Leitores dizem que prédio da Câmara é bom para trabalho

246
Publicidade





As condições de trabalho dos vereadores na Câmara Municipal são “boas”, na opinião da maioria dos leitores que votaram na enquete semanal promovida pelo jornal O Progresso. A pesquisa esteve aberta a participação desde a tarde de sábado passado, encerrando-se ontem, quinta-feira, 14.

A pergunta elaborada por conta de debate sobre a ampliação do prédio da Câmara Municipal e a contratação de mais servidores, recebeu 75% dos votos para a resposta “não”. Outros 25% dos leitores disseram que “sim”, consideram as condições de trabalho dos vereadores da Câmara de Tatuí como ruins.

Os temas voltaram a ser debatidos pelos parlamentares em sessão ordinária na noite de terça-feira, 5. Na ocasião, os vereadores discutiram requerimento apresentado por Jorge Sidnei Rodrigues da Costa (PMDB).

O parlamentar pedia a criação ou nomeação de cargo de assessor técnico para auxiliar os assessores e os próprios vereadores a elaborar documentos sem erros.

Publicidade

Durante as discussões, o presidente da Casa, Oswaldo Laranjeira Filho (PT), voltou a dizer que é favorável à ampliação do prédio – com custo estimado em R$ 1 milhão. Também disse que a Câmara necessita de mais funcionários.

A enquete é realizada semanalmente e aborda temas do cotidiano da população tatuiana. Nesta semana, a pesquisa virtual retoma discussão sobre violência a partir de crime esclarecido pela Polícia Civil. O quinto homicídio do ano ocorrido na cidade vitimou uma dona de casa de 49 anos de idade.

Rosineide Aparecida Martins da Silva teria sido assassinada dentro de casa, com uma paulada. A PC acredita que o crime tenha sido motivado por disputas por herança e pelo tráfico de drogas. Os suspeitos do homicídio são filha e genro da vítima, detidos na manhã de quarta-feira, 13, por conta de mandados de busca e apreensão, de prisão temporária e flagrante por tráfico de drogas.

O delegado titular do município, José Alexandre Garcia Andreucci, relatou que os suspeitos tinham intenção de transformar a residência em ponto de venda de drogas. De acordo com ele, o genro teria envolvimento com o tráfico e estaria tendo desentendimentos com a sogra, que não aprovava a situação.

Por conta disso, Juan Fernando Rosa Ferreira teria se unido a Vanessa Aparecida Martins para cometer o homicídio. A PC disse que o casal tentou sugerir que a vítima havia morrido de “causa natural” (uma queda no corredor da casa).

Durante as investigações, testemunhas teriam dado informações que levaram a divisão de homicídios aos nomes dos parentes da dona de casa. Em função disso, o jornal apresenta questão polêmica: “Você acredita que a liberação do uso de drogas ilícitas poderia evitar crimes relacionados ao tráfico?”.

As respostas são “sim” e “não” e estarão disponíveis a partir da tarde desta sexta-feira, 15, em O Progresso Digital. O acesso à questão e às respostas é feito por meio da página principal do bissemanário na internet (www.oprogressodetatui.com.br), em coluna situada no lado direito do site. As votações serão encerradas na sexta-feira, 22. O resultado será divulgado no dia 24.


Publicidade