7ª Feira do Doce ‘gera’ 250 empregos

    Secretário afirma que, em média, cada expositor contratou cinco temporários

    427
    Feira do Doce é considerada o maior evento do segmento no interior paulista (foto: Eduardo Domingues)
    Publicidade
    Alessandra Bonilha, dra
    Siltec

    A edição 2019 da Feira do Doce, que aconteceu na Praça da Matriz, de sábado, 6, até terça-feira, 9 – feriado da Revolução Constitucionalista no estado de São Paulo –, gerou, em média, 250 empregos temporários.

    A estimativa foi dada pelo o secretário municipal do Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude, Cassiano Sinisgalli, durante o encerramento da sétima edição do evento.

    Sinisgalli comentou que os expositores fizeram uma média de cinco contratações temporárias de funcionários para trabalharem durante a Feira do Doce. Conforme a informação do secretário, foram gerados, ao todo, cerca de 250 empregos temporários.

    Considerado o maior evento do interior paulista do segmento, a feira é realizada pela Aprodoce (Associação dos Produtores de Doce de Tatuí), por meio da prefeitura e da Secretaria de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude, com apoio de empresas e instituições parceiras.

    Na abertura oficial, com a presença de dezenas de autoridades locais, regionais e de patrocinadores da feira, a prefeita Maria José Vieira de Camargo afirmou que a expectativa seria de 90 mil pessoas, durante os quatro dias, movimentando o comércio local e trazendo mais divisas ao município.

    Publicidade
    Siltec
    Alessandra Bonilha, dra

    A chefe do Executivo ressaltou que a Feira do Doce se trata do maior evento do segmento no interior paulista e que o município é uma referência em doces caseiros.

    Maria José também abordou a certificação do “Prêmio Mário Covas – Sebrae Prefeito Empreendedor 2017/2019”, na categoria Políticas Públicas para Desenvolvimento de Pequenos Negócios, que ela recebera no mês de maio.

    O motivo da premiação foi, justamente, a profissionalização da Feira do Doce, que passou a ter, entre outras coisas, a formalização dos doceiros como microempreendedores individuais – inclusive, com cursos gratuitos de capacitação.

    “Antes, era ‘Festa do Doce’ e, hoje, é a Feira do Doce. A profissionalização do evento teve o objetivo de fomentar o empreendedorismo dos produtores de doces e de promover a cidade turisticamente”, acentuou.

    Durante a abertura da festividade, Sinisgalli agradeceu à prefeitura, ao Poder Legislativo, aos patrocinadores e aos integrantes da secretaria municipal, “por não enxergarem a Feira do Doce como um gasto, mas como um investimento”.

    Conforme a pasta, durante a feira do ano passado – que, pela primeira vez, teve quatro dias de duração –, os expositores somaram a venda de 190.396 unidades, o que garantiu renda bruta de, aproximadamente, R$ 600 mil.

    O secretário reforçou a importância do evento e do valor a ser arrecadado. Sinisgalli assegurou que a feira é realizada para valorizar os produtores locais e, através do Festival Capital da Música “Maestro Antônio Carlos Neves Campos”, a música – “maior bem cultural tatuiano”, assegurou.

    No encerramento da 7ª Feira do Doce, na noite de terça-feira, os 50 produtores de doces e Sônia Maria Ribeiro da Silva, presidente do Fusstat (Fundo Social de Solidariedade de Tatuí), subiram ao coreto da Praça da Matriz para receberem um certificado e um troféu pela participação na edição 2019.

    Durante a cerimônia, a prefeita Maria José aproveitou para agradecer aos profissionais da secretaria de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude e às secretarias de apoio, Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), Aprodoce, ACE (Associação Comercial e Empresarial) de Tatuí, Polícia Militar, Guarda Civil Municipal, Demmut (Departamento Municipal de Trânsito) e outros parceiros.

    “Foram meses de projetos, dias longos de trabalho e treinamentos, com seminários e reuniões. Tudo perfeito, dias de música e muita ternura, de novas oportunidades e bons negócios”, destacou.

    Maria José também parabenizou todos os expositores e a população, “pela recepção e acolhida dos turistas que vieram ao município”.

    “Turismo que gera emprego e renda! Tatuí recebeu visitantes de toda a região, da Grande São Paulo e de outros estados”, assegurou a prefeita.

    Já Sinisgalli garantiu ter certeza de que “foi a melhor Feira do Doce de todos os tempos”. “Estamos à frente da pasta há três anos, mas nunca vi o que aconteceu nesses quatro dias de feira”, salientou o secretário.

    Ele destacou o título de MIT (município de interesse turístico) da cidade. Segundo ele, a edição 2019 da feira evidenciou, mais uma vez, o potencial turístico de Tatuí.

    De acordo com ele, isso mostra a razão da luta para que Tatuí se torne estância turística. “Não é um sonho. Nós temos os melhores doces caseiros, os melhores agrupamentos musicais e, ainda, temos um diferencial: a cidade que acolhe muito bem os turistas”, apontou.

    Por fim, Sinisgalli confessou ter um grande desafio para a próxima edição da feira, em 2020: “Agora, nós temos uma preocupação maior para o ano que vem, que é fazer uma Feira do Doce melhor do que esta”.

    Publicidade
    Siltec
    Alessandra Bonilha, dra