Michele Vaz dará continuidade ao trabalho iniciado por Jr. Vaz na CM

90
Micheli Vaz, eleita com 663 votos e estreante na Câmara (foto: Diléa Silva)
Publicidade
Da reportagem

A vereadora Micheli Cristina Tosta Gibin Vaz, a Micheli Vaz, do PP (Partido Progressista), assumiu o primeiro mandato, em 1O de janeiro de 2021, como a quarta mulher mais votada nas eleições de 2020 para a Câmara Municipal.

Em entrevista a O Progresso, a vereadora – que é comerciante, assistente social, perita judicial e pós-graduanda em políticas públicas – falou sobre o resultado das eleições, os projetos que pretende apresentar ao longo da gestão 2021/2024 e como deve trabalhar.

Micheli nasceu na cidade de Gaúcha (PR). Casou-se com o ex-vereador Luís Donizetti Vaz Júnior, o Júnior Vaz, há 22 anos, com quem tem dois filhos: Ana Laura (16 anos) e Leonardo (10 anos). É estreante na Casa de Leis.

Esta é a primeira vez que Micheli participa do pleito como candidata a vereadora. Nas eleições ocorridas em novembro de 2020, ela recebeu 663 e foi uma das quatro mulheres eleitas para a nova legislatura.

A vereadora conta que entrou para a política seguindo o exemplo do sogro, Luís Donizetti Vaz, que foi vereador por dois mandatos, e o esposo, que também ocupou cadeira do Legislativo por dois mandatos.

Publicidade

“Senti que houve a necessidade de dar continuidade no trabalho iniciado por eles. Como temos outras ideias e projetos para seguir, me candidatei para continuar militando pelo município”, disse a vereadora.

Ela aponta que sempre foi envolvida na vida política do marido e se identificou com a causa. “Achei muito importante a atuação dele, e vi a necessidade de dar continuidade neste trabalho”, reforça.

Para ser eleita, Michele conta que teve apoio de amigos, pastores, dentistas, advogados, comerciantes, médicos, parentes e eleitores de vários segmentos, contudo, sustenta ter ficado surpresa com o resultado da eleição dela.

“Decidi me candidatar apenas três meses antes da eleição, e achei que fui muito bem votada. Foi muito gratificante para mim, pois, quando sai, não tinha certeza se seria eleita. Tem pessoas que lutam anos para conseguir, e eu consegui de imediato. Então, fiquei muito feliz”, declara a vereadora.

Além do apoio, Micheli classifica o resultado como um reflexo do trabalho que ela apontou estar realizando no setor social e ao que foi feito pelo marido durante o mandato na Câmara.

Ela aponta ser membro da Igreja O Brasil para Cristo, atuando há 18 anos como líder do movimento de mulheres denominado Ufebrac, que tem representação em quase todos os bairros da cidade. Além disso, atua como voluntária em comunidades terapêuticas e entidades sociais e conselhos municipais.

“Também trabalhei na Caixa Econômica, fui a primeira assistente social da Santa Casa de Tatuí, sendo a primeira da UTI e do hospital”, destaca.

“Atuei na Apae de Capela do Alto e, desde 2013, venho atuando como perita judicial em serviço social quando solicitada pelas varas do município. As pessoas conhecem meu trabalho e mostraram isso nas urnas”, acrescenta Micheli.

Para a vereadora, o resultado das eleições de 2020, com a renovação de mais de 70% dos vereadores, mostra “que o eleitor está desacreditado da política atual”. “Até porque, nesta eleição, a soma das abstenções, votos brancos e nulos foi muito expressiva”, observa.

Micheli ainda disse acreditar que a nova composição da Câmara, com a eleição de quatro mulheres na mesma legislatura, “vai dar mais representatividade para a sociedade”.

“Cada vez mais a gente vê as portas se abrindo para as mulheres em vários setores, e a política é um deles. A população está pedindo uma nova política e está pedindo a participação das mulheres na Casa de Leis”, assegura.

Na Câmara, Micheli diz pretender “lutar para a geração de empregos no município”. Segundo ela, um dos projetos neste sentido visa buscar melhorias nas leis de incentivo fiscal voltadas às empresas.

“O município precisa gerar emprego para que as pessoas possam sair da situação de vulnerabilidade. Entendo que, para novas empresas se instalarem em Tatuí, precisamos oferecer incentivos e ter condições para recebê-las”, acentua a vereadora.

Como continuação do projeto de incentivo às empresas, Micheli apontou outras ações de reestruturação no município, as quais garante que irá “fiscalizar e cobrar do Poder Executivo”.

“Para atrair empresas, precisamos de um sistema de saúde que funcione, além de creches com maior número de vagas, transporte público de qualidade e com mais linhas percorrendo toda a cidade, inclusive com mais destinos à UPA, e outras ações que pretendo incentivar”, elenca a vereadora.

Conforme Micheli, na área social, um dos projetos que pretende apresentar na Casa de Leis objetiva maior atuação da cidade em defesa das crianças, adolescentes, idosos, mulheres, pessoas com deficiência e dependentes químicos.

“Também buscarei a fiscalização para que as leis existentes funcionem, e apoio aos conselhos municipais, para que tenham condições de prestar o melhor atendimento a esses grupos”, declara.

Outro projeto da vereadora prevê o “fortalecimento” das entidades do terceiro setor. “As entidades prestam um serviço relevante para a cidade, e elas são um braço forte de trabalho junto ao Executivo. Por isso, precisam de mais apoio”, destaca a vereadora.

Na área de educação, Micheli conta que uma das propostas dela é alterar o método de contratação dos profissionais, apresentando uma lei para a exigência de concurso público ao cargo de diretor de escola.

“Hoje em dia, esse importante cargo do setor educacional é nomeado pelo Executivo. E, atendendo ao pedido de vários servidores da Educação, vou lutar para que a contratação do cargo de diretor seja como os outros, por meio de concurso”, reforça a parlamentar.

Micheli ainda diz ter projetos para a implantação de políticas públicas voltadas à saúde física e emocional da mulher, além de trabalhar pelo “combate incansável à corrupção, por meio de uma das atribuições do vereador, a fiscalização”.

Para finalizar, a vereadora agradece aos apoiadores da campanha, familiares, amigos e políticos, destacando o apoio do deputado federal Guiga Peixoto, o qual, acentua, “repassou mais de R$ 7 milhões em recursos para o município”.

“Por todo este apoio, me sinto preparada para esse novo desafio. Principalmente, porque obtive algumas experiências acompanhando o trabalho do meu sogro – inclusive, como presidente da Câmara – e do meu marido”, completa Micheli.

“Quero aproveitar para convidar, convocar e incentivar a todas as mulheres que desejam fazer parte do meu mandato, de diversas formas, com ideias, projetos, sugestões e críticas. Podem me contatar por meio das redes sociais, que terei o prazer de ouvir e conhecer”, conclui a parlamentar.

Publicidade