Cia. As Marias convida moradores a contarem ‘memórias’ sobre Tatuí

Ação poética chamada “Cartas para a Cidade” termina neste domingo

304
Companhia criará coreografias a partir de relatos sobre o município (foto: divulgação)
Publicidade
Da reportagem

O grupo de teatro de rua “Cia. As Marias”, de São Bernardo do Campo, lançou na terça-feira, 29 de setembro, a ação poética “Cartas para a Cidade”. A iniciativa visa incentivar moradores tatuianos a contarem suas “memórias e afetos” sobre o município, por meio de formulário virtual.

A partir das “cartas”, a companhia criará coreografias que, posteriormente, serão gravadas e transmitidas pelas plataformas virtuais da companhia.

As inscrições seguem até este domingo, 4, abertas para todas as idades. O formulário para preenchimento dos dados e envio da “carta” pode ser encontrado na página oficial da companhia, no https://www.facebook.com/CiasMarias , ou no https://bit.ly/2G7N4aE.

De acordo com Patrícia Santos, integrante da Cia. As Marias, a ação poética é uma adaptação virtual e faz parte do projeto “An.dor – As Ruas são para Dançar!”, contemplado no Proac (Programa de Ação Cultural), no edital “Circulação de Dança” (04/2019).

O espetáculo “An.dor”, pensado e criado para os espaços urbanos e apresentações em ruas e praças públicas, iria percorrer os municípios de São Bernardo do Campo, Santo André, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires, Santos, Cubatão, Tatuí, Matão e Birigui.

Publicidade

Patrícia explica que as cidades foram escolhidas para a circulação do espetáculo buscando promover “o acesso amplo da população à dança” no interior do estado, contudo, o projeto original foi interrompido, em março, devido à pandemia, e as apresentações presenciais acabaram suspensas.

“A ação poética é um convite aos moradores para escreverem sobre afetos, desejos e sonhos para a cidade. As coreografias serão um modo de atualizar o espetáculo (“An.dor”) e promover uma interação direta com os moradores, uma vez que a pandemia impossibilita o grupo de estar diretamente nas ruas apresentando o trabalho nas cidades”, argumentou Patrícia.

As coreografias também serão compartilhadas por meio das plataformas digitais do grupo até o final do ano. A ação ocorrerá em etapas, atingindo todos os dez municípios. Nesta primeira chamada, também estão convocados os moradores de Matão e Birigui.

“Fizemos essa convocatória porque partimos muito desta pesquisa para a montagem do espetáculo. A ideia é ouvir não só a história oficial da cidade, mas a contada a partir dos habitantes e de quem faz uso dela”, disse Patrícia.

Além dos materiais virtuais, a ação prevê workshops de criação e improvisação em espaços urbanos, que devem ocorrer virtualmente pela plataforma Zoom e serão destinados aos artistas das cidades incluídas no projeto. As datas serão divulgadas nas redes sociais do grupo.

“Nosso desejo é que esta arte impacte a população e que chegue até as pessoas. Por isso, escolhemos cidades mais distantes da nossa para a circulação, para realmente conversar e trazer este universo da dança contemporânea para os espaços urbanos e não para um palco ou sala fechada”, conclui Patrícia.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome