Aproximadamente 10 mil assistem desfile

629
Publicidade





Cristiano Mota

Com quatro horas de duração, evento cívico comemorativo egistrou a marca de 6.600 componentes

Aproximadamente 10 mil pessoas, de acordo com a organização, acompanharam o desfile cívico de aniversário de Tatuí na manhã de domingo, 11. O evento de comemoração aos 187 anos do município teve pré-abertura e anúncio de aquisição de frotas.

Contou, ainda, com presença de autoridades locais e regionais. No palanque, além do prefeito de Tatuí, José Manoel Correa Coelho, Manu, estiveram o ex-prefeito de Sorocaba Renato Amary, o deputado estadual Rogério Nogueira e administradores das cidades de Boituva, Cerquilho e Torre de Pedra.

Manu esteve acompanhado da primeira-dama e presidente do Fundo Social, Ana Paula Cury Fiuza Coelho, e assistiu à primeira apresentação do dia, da Banda Jovem da Associação Cultural Pró-Arte.

Publicidade

Regidos pelo maestro Marcelo Afonso, os músicos mirins executaram o Hino a Tatuí e, na sequência, o tradicional “Parabéns a Você”, em alusão ao aniversário da “Capital da Música”.

Em discurso, o prefeito cumprimentou autoridades, vereadores e população. Manu quebrou o protocolo ao apresentar a Banda Regimental do CPI (Comando de Policiamento do Interior) 7, da Polícia Militar de Sorocaba.

Também anunciou a passagem de parte do efetivo do 2o Grupo de Artilharia de Itu, do Centro Experimental de Aramar, das polícias Militar, Rodoviária e Ambiental, Corpo de Bombeiros e da fanfarra da Guarda Civil Municipal.

O prefeito retomou o discurso destacando que a Prefeitura reiniciou diversas obras (anel viário, Centro Municipal de Especialidades Médicas e Delegacia de Polícia). Disse, também, que o Executivo está pavimentando ruas e que asfaltará a ligação entre o Jardim América e a vila Santa Luzia.

Voltou a anunciar a retomada da UPA (unidade de pronto atendimento) e, como presente de aniversário ao município, anunciou o cumprimento de uma das promessas de campanha. “O Manu não aluga carro mais. Manu compra”, citou.

De acordo com ele, a Prefeitura deverá adquirir 21 novos veículos para a frota nos próximos dias. Serão dois automóveis Chevrolet Saveiro, dois Renault, dez Unos, seis Kombis e “outro automóvel”.

No desfile, a GCM levou à rua 11 de Agosto representantes de todos os grupamentos da corporação, incluindo o canil e as viaturas.

Na sequência, passaram os jovens matriculados no “Patrulha Mirim”, programa que tem início neste mês, e membros do grupo de escoteiros Goyotin. Vestidos a caráter, eles apresentaram equipamentos utilizados durante as instruções e gritos de guerra.

O tema musical “Tatuí, Capital de Todas as Músicas” ganhou destaque com a Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais). A instituição, que atende 288 pessoas em serviços de assistência – incluindo atividades de esporte e cultura –, desfilou com o tema “Tatuí em Uma Viagem Musical pela Índia”.

Já a Apodet (Associação dos Portadores de Deficiência de Tatuí) apresentou atividades desenvolvidas na sede da instituição, com referência especial ao atletismo paralímpico. Participaram deficientes visuais e membros da entidade, que oferece aulas de braile, computação e atividades esportivas.

Na educação infantil municipal, 12 escolas integraram o desfile e retrataram as canções de infância. As crianças vestiram roupas que remetiam às cantigas populares, como “A Barata Diz Que Tem”, “Sapo Cururu”, “Marcha Soldado” e “Nana Neném”.

“Fizemos esta abordagem porque as canções infantis fazem parte do repertório da infância e de todos nós”, afirmou a supervisora de ensino infantil, Ângela Roarelli.
Também pelo ensino infantil e pelo ciclo 1 do ensino fundamental, a Escola de Educação Infantil Ternura apresentou homenagem ao município. A instituição completou 38 anos de fundação e destacou a figura dos seresteiros.

A 16a atração do desfile, o Lar São Vicente de Paulo, levou para a 11 de Agosto o cururu. Violas, trajes caipiras foram incorporados pelos 50 participantes. Diretores, funcionários e voluntários da instituição participaram.

No carro alegórico, a interna Helena Tristão ganhou destaque com o universo artesanal. “Ela representa todos os demais assistidos que não puderam estar presentes. Ela faz as bonecas, os vestidos, que é a característica dela, com muita alegria”, descreveu o presidente do lar, Ivan Rezende.

O desfile teve continuidade com os integrantes do “Melhor Idade”, projeto da Prefeitura voltado à terceira idade. O grupo abordou o frevo como movimento musical.

Com sombrinhas coloridas e “muita animação”, os participantes apresentaram o ritmo ao longo do trajeto, que teve início na altura da rua Capitão Lisboa e término na rua Tamandaré (largo de São Roque).

“Gostei porque o desfile está bem organizado. As atrações estão passando uma atrás das outras. Daí, não cansa muito a gente que está assistindo”, disse Tereza Jesus Pereira à reportagem.

Tereza também acompanhou o desfile do Cosc (Centro de Orientação e Serviços à Comunidade), que apresentou mostra de atividades realizadas em projetos no Jardim Santa Rita de Cássia e na vila Esperança.

Exibindo bandeiras e faixas, os diretores da entidade abriram caminho para os jovens atendidos apresentarem ao público uma parte das ações de capacitação ministradas.

As meninas atendidas pelo Lar Donato Flores também ocuparam a rua 11 de Agosto. Vestidas com uniformes das empresas para as quais prestam serviços, elas são parte integrante do projeto “Lar Espaço Feliz”, participando de iniciativa de qualificação da instituição por meio do programa “Menor Aprendiz”.

O tradicional Cordão dos Bichos desfilou um pouco depois da “versão em miniatura” – o “Cordãozinho” da Creche Municipal “Joaquim da Silva Campos”, criado em 2010.

Ao todo, 25 crianças participaram do evento, que é, nas contas do presidente Pedro da Silva, o 85o desfile cívico do Cordão dos Bichos.

As 17 Emefs (escolas municipais de ensino fundamental) abordaram diferentes ritmos musicais e homenagens a diversas personalidades. Entre elas, o professor de educação física Jordão do Canto e Silva, falecido recentemente.

O destaque da “Accácio Vieira de Camargo” ficou com as atividades do PEF (Programa Escola da Família) e referência à professora e política Chiquinha Rodrigues.

A “Alam Alves de Araújo” e a “José Galvão Sobrinho” apresentaram temas musicais relativos ao município. A segunda dividiu as estrofes do Hino a Tatuí em faixas seguradas pelos alunos e professores.

Ritmos brasileiros, como samba, pagode e sertanejo, tiveram abordagem pela “Eugênio Santos”. A escola incluiu, ainda, participação de fanfarra, com direito a evolução dos componentes.

O desfile cívico seguiu com a “Eunice Pereira de Camargo” homenageando o “reggae”, e com a “Magaly Azambuja de Toledo” prestando reverência à seresta, com menção aos nomes de Luiz Gonzaga, Pixinguinha e Roberto Rosendo.

A temática da escola agregou o grupo Seresteiros Com Ternura, que desfilou sobre caminhão. Em frente ao palanque oficial, os músicos cantaram “Carinhoso”, sendo acompanhados pela equipe do cerimonial da Prefeitura.

A escola apresentou, ainda, fanfarra com participação de alunos como Mateus Messias Israel da Silva, 10. Ele toca corneta e ensaiou durante uma semana para participar.

O menino disse que experimentou “uma sensação diferente”. “É muito estranho vir aqui, tem um monte de gente olhando”, comentou.

Ritmo pernambucano, o frevo voltou a ser tema da Emef “Firmo Antonio de Camargo Del Fiol”. A escola também apresentou atividades desenvolvidas dentro do Programa Escola da Família, com pinturas “ao vivo”.

A “João Florêncio”, entidade centenária do município, apresentou homenagem ao compositor Vinícius de Moraes. Acompanhados de professores e direção, os alunos da fanfarra também executaram “Parabéns a Você”.

Com 900 alunos em dois turnos, a “José Tomás Borges” fez homenagem a Roberto Rosendo. A unidade de ensino também levou para a rua 11 as atividades do programa “Mais Educação”.

Apresentações de ritmos musicais seguiram com as escolas “Maria Helena Machado”, homenageando a Orquestra de Metais Lyra Tatuí; a “Lígia de Camargo Del Fiol”, apresentando a “dança das fitas”; e a “Mauro Antônio Fiusa”, com o cururu. A escola também lembrou o compositor Vinícius de Moraes.

O Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” teve destaque no tema apresentado pela “Maria Conceição de Oliveira Marcondes”. Os alunos da escola também mostraram atividades do “Mais Educação”.

A Emef “Sarah de Campos Vieira dos Santos” abordou a catira, dança do folclore brasileiro. Grupos de alunos vestidos “a caráter” desfilaram pela 11 de Agosto.

O Nebam (Núcleo de Educação Básica Municipal) “Ayrton Senna da Silva” abordou o samba, com os blocos “Nega Maluca”, “Os Malandros”, “África”, “Carnaval” e “Samba Brasileiro”, além de carnavalescos tatuianos convidados. Entre eles, Amado, Paulo Vagalume, Vadô, Flávio e Michele Rolim.

Os cinco desfilaram em caminhão. Já no chão, a escola trouxe o grupo “Leva Neguinho”, representando o samba tatuiano e recebendo elogios da plateia.
“Sempre que podemos, comparecemos. Gostamos de assistir porque é uma homenagem à cidade, ao povo de Tatuí”, disse Claudinei de Moraes.

O erudito ganhou destaque no desfile com participação da Emef “Teresinha Vieira de Camargo Barros”. A escola prestou homenagem ao maestro e compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos, com o tema “Villa-Lobos para Crianças”.

O evento cívico prosseguiu com participação de componentes do “Arte pela Vida”, projeto social da Comunidade Missionária Recado. O projeto apresentou mostra de trabalho musical integrado à comunidade do Jardim Lírio.

Notas musicais figuraram caminhão e fantasias vestidas por alunos do Colégio Adventista de Tatuí. Em seguida, desfilaram integrantes do Grupo de Desbravadores, com fanfarra e um dos maiores em número de componentes.

Já o Colégio Ideal abordou a cultura afro-brasileira – mesmo tema abordado pela FIP (Faculdade Ideal Paulista). O Colégio Objetivo e a Unip (Universidade Paulista) deram sequência ao desfile de entidades particulares.

Após, a Escola do Sesi apresentou a “Lenda da Tarantela”, incluindo participação de parte dos 1.100 alunos na fanfarra. Eles também apresentaram diversos programas do CAT (Centro de Atividades) “Wilson Sampaio”.

A Escola Estadual “Chico Pereira” marcou a “maior diversidade” dentro de um mesmo tema: o “rock’n’roll”. Ela mostrou a “evolução” do ritmo musical, desde os anos 50 até atualmente.

Com roupas típicas de cada época, os alunos mostraram os diferentes estilos de rock. Além de um Elvis Presley e de um “cupido” (em alusão à música “Estúpido Cupido”, lançada no Brasil em 1960), a escola teve como atração uma lambreta de 1952 e um caminhão alegórico, com ícones como Axl Rose (da banda de “heavy metal” Guns N’Roses) e Freddie Mercury (Queen).

“Nós elegemos o rock devido a ter muitos alunos que gostam e serem adeptos”, explicou o professor da “Chico Pereira” Ismael Cleto. A escolha do tema agradou Hernani José da Costa Júnior, que acompanhou o desfile cívico até às 13h.

“Todo o ano, arranjo um tempinho para vir. Faço isso porque gosto bastante. A cada ano tem uma inovação, trazem mais atrações, mais escolas”, observou.

O evento seguiu com participação de integrantes do clube de motos “Tatus do Asfalto” e da Escola Estadual “Barão de Suruí”.

Também desfilaram, equipes da Femague (Fundação Educacional “Manoel Guedes”) e membros do Lions Clube, Rotary Club de Tatuí, Rotary Clube de Tatuí “Cidade Ternura” e Rotaract.

O esporte tatuiano teve representação com participação da Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude – homenageando o professor Jordão do Canto e Silva -, da Associação Atlética XI de Agosto; do Clube de Campo; e de dragões chineses levados ao desfile pela Academia Núcleo 7 Esferas do Tao.

A Fama (Banda Marcial Municipal de Atibaia), da cidade de mesmo nome, teve participação na sequência. Os músicos convidados executaram canções conhecidas do público. Entre elas, “Não Quero Dinheiro”, de Tim Maia.

Atração musical do município, a Orquestra de Metais Lyra Tatuí teve performance acompanhada em pé. Sob a regência do maestro Adalto Soares e coordenação de Sílvia Soares, os músicos apresentaram “Batuque”, de Lourenço Fernandes, e “Cantos Nordestinos”, de Gilberto Gagliardi.

A solenidade terminou com a passagem dos veículos antigos, pertencentes aos integrantes do Antigomobilismo de Tatuí, de membros de clubes de motos, do grupamento montado de Itapetininga e de cavaleiros e muladeiros de Tatuí.


Publicidade