Longevidade

470





Muito se fala, uns condenam, outros o consideram um grande heró; os mais exaltados pedem que ele encerre sumariamente a carreira, devido a algumas atuações ruins. Mas, a grande certeza é que Rogério Ceni é um grande profissional. Poucos da posição fizeram tantos gols com a bola parada, com tamanha precisão e emoção para os torcedores do São Paulo. Sua marca de jogos dentro do clube, sem dúvida, é um recorde mundial.

Na casa dos 40 anos, Rogério ficará na história pela longevidade e em grande forma, lembrando outros brasileiros, como o Ailton Correa Arruda, o goleiro Manga, ex-Botafogo, Inter, Grêmio, Nacional de Montevidéu, que jogou muito tempo, encerrando com quase 50 anos; Claudio Cristovam do Pinho, o maior artilheiro da história corintiana, esteve desfilando seu futebol já com mais de 40 anos; Jair Rosa Pinto, o grande maestro do futebol brasileiro dos anos 40 e 50, encerrou na Ponte Preta, de Campinas, já bem veterano.

Já mais atualmente, recordamos de Toninho Cerezzo e do catarinense Valdo, craques que ainda mostravam muita fibra e dedicação – claro, privilegiados pela estado atlético, e que dificilmente tiveram contusões graves na carreira.

A foto mostra justamente um deles, que fez sucesso em vários clubes. Nesta foto, de 1966, ele comandava, ao lado de Maranhão, o ótimo meio de campo do Vasco. Estamos nos referindo ao eterno Lorico, de físico miúdo e canela fina. Jogava uma enormidade, lançava bem, se posicionava melhor ainda, além do excelente preparo físico. Em pé: Amauri, Joel, Brito, Maranhão, Fontana e Oldair. Agachados: Luisinho, Lorico, Célio, Danilo Menezes e Tião.

O santista Lorico começou na Portuguesa de sua cidade, passou pelo Vasco, Portuguesa de Desportos, Prudentina, Noroeste, de Bauru, e no Botafogo, de Ribeirão Preto. Lançou as primeiras bolas para um menino alto e magro fazer gols e chamar a atenção, denominado Sócrates.

Lorico encerrou com mais de 40 anos, mas não se aposentou, foi trabalhar ainda na Cosipa, a empresa siderúrgica da baixada santista. Ele e todos os grandes craques que fizeram fama também pela longevidade futebolística estão na história do futebol.

NOTA: As fotos são do arquivo pessoal do autor, que data de 50 anos. Ele, como colecionador e historiador do futebol, mantém um acervo não somente de fotos, mas de figurinhas, álbuns, revistas, recortes e dados importantes e registros inéditos e curiosos do futebol, sem nenhuma relação como os sites que proliferam sobre o assunto na rede de computadores da atualidade