Motoristas terão prazo para adaptarem-se a novas regras

386
DMMU está avaliando sinalização para trocar placas na cidade toda (foto: Cristiano Mota)
Publicidade

Uma vez regulamentados o horário de circulação de caminhões e a rota permitida, o DMMU deverá iniciar a fase de fiscalização. O diretor do departamento, Yustrich Azevedo, antecipou que o órgão vai estabelecer um “ponto inicial” que, em tese, não existe, a partir da definição do regramento de circulação.

“O próprio agente de trânsito vai saber qual tipo de veículo tem autorização para circular em determinada região da cidade. Só de olhar, vai saber se o motorista estará errado ou não”, sustenta Azevedo.

Ele acrescenta que os condutores terão prazo para se adaptarem às novas regras. Contudo, Azevedo diz que o órgão ainda não definiu quando começarão a vigorar e qual é a data limite para que as multas sejam aplicadas.

A intenção do órgão é, inicialmente, começar uma campanha de divulgação. O diretor informa que o órgão pretende explicar não só para os caminhoneiros, mas para toda a população, o que mudou e como se darão as fiscalizações.

“Queremos fazer passar na mídia, primeiro, as informações e, em paralelo, vamos distribuir panfletos no município, tanto nos locais de circulação dos veículos como nas reuniões e com os próprios transportadores”, acrescentou.

Publicidade

As orientações serão direcionadas também ao comércio, que, conforme o diretor, precisará se adaptar às mudanças. Azevedo lembra que o período permitido para carga e descarga, na cidade, é das 19h até às 9h.

“Ocorre que o comércio abre a partir das 9h. Então, os empresários terão de ter um novo condicionamento referente ao horário permitido para receber mercadorias”, argumentou.

Apesar de já valer em Tatuí, Azevedo afirma que o horário permitido de carga e descarga não é cumprido como deveria. O diretor alega que o órgão tem pouco efetivo e, como não teve condições de fiscalizar por “muito tempo”, a prática de carregamento e descarregamento fora de horário tornou-se um “hábito”.

“É justamente contra essa irregularidade que estaremos em cima, cobrando para que tenha uma regulamentação e para que as pessoas não deem de cara com um caminhão no centro da cidade e, principalmente, em horário de pico”.

Para a efetiva fiscalização, o DMMU espera contar com apoio da população. O diretor avalia que, uma vez orientada sobre as restrições de circulação e horário, os próprios cidadãos poderão acionar o departamento.

Azevedo aponta que o órgão sempre recebe telefonemas com denúncias de flagrantes de estacionamentos irregulares ou paradas em local proibido. Com a regulamentação, ele espera que haja contribuição também com a questão dos caminhões. As informações serão checadas pelos agentes de trânsito.

Os “amarelinhos” contarão, ainda, com outro recurso providenciado pela Prefeitura, que está renovando a sinalização. “Isso é muito importante, porque já dá para ter uma noção, mais ou menos, do que pode ou não, pelas placas verticais”, argumentou Azevedo.

Atualmente, o departamento está realizando um levantamento sobre a quantidade de placas que serão adquiridas. O objetivo da renovação é “sinalizar bem a cidade”. A troca acontecerá dos bairros para o centro. “Vamos sinalizar por completo e de fora para dentro da cidade”, antecipou.

Publicidade