Instituições locais enfatizam ações, trabalhos e o passado do municí­pio

526
Publicidade





Cristiano Mota

 

Entidades e instituições de ensino do município enfatizaram ações, trabalhos desenvolvidos e os mesclaram com o “passado”. No desfile cívico, fizeram menção a personalidades que integram a história da cidade e de atuais.

O Cosc (Centro de Orientação e Serviços à Comunidade) deu sequência à passagem das instituições que desenvolvem projetos sociais em Tatuí. A entidade apresentou trabalhos como o “Terra Viva” e o “Caminhar”, promovidos no centro da cidade e na sede situada no Jardim Santa Rita de Cássia.

Publicidade

As homenagens ao município tiveram destaque também por parte do Lar “Donato Flores”. Meninas atendidas pelos projetos sociais (Menor Aprendiz e Lar Espaço Feliz) registraram passagem pela rua 11 e destacaram as atividades desenvolvidas pela instituição que completa este ano 53 anos.

Também histórico, o Cordão Folclórico Tatuiense, popularmente conhecido como Cordão dos Bichos, apresentou irreverência ao público. Trinta e cinco bonecos da fauna e flora brasileira e africana participaram do desfile que dá sequência a série de apresentações do grupo a acontecer até o final deste ano.

Primeira escola municipal a desfilar, a “Alan Alves de Araújo” apresentou projetos desenvolvidos, sendo seguida pela “Eugênio Santos”, com homenagens ao Conservatório. A unidade desfilou acompanhada de fanfarra.

Com faixas, alunos e professores da “Magaly Azambuja de Toledo” parabenizaram o município e, também, os 60 anos do Conservatório de Tatuí. Os estudantes desfilaram com máscaras que remeteram o curso de artes cênicas do Conservatório. Também apresentaram cartazes, citando nomes de personalidades. Entre elas, da atriz Vera Holtz, João Del Fiol e Spartacco Rossi.

A “Eunice Pereira de Camargo” apresentou doces caseiros, incluindo alunos na fanfarra. Já a “Maria Helena Machado”, no Enxovia, relembrou as histórias das fábricas de fiação do município (São Martinho e Santa Izabel). A unidade contou com reforço no desfile: a participação de quatro ex-funcionárias das fiações.

Maria Rita Rodrigues Camargo atuou nas duas companhias e afirmou estar honrada com a participação. “É uma alegria e uma recordação. Cada vez que vejo os prédios, uma lembrança se renova”, declarou ela, que integra o “Melhor Idade”.

A série de homenagens teve sequência com apresentações da “Firmo Antônio Del Fiol”, que lembrou dos 60 anos do Conservatório e apresentou atividades do Mais Educação e do PEF (Programa Escola da Família); “Mauro Antônio Mendes Fiúza”, com destaque para os compositores do Hino à Tatuí; “Eugênio Santos”, com fanfarra; e “João Florêncio” e “Maria da Conceição Oliveira Marcondes”.

Essas duas últimas fizeram referências aos títulos da cidade (Cidade dos Doces Caseiros, Cidade Ternura e Capital da Música). As alegorias trazidas pelas escolas também exaltaram movimentos locais, como o Carnaval e o fandango.

Paulo Setúbal e o Hino à Tatuí ganharam menção da “José Thomás Borges”. Já a “Sarah de Campos Vieira dos Santos” – que agrega oito unidades – mencionou os doces caseiros, trazendo alunos como doceiros mirins.

Alunos da “Lígia de Camargo Del Fiol” destacaram os 50 anos do Hino à Tatuí. O Nebam (Núcleo de Educação Básica Municipal) “Ayrton Senna da Silva” destacou a figura do patrono. O piloto de fórmula-1 teve representatividade na música (com o tema da vitória) e na figura, com a personificação de uma das crianças atendidas pela unidade vestida como o piloto.

O casal autor do hino ao município ganhou homenagens de alunos da “Maria Eli da Silva Camargo” e “Teresinha Vieira de Camargo Barros”. Estudantes da primeira arrancaram aplausos da plateia ao desfilar cantando o hino. Os da segunda, também atraíram elogios do público, fazendo menção a personalidades como a comerciante Elze Vanni e o professor Chico Pereira.

A rua 11 de Agosto também recebeu assistidos e equipes do projeto social Arte Pela Vida, da Comunidade Missionária Católica Recado. Crianças e jovens demonstraram trabalhos desenvolvidos e desfilaram acompanhados de fanfarra.

Os temas definidos pela organização também estiveram presentes no desfile de escolas particulares. Respectivamente, os colégios Adventista e Objetivo apresentaram os 50 anos do Hino à Tatuí e os 20 da morte de Ayrton Senna e os cem anos do Mercado Municipal e os 60 do Conservatório.

No “bloco da educação”, tiveram representatividade no desfile, as escolas estaduais “Lienette Avalone Ribeiro”, “Chico Pereira”, “Semíramis Turelli Azevedo”, a Escola do Sesi (Serviço Social da Indústria), Etec (Escola Técnica) “Salles Gomes” e Femague (Fundação Educacional “Manoel Guedes”.

Também participaram do evento o Lar São Vicente de Paulo e os grupos de escoteiros Goyotin, Tupancy e Clube de Aventureiros. A sociedade civil teve representação por meio do Lions Clube (incluindo o LEO Clube), e o Rotary Club.

O esporte esteve presente com participação de equipes da Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude. Funcionários, professores e alunos de projetos apresentaram as diferentes iniciativas desenvolvidas na cidade.

Na sequência, desfilaram o Clube de Campo, a Academia Ronin e Judô Pires. A Pastoral da Juventude preparou o público – com bordão – para a apresentação da Banda Marcial Municipal “Darci Xavier da Silva”, da cidade de Cesário Lange, que encerrou a parte musical. Os componentes levaram para a rua 11 um mascote (um tigre branco) e músicas populares orquestradas para banda.

O repertório incluiu “Beijinho no Ombro”, de Valesca Popozuda, “Lepo-Lepo”, do grupo Psirico, “Piradinha”, de Gabriel Valim, e “Bará Berê”, de Michel Teló. Duas das músicas tiveram acompanhamento de cantor no estilo “rap”.

Fecharam o desfile – após as 12h30 – os cavaleiros, charreteiros, boiadeiros e muladeiros. Ao todo, a organização informou que 600 cavalos participaram.


Publicidade