Mutirão de castração em bichos de estimação tem inscrições abertas

463
Publicidade





David Bonis

Sexta etapa do evento vai castrar 250 animais de estimação

 

Até sexta-feira, 17, continuam abertas as inscrições ao mutirão de castração de cães e gatos realizado pela Secretaria Municipal da Saúde. Esse será o sexto evento do ano voltado ao procedimento.

Apenas em 2014, o mesmo evento já aconteceu, de acordo com a secretária da Saúde, Cecília Oliveira França, no Jardim Tókio, na vila Angélica, no Santa Rita, no Rosa Garcia e no centro da cidade.

Publicidade

Para participar, é preciso passar pelo processo de inscrição, aberto desde a segunda-feira, 13. Ela deve ser feita apenas na creche “Maria Ruth Luz”, localizada na rua Renato Pasqualotto, 385, no Jardim São Conrado, das 8h às 16h.

É necessário levar um comprovante de endereço e um documento de identidade do proprietário do animal. Existe a necessidade dos documentos porque apenas os moradores dos seis bairros contemplados pela sexta etapa da iniciativa poderão participar do mutirão.

Os bairros que fazem parte são: Jardim América, São Conrado, Santa Luzia, Tomaz Guedes, Vale da Lua e vila Primavera.

Os bichos que receberão as esterilizações devem respeitar apenas três critérios definidos pela Secretaria da Saúde: terem entre quatro meses e oito anos; serem saudáveis, pois receberão anestesia; e no dia marcado para o procedimento, serem levados de forma que não representem risco às pessoas e bichos que estiverem no local.

Isso significa que os gatos devem estar dentro de sua respectiva gaiola e os cães, presos com coleiras e usando focinheiras.

No momento da inscrição, não é necessário levar o bicho de estimação. A recomendação é levá-lo apenas no dia do procedimento cirúrgico. Devido à demanda, a Secretaria da Saúde dividiu a realização das cirurgias em dois dias.

Elas acontecerão no sábado, 18, e domingo, 19, na creche “Maria Ruth Luz”. O objetivo da pasta é realizar, ao todo, 3.500 castrações entre todos os mutirões, que devem acontecer também em 2015. Contudo, o próximo evento ainda não tem data definida.

A sexta etapa do mutirão, no entanto, realizará no máximo 250 procedimentos. Ao todo, 200 fêmeas – entre cães e gatos – e 50 machos das duas espécies passarão pelo processo de esterilização.

Isso não significa que os procedimentos serão realizados em número igual entre cães e gatos. Não há uma quantidade exata de quantos procedimentos serão realizados em cada espécie. Por exemplo, cem gatas e cem cachorras passarão pelo processo, dependendo do perfil dos bichos inscritos.

Mas, também, há outra variável: o gosto do cidadão tatuiano por cães. Há, em Tatuí, aproximadamente 25 mil cachorros e 5.000 gatos, de acordo com dados disponibilizados a O Progresso pela secretária de Saúde, com base nos números de animais de estimação vacinados na cidade.

Ainda segundo a titular da pasta, é comum nos mutirões de castração a realização das esterilizações mais em cachorros que em gatos. “Isso mostra um pouco até do perfil de animais que os moradores da cidade gostam”, completa Cecília.

Ao todo, participarão 22 pessoas da sexta etapa do mutirão de castração. Desse total, apenas 12 são funcionários ligados à Secretaria da Saúde. O restante serão os profissionais ligados à empresa contratada pelo Executivo para realizar os procedimentos.

A Prefeitura desembolsará R$ 13,8 mil à empresa contratada, via concorrência, para realizar as castrações. Segundo números do contrato, o Executivo municipal pagará por cada castração realizada. Contudo, os valores para castrar machos e fêmeas são diferentes.

Cada procedimento cirúrgico em fêmeas – de cães e gatos – custará R$ 60. As castrações em machos das duas espécies vão custar R$ 36.

“A adesão aos mutirões de castração é muito grande. A expectativa da população para esse evento é boa, o que faz a procura ser bastante grande”, observou a secretária.

Para ela, a participação nesse tipo de evento é “um ato de amor para com os bichos de estimação e de responsabilidade com a saúde pública municipal”. Isso porque ela entende que a castração é uma forma de evitar possíveis problemas existentes em decorrência da falta de cuidado com os bichos.

Segundo ela, o procedimento controla a natalidade dessas duas espécies, o que ajuda a evitar abandonos e controlar possíveis doenças provenientes dos animais que possam afetar os cidadãos.

“O que é muito importante nesse processo é a cria indesejável, que acaba repercutindo no abandono dos bichos. Quando há uma cria indesejável, eles acabam colocando os animais na rua. Aí, acontece uma mordida, ou o caso de uma doença que possa ser transmitida, e acaba vindo tudo para a saúde pública. A castração é um processo de prevenção, que sai mais barato que tratar o problema no futuro”, conclui a secretária da Saúde sobre o projeto de castração.

O projeto faz parte do programa de proteção de animais desenvolvido pela pasta. Além dos procedimentos cirúrgicos, há outras iniciativas previstas.

Entre elas, estão a realização de feiras de adoção de bichos e a promoção de palestras em escolas e empresas locais a partir do ano que vem, com vistas a ajudar a conscientizar a população quanto à importância de não abandonar os animais de estimação.

Nas feiras de adoção, a ideia é fazer com que o munícipe que adotar um bicho assine um termo de compromisso de que não abandonará o animal.

Nas palestras, o objetivo é levar informação às crianças, sobretudo porque elas são parte “importante na escolha de uma família sobre adotar ou não um bicho de estimação”, de acordo com Cecília.


Publicidade