Centro Cultural vira ‘tela’ para ação muralista do artista Diego Dedablio

LAB contemplou o projeto ‘Palavra Concreta - Muralismo - Graffiti Art’

39
Foto: AI Prefeitura
Publicidade
Da reportagem

Na esquina da rua José Bonifácio com a praça Martinho Guedes, a Praça da Santa, onde estão situados o Centro Cultural e a Secretaria Municipal de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude,

o artista plástico tatuiano Diego Dedablio está apresentando o projeto “Palavra Concreta – Muralismo – Graffiti Art”.

O trabalho se fundamenta em um mural para “estabelecer o diálogo cultural com os cidadãos, por intermédio de cores, formas e símbolos”, conforme o idealizador.

Ele deu início à execução da obra no dia 17 de dezembro e conta que já a concluiu, porém, segue trabalhando para aperfeiçoar os detalhes. “Vou deixar ainda melhor. Estou feliz por fazer isso”, comentou.

Dedablio ressalta que, com a arte, pretende expandir e estabelecer a presença da “street art” no município. “É um projeto com flexibilidade de desdobramentos, em várias áreas: educacional, histórico-cultural, antropomórfica, urbanística e artística”, declara.

Publicidade

Conforme ele, a “street art” possui um perfil já estabelecido, no qual são trabalhadas técnicas de spray em grande escala. Ele conta ter pintado muitas telas durante a pandemia, realizando a “conexão do muralismo em harmonia com a ‘street art’”.

“São dois conceitos bem complicados e que nunca estiveram em um mesmo trabalho que eu tenha visto. Essa é uma das inovações para que o projeto fosse contemplado”, sustenta.

O projeto de arte muralista de Dedablio recebeu recursos da lei federal 14.017, a “Lei Aldir Blanc”, repassados por meio do decreto municipal 20.657. Ainda conta com apoio cultural da prefeitura, pela Secretaria Municipal de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude.

Dedablio acrescenta que a ideia do trabalho era utilizar o edital de premiação para conseguir trabalhar com duas linguagens artísticas que possuem diferenças conceituais: o muralismo, com a pintura a óleo na parede, junto com o grafite, os sprays a látex.

“Digamos que é uma inovação técnica a junção dessas duas vertentes. Esse é o ponto crucial”, reforça. “A intenção é estar reafirmando a presença do grafite e a quebra de paradigmas sem um compromisso sério com a arte conceitual, abrindo espaço para pessoas que se interessam por essa arte”, complementou.

Rogério Vianna, diretor municipal da Cultura, informa que Dedablio é um dos 43 artistas do município contemplados pela Lei Aldir Blanc.

“Essa lei que veio em caráter emergencial, no ano passado, justamente para atender o setor da cultura, tão impactado também pela Covid-19”, aponta.

Conforme o diretor, “Dedablio é um artista ímpar, que desenvolve o trabalho da arte muralista há muitos anos no município”. Para Vianna, “a habilitação do projeto pela Lei Aldir Blanc é um presente para Tatuí”.

“O projeto do Dedablio é excelente neste momento. A arte precisa ser expressa com todo furor neste início de ano para que possamos tentar ter um momento menos trágico, como foi 2020. E a arte tem feito esse papel, como fez no ano passado e continuará fazendo sempre”, garante.

Ainda segundo Vianna, a Secretaria Municipal de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude tem dado todo o apoio para a realização deste e de todos os projetos dos artistas e profissionais tatuianos contemplados pela Lei Aldir Blanc.

“Só tenho a agradecer a Tatuí. Trabalho aqui há dez anos e sempre tive apoio. O sentimento é de gratidão e agradecimento”, completou Dedablio.

Artista

Dedablio nasceu em Tatuí em 1987 e, aos 11 anos, iniciou a produção de histórias em quadrinhos, publicando em jornais da região. Em 2000, deu início aos estudos em arte urbana – grafite e em pintura. A partir de então, começou a atuar nas ruas, “com o intuito de fazer obras inteiramente públicas”.

Em 2005, realizou, no Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos”, a exposição “Sigilo”, segundo a assessoria de comunicação da prefeitura, a primeira mostra de arte urbana na região.

Em 2006, o artista executou projeto expositivo na Picida Yang Culture e assinou uma série de camisetas numeradas para a loja e para a marca.

Conforme a assessoria de comunicação da prefeitura, no ano seguinte, Dedablio participou, com outros escritores de rua, da exposição “Circuito Fechado”, na Associação dos Artistas Plásticos de Tatuí.

Ele aprimorou os conhecimentos em 2008, iniciando os estudos de cenografia e iluminação cênica no Conservatório. No mesmo ano, também participou, em parceria com a cantora argentina Lila Ibarra, da apresentação “Mãe Terra, Madre Tierra”.

Em Tatuí, o artista participou com uma instalação do projeto “Casa de Bamba” e foi agraciado com o segundo lugar no Mapa Cultural Paulista (Artes Plásticas), do governo do Estado de São Paulo.

Em parceria com Lila Ibarra, Dedablio expôs nas apresentações da cantora no Teatro Galatea, Resistência e Chaco-Argentina. Ele executou um mural em honra à nação indígena Toba, em Resistência, Chaco-Argentina, e outro mural, em honra à herança da cultura negra, no bairro Cambaquan, em Corrientes, na Argentina.

Em 2008, ele venceu o Prêmio Revista Bravo! de ilustração, ao ilustrar o conto “Um Homem Célebre”, de Machado de Assis. E, no ano seguinte, expôs no 8º Brasil Instrumental, pela Cooperativa de Música em Tatuí, na mostra coletiva “Acúmulos”, na loja e galeria “Casa de Quem”, em São Paulo, e ainda ganhou uma bolsa de estudos de Vera Holtz, passando a residir em São Paulo.

Segundo a assessoria, em 2010, Dedablio iniciou os estudos de xilogravura, gravura em metal e litogravura no Museu Lasar Segall, na capital paulista.

Ele realizou a instalação “Interno & Externo”, a convite da Cultura Inglesa, de Presidente Prudente, e, na mesma cidade, assinou as ilustrações para a campanha publicitária dessa entidade.

Participou do “8° Encontro de Graffiti Art”, de Santana do Parnaíba, e realizou a exposição solo “O Timbre do Silêncio”, a convite da prefeitura de Tatuí.

Trabalhou como arte-educador no Instituto Verde Escola, na praça Victor Civita, em São Paulo.

No ano de 2011, participou do desfile do bloco “Filhos da Santa”, pintando painéis que desfilaram junto ao bloco no bairro Santa Cecília, em São Paulo.

De acordo com a assessoria, Dedablio representou o Brasil, juntamente com grandes nomes do grafite latino, no livro “Nuevo Mundo – Latin American Street Art”, de Maxiliano Ruiz, pesquisador de “street art”, com fotografias e texto, da editora Gestalten, de Berlim, na Alemanha.

Ele participou da exposição “Saudade do Futuro”, na 99ª Semana Euclidiana, em São José do Rio Pardo. E executou a performances de “live-painting” na Maratona de Cinema do Sesc Sorocaba e no Fórum de Dança Contemporânea, em Votorantim, pelo Sesc Sorocaba.

Ainda realizou a exposição solo no “Rasgada Coletiva”, em Sorocaba, com obra de cunho gráfico (xilo, lito, recorte, gravura em metal e impressos).

Em 2012, o artista executou um mural para o projeto “R.U.A.” (Reflexo on Urban Art), em Amsterdam, na Holanda. Ele ministrou um workshop sobre a filosofia do grafite com crianças e adolescentes no Lloyd Hotel – Culture Embassy, em parceria com o projeto “R.U.A.”.

No ano seguinte, o tatuiano expôs no “Festival Livre”, da USP (Universidade de São Paulo). Em 2014, executou e apresentou a exposição solo “Infinita Finitude”, na Galeria Residência, em Bauru, e ainda participou da exposição coletiva “Com Pos To”, na Verve Galeria, em São Paulo.

Depois, em 2017, participou do “Vulica Festival”, realizando um mural público em Minsk, Bielorrússia, a convite da embaixada brasileira.

Já em 2018, no Museu Histórico “Paulo Setúbal”, Dedablio realizou exposição individual com mais de 33 obras, incluindo pinturas, gravuras, colagens e desenhos em diversas técnicas (como spray, óleos e acrílicos e colagens), produzidos no período de 2012 a 2019.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome