fazer um muro de contenção e resolver imprevistos”, relatou.

De acordo com o vice-prefeito Luiz Paulo Ribeiro da Silva, o principal deles diz respeito à falta de pagamento. Em discurso, Luiz Paulo afirmou que a empresa vencedora de licitação não havia recebido “nem os 30% executados”.

A administração precisou resolver o impasse com a empresa, uma vez que ela não queria retomar a obra enquanto não recebesse. “A prefeita (Maria José Vieira de Camargo) teve que, antes, regularizar e pagar o que deixaram devendo, para que a empresa pudesse retomar”, sustentou.

Segundo Luiz Paulo, a atual administração teve esse mesmo problema com as demais obras da Educação no início de 2017. “Para todas as unidades escolares de Tatuí em construção não havia sido pago nenhum real para as empreiteiras”, ressaltou.

Publicidade