Aeroclube recebe 110 escoteiros em atividade com participação da FAB

243
Publicidade
Siltec





Grupo de Escoteiros Santana

Escoteiros de duas cidades participaram de evento no Aeroclube

 

Nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro, o Aeroclube de Tatuí recebeu escoteiros de duas cidades para acampamento de final de ano. A atividade atraiu crianças dos grupos escoteiros Tupancy, de Tatuí, e Santana, de Sorocaba, e contou com participação especial da FAB (Força Aérea Brasileira).

Segundo informou o aeroclube, 110 pessoas (com idades entre 7 e 8 anos de idade) compareceram ao evento. Entre elas, lobinhos, escoteiros, tropa sênior e guia.

Publicidade
Siltec

Também participaram chefes de escoteiros de ambos os grupos e “todos os alunos, pilotos e instrutores do Aeroclube de Tatuí”. Esses últimos, orientaram os meninos e meninas nas atividades aeronáuticas desenvolvidas nos dois dias.

O destaque ficou por conta do avião C-95 “Bandeirante”, do 4º ETA (Esquadrão de Transporte Aéreo), Esquadrão “Carajá”, da FAB. A aeronave é tripulada pelo primeiro-tenente Rodrigo Vilar Falleiro, pela segundo-tenente Natália Saraceni Maciel (a primeira oficial aviadora mulher do 4º ETA) e pelo terceiro-sargento Vilela, da Base Aérea de Cumbica, em Guarulhos.

De acordo com o aeroclube, o acampamento teve como objetivo proporcionar aos escoteiros um contato mais próximo com aviões e planadores. A atividade proporcionou aos participantes conhecimentos sobre as especialidades denominadas “aprendiz de planador” e “técnica aeronáutica”.

Em material enviado a O Progresso, o chefe escoteiro Airton Vieira Torres, do grupo de Sorocaba, afirmou que o evento possibilitou “uma visão de carreira na aviação”. Para muitos, principalmente para os escoteiros mais novos, ele disse que a atividade representou “o primeiro contato com um avião”.

A aeronave “visitada” pelos escoteiros é utilizada em missões de transporte de cargas, tropas, lançamento de paraquedistas e treinamentos. Nos “tempos de paz”, o avião C-95 é tripulado para missões humanitárias, em ajuda humanitária. Como exemplo, o primeiro-tenente da FAB citou o auxílio à cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, por ocasião do incêndio na boate “Kiss”.

Durante as atividades, os escoteiros receberam informações sobre segurança aeroportuária, meteorologia e formação de nuvens. Também aprenderam sobre limites dos planadores e aviões e obtiveram noções sobre realização de inspeção pré-voo nos aviões de planadores, auxílio na decolagem e pouso.

O presidente da FBVV (Federação Brasileira de Voo a Vela), Antoniebi Vieira Torres, afirmou em nota que a federação “apoia ações de integração entre o aeroclube e a sociedade”. Para ele, esse tipo de atividade possibilita às pessoas o “primeiro contato com a aviação e com a profissão de piloto, civil ou militar, fomentando a cultura aeronáutica, de modo geral, entre a comunidade”.

Também por meio de nota, o presidente do Aeroclube de Tatuí, Cesar Augustus Mazzoni, disse que o acampamento – este ano na segunda edição – “fomenta o lado social” da instituição. Segundo ele, a atividade proporciona aos participantes conhecimento básico de aeronáutica, além de contato com aviões e planadores.

Ainda segundo Mazzoni, a ideia é, também, “possibilitar à comunidade um contato mais estreito com a aviação civil e a profissionalização da carreira de piloto”, por meio do Aeroclube de Tatuí.

O espaço é citado como referência na prática de aviação civil no Brasil. Conforme Mazzoni, o aeroclube possui “excelência na qualidade do ensino dos voos” e “excelentes condições meteorológicas, de infraestrutura e de equipamentos de voo, sendo considerado por todos como uma ‘joia’ da cidade”.

Interessados em conhecer o Aeroclube de Tatuí, conversar com os pilotos e obter mais informações sobre a profissão, podem comparecer à secretaria do espaço. O endereço é a Avenida dos Aeronautas, sem número, com atendimento de quarta a domingo, das 9h às 18h. O telefone para contato é o (15) 3251-4368.


Publicidade
Siltec