“Meu foco é buscar novas vagas de trabalho para o povo”, diz João JJ

Vereador estreante fala sobre o trabalho que desenvolve na Casa de Leis

174
Vereador João Francisco de Lima, João JJ, é um dos 13 estreantes na Casa de Leis (Foto: Diléa Silva)
Publicidade
Da reportagem

Empossado no cargo de parlamentar há quase quatro meses, o vereador João Francisco de Lima Filho, conhecido como João JJ, do partido Cidadania, afirma ter como prioridade a geração de vagas de emprego para os munícipes.

Em entrevista a O Progresso, o vereador falou sobre o resultado das eleições ocorridas ano passado e apontou assuntos que ele vê como prioritários para serem incluídos nas pautas da Câmara Municipal na gestão 2021/2024.

“Todos têm o objetivo de vencer quando entram em uma disputa eleitoral, mas foi muito gratificante ser eleito nesta cidade que me acolheu ainda jovem, e estar entre os estreantes da Casa Leis, trazendo uma nova política para o município”, iniciou.

O parlamentar recebeu 776 votos na disputa eleitoral de novembro de 2020 e assumiu o primeiro mandato no Poder Legislativo no dia 1º de janeiro de 2021. Ele engrossou a lista dos 13 estreantes da Casa de Leis – composta por 17 vereadores.

Filho de João Francisco de Lima e Maria Gardina de Lima, o político nasceu em São Geraldo do Baixio, em Minas Gerais, onde viveu até a juventude. Lá, exerceu atividades como trabalhador rural, no sítio da família.

Publicidade

Aos 20 anos de idade, em dezembro de 1990, Lima decidiu deixar o estado mineiro e vir para a capital paulista. No início, trabalhou na RMSP (Região Metropolitana de São Paulo) como servente de pedreiro. Passados alguns dias, mudou-se para Tatuí à procura de uma vaga de trabalho na Lopesco (atualmente desativada). Trabalhou na unidade de 13 de janeiro de 1991 a 27 de março de 1994.

Na “Capital da Música”, Lima conheceu a esposa, Maria Zenide Almeida, com quem se casou em janeiro de 1994 e teve duas filhas: Daniela Almeida de Lima (25 anos) e Gabriela Almeida de Lima (21 anos).

Em maio de 1995, ele conseguiu uma vaga na Rontan, no setor de fundição. Trabalhou lá até o ano de 2000, quando a empresa se dividiu e Lima acabou transferido para a FBA (Fundição Brasileira de Alumínio), onde trabalha desde então.

“Apesar de não ter nascido aqui, tenho imenso orgulho de ter me estabelecido em Tatuí. A cidade me acolheu como filho, fazendo jus ao nome de ‘Cidade Ternura’, e foi aqui que constitui minha família”, disse Lima.

Segundo o vereador, também nas “terras tatuianas” é que nasceu a “vocação para a política e os interesses pelos assuntos da comunidade”. “A política sempre esteve presente na minha vida, sempre gostei, mas aqui que a ideia floresceu”, contou o vereador.

“Foi aqui que conheci meu grande amigo e companheiro de trabalho, Ronaldo José da Mota, ex-vereador e presidente do Sindicato dos Metalúrgicos e foi ele que me influenciou a entrar na vida política”, afirmou Lima.

Conforme o parlamentar, por meio de convite do presidente sindical, a primeira disputa eleitoral que participou foi quando se candidatou como diretor do Sindicato dos Metalúrgicos, em 2003, ocasião na qual foi eleito como um dos diretores. Depois disso, elegeu-se presidente do Clube de Campo de Tatuí (de 2016 a 2020).

O parlamentar, que é vice-presidente do partido Cidadania em Tatuí, também disse ter aceitado a candidatura, em 2020, a convite de Mota. Segundo Lima, o amigo sindicalista decidiu não disputar as eleições, após ter exercido três mandatos na Casa de Leis.

“Sempre gostei de política, mas até então, eu nunca tinha pensado em participar de uma campanha eleitoral, embora eu já fosse filiado no PPS (Partido Popular Socialista) – que depois se tornou Cidadania. Mas quando o Ronaldo resolveu não disputar a eleição, acabou me incentivando”, disse o vereador.

“Tudo aconteceu de surpresa. O sindicato apoiava o Ronaldo e eu nunca tinha pensado em ser candidato, até porque, toda a base apoiaria o presidente. Contudo, chegou um ponto que ele não quis mais ser candidato a vereador e começou a me incentivar a buscar o cargo”, acrescentou.

Lima disse ter recebido apoio do amigo e ex-vereador “em todos os momentos” e credita a conquista da cadeira no Legislativo ao trabalho anteriormente realizado pelo sindicalista na Câmara.

“Acredito que tudo o que eu fiz no sindicato, junto com o trabalho do Ronaldo, refletiu na minha eleição. Fiquei muito feliz com o resultado, ainda mais por estar disputando o meu primeiro pleito”, ressaltou Lima.

O parlamentar ainda classificou a votação que conquistou como um número “expressivo” para a primeira disputa eleitoral, principalmente, “por ter feito uma campanha simples e com poucos recursos”.

“Eu acredito que foi uma campanha muito difícil, para mim e para os outros vereadores que participaram, por conta da pandemia. Tivemos que trabalhar de uma forma diferente, sem muito contato com o público, mas o resultado veio”, enfatizou o vereador.

Sobre as ações que pretende realizar na Câmara, Lima preferiu não elencar projetos, contudo, ele destaca que, além de fiscalizar o Executivo, tem como “bandeira” a geração de emprego e renda para a população tatuiana.

“Como sou diretor do Sindicato dos Metalúrgicos, tenho buscado junto às empresas, de um modo geral, a geração de emprego. Acho que o emprego é essencial. Para mim, ele é o assunto mais importante. Acredito que é através do trabalho que conseguiremos recuperar a economia”, comentou o parlamentar.

Conforme Lima, além de buscar a geração de novas vagas de emprego, é necessário capacitar os trabalhadores tatuianos com cursos de qualificação para que possam oferecer a mão de obra qualificada.

Nesta linha de atuação, o vereador assinou, neste mês de março, o requerimento 644/21, solicitando apoio da prefeitura para promover curso de formação de soldadores. O documento foi protocolado na Casa de Leis com apoio de outros seis parlamentares.

Segundo Lima, o pedido foi feito após uma visita às futuras instalações da Noma do Brasil Ltda., em Tatuí, ocorrida no dia 10 de março, por ocasião do anúncio da retomada das obras de construção da fábrica.

Conforme Marcos Noma, presidente da fabricante de carretas para caminhões, os trabalhos na unidade tatuiana, localizada à margem da rodovia Antônio Romano Schincariol (SP-127), serão retomados neste semestre e a previsão de conclusão é de 18 meses.

Segundo anunciado, a nova fábrica permitirá elevar em 70% a capacidade de produção da empresa. Atualmente, a Noma consegue montar 31 unidades por dia na fábrica em Sarandi, subdistrito de Maringá (PR), sede da companhia, e busca elevar para 54 unidades diárias a capacidade total.

“Espero que meu trabalho como vereador seja para trazer uma contribuição para a melhoria da qualidade de vida dos tatuianos. Para isso, meu foco é contribuir para que mais empresas venham para a cidade e com isso tragam mais esperança aos nossos cidadãos em tempos tão difíceis”, declarou o vereador.

Apesar de colocar a geração de emprego como prioridade, Lima apontou que deve “trabalhar por todos os setores e necessidades do município, visando o bem-estar e a qualidade de vida da população tatuiana”.

“É claro que a gente entende que todos os assuntos da cidade são importantes, mas em primeiro lugar vem o trabalho. Depois, ainda pretendo lutar pela saúde e educação, se tivermos esses três pontos funcionando bem, eu acredito que todos os outros setores municipais ficarão melhores”, ressaltou Lima.

Para alcançar melhorias para o município, Lima disse acreditar em um trabalho conjunto com os outros vereadores eleitos e com o Poder Executivo. “Acredito que é com a união das pessoas que nos tornamos mais fortes, por isso meu lema é: ‘Nenhum de nós é tão bom quanto todos nós juntos’”, concluiu o vereador.

Publicidade