Mulher ‘some’ por 12 horas e afirma ter sido sequestrada

334





Uma comerciante registrou ter sido vítima de sequestro na tarde de sexta-feira, 20. O marido dela, um gerente, efetivou boletim de ocorrência de sequestro e cárcere privado da esposa, às 23h22 desse dia.

Conforme o BO, o homem, que convive com a mulher há mais de 20 anos, afirmou que a comerciante desapareceu por volta das 15h, “sem deixar notícias”.

A mulher teria saído de casa com o veículo do casal, posteriormente encontrado pelo padrasto da vítima em um trecho que liga o local onde a mulher mora com a entrada da cidade. As portas estavam travadas e o alarme, acionado.

Segundo o BO, o marido afirmou que há algum tempo a esposa estava recebendo constantes ameaças por mensagens pelo telefone celular.

O homem afirma que todas as mensagens foram enviadas de um único número, encaminhado para investigação na Delegacia Central.

De acordo com o BO, várias tentativas de contato com a vítima foram feitas por meio de telefone, mas os policiais não obtiveram êxito.

Ainda segundo o BO, sob a coordenação da Delegacia de Polícia, diligências foram empreendidas baseadas em suspeitas apresentadas pelo marido. Porém, a equipe policial também não conseguiu respostas sobre o paradeiro da vítima até a madrugada de sábado, 21.

Outro BO foi registrado, às 5h24 de sábado, em que policiais militares apresentaram a comerciante na Delegacia de Polícia.

Conforme o BO, a mulher foi vítima de sequestro na sexta-feira, 20. Na madrugada do dia seguinte, às 3h20, foi deixada próximo à avenida Pompeo Reali, onde pediu ajuda em um mototáxi para acionar a PM.

Policiais foram ao local e encaminharam a mulher ao pronto-socorro, onde foi liberada e encaminhada à delegacia. Ela afirmou, somente, ter sido sequestrada e deixada na rua.