‘Bambuzal terá os imóveis regularizados’

    Luiz Paulo Ribeiro anuncia que o bairro rural está incluído no programa Cidade Legal

    504
    Moradores do Bambuzal e autoridades acompanham inauguração da rede de água (foto: Diléa Silva)
    Publicidade
    Siltec

    As famílias residentes no bairro Bambuzal poderão ter os imóveis regularizados com escritura. A afirmação foi feita pelo vice-prefeito Luiz Paulo Ribeiro da Silva, durante a cerimônia de inauguração da rede de abastecimento de água da área rural, na quarta-feira, 28.

    “Hoje, depois de dois anos e muita luta, este sonho da água se realizou. Mas, quero deixar um recado: o trabalho para o Bambuzal não para aqui. Vamos continuar e dar a escritura definitiva das casas para cada um de vocês”, anunciou o vice-prefeito.

    A O Progresso, Luiz Paulo afirmou que a entrega dos títulos de posse dos imóveis é uma continuação do trabalho de regularização iniciado no bairro para que os moradores pudessem receber a rede de água.

    Segundo ele, uma das dificuldades para a implantação do abastecimento hídrico era a falta de regularização dos imóveis. Luiz Paulo contou que a prefeitura fez um projeto técnico identificando todos os terrenos para que a empresa pudesse levar água para a área rural.

    “Caracterizamos o bairro como loteamento e incluímos no programa Cidade Legal. Fizemos todos os passos para que ligasse a água, beneficiando os moradores. Agora, a segunda etapa é dar o título de posse”, enfatizou.

    Publicidade
    Siltec

    O programa estadual de regularização fundiária urbana “Cidade Legal” foi criado para auxiliar os municípios paulistas na regularização dos núcleos habitacionais implantados em desconformidade com a lei.

    Por meio dele, o estado de São Paulo disponibiliza, aos municípios, uma equipe profissional multidisciplinar que realiza diversos serviços, entre eles, capacitação do corpo técnico municipal, análise, estudo e aprovação dos projetos.

    Conforme o programa, além desse auxílio e orientação, o estado mantém contrato com empresas especializadas que possibilitam a realização da regularização fundiária urbana, sem custo ou contrapartida financeira do município conveniado.

    Luiz Paulo não deu prazo para a entrega dos documentos. “Como o projeto é do governo estadual, o processo de estudo e regulamentação das áreas pode ser demorado. Contudo, a prefeitura está trabalhando para entregar as escrituras o mais rápido possível”, garantiu.

    Rede de água

    As obras para a implantação da rede de abastecimento de água do Bambuzal foram realizadas pela prefeitura em parceria com a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo).

    Os serviços foram iniciados as no dia 5 de agosto e entregues em cerimônia acompanhada pela prefeita Maria José Vieira de Camargo; pelo engenheiro Adriano José Branco, diretor da Sabesp; vereadores, secretários municipais e moradores do bairro.

    De acordo com o diretor da Sabesp, para a ligação hídrica, foram implantados 1.575,8 metros de extensão da rede no bairro, beneficiando mais de 20 famílias. As obras tiveram investimento de mais de R$ 100 mil.

    Ele ressaltou que a inclusão do bairro no projeto Cidade Legal foi o fator principal para que a Sabesp pudesse implantar a rede de abastecimento de água.

    “A legislação nem sempre permite que a gente faça o que tem vontade. A força, o esforço desta gestão fez com que nós pudéssemos avançar no sistema do abastecimento de água aqui no Bambuzal”, salientou Branco.

    A prefeita Maria José mencionou que a implantação da rede foi “um grande desafio da administração”. Também pontuou detalhes da obra de expansão e lembrou que o bairro Bambuzal é o segundo a receber rede de água na atual gestão.

    Em 2018, no bairro dos Fragas, foram executados 3.673,62 metros de rede de água, com investimento de 265 mil. A parceria para a execução da obra também foi da prefeitura e da Sabesp.

    Conforme moradores, o serviço era esperado pela população do bairro havia mais de dez anos. Odair Possari, 63, foi um dos primeiros a adquirir terreno no local. Ele conta que tem uma chácara há 15 anos e, desde então, aguardava a ligação da água.

    “Digo que sou um dos pioneiros da luta pela água no bairro, mas todo mundo que chegou depois também lutou. Sabemos que não existe solução fácil para um problema difícil. Aqui, foi demorado para resolver, mas conseguimos e, hoje, podemos comemorar”, declarou Possari.

    A dona de casa Dora Ribeiro, 52, mora no Bambuzal há quatro anos e conta que adquiriu um lote no bairro para morar com o marido, por ter um preço mais baixo que na área urbana.

    “Quando mudei para cá, a prefeitura trazia água para nós com o caminhão pipa, mas, um dia – na administração do ex-prefeito – mandaram avisar que o caminhão não vinha mais. Ficamos um tempo sofrendo até que conseguimos nos juntar e fazer um poço”, disse a dona de casa.

    Segundo ela, com a ligação de água, a esperança é de que o bairro cresça e tenha outros benefícios, como cascalho na estrada e iluminação pública.

    “Alguns compraram o terreno e largaram aqui sem construção, porque não tinha água. Agora, com certeza, quem comprou vai voltar, e poderemos ter outras melhorias também”, acrescentou Dora.

    O morador José Lopes Filho, conhecido como Gino, também reforça que o foco da população local é conseguir novas benfeitorias para o bairro. Ele comprou um terreno no local em 2013 e mudou-se para o Bambuzal em 2017.

    “Temos a água; agora, as outras coisas vão vir aos poucos, só basta esperar. Só tenho que agradecer ao empenho do vereador Pepinho (Jairo Martins), à prefeita e a todos os moradores que correram atrás e conseguiram trazer a rede de água”, declarou.

    Publicidade
    Siltec