Indicadores de furtos e roubos têm queda de 60% em julho deste ano

295
Operações “Impacto” com apoio do Águia da PM (Foto: @pmsp_foco)
Publicidade
Da reportagem

Os indicadores de violência no município apresentaram redução em 11 classificações de ocorrências policiais em comparação ao mesmo mês de 2019. A informação consta em balanço recentemente divulgado pela Secretaria de Segurança Pública do estado de São Paulo.

Conforme o relatório, a principal redução ocorreu nos casos de roubos e furtos em geral. Somando o número de ocorrências das duas categorias, a queda atingiu 60%. Em 2019, foram registrados 94 casos e em 2020, 38.

Na análise por indicador, a maior queda ocorreu nos registros de roubos em geral. Em números absolutos, foram 12 casos a menos, o que representa retração de 66,66% nas ocorrências desta categoria. A quantidade passou de 18 para seis.

A tendência de queda estendeu-se aos roubos de veículos. O indicador apresentou diminuição de dois casos para um. Os roubos a banco e de cargas permaneceram zerados no sétimo mês do ano.

Nos casos de furtos em geral, a queda foi de 57,89%. O total passou de 76 registros, em julho de 2019, para 32, no sétimo mês de 2020. Já os furtos de veículo caíram 66,66%, passando de nove para três.

Publicidade

A tabela de ocorrências em maio também mostra queda nos registros de lesão corporal dolosa, de 30 para 27, e lesão corporal culposa por acidente de trânsito, de nove para dois. O município não contabilizou nenhuma ocorrência de lesão corporal seguida de morte.

Os casos de mortes intencionais caíram de um para zero – o mesmo apresentado quanto ao número de vítimas deste tipo de crime e nos casos de homicídio culposo. Já as tentativas de homicídio permaneceram estáveis, com um caso em julho de 2019 e um no mesmo período de 2020.

Os indicadores de homicídio doloso por acidente de trânsito, homicídio culposo por acidente de trânsito, “outros” tipos de lesão corporal culposa e latrocínio permaneceram zerados no mês de julho de 2019 e 2020.

Já os números referentes às ocorrências de estupro foram equivalentes, com um caso de violência sexual em ambos os meses de cada ano. Já os casos de violência contra crianças e adolescentes apresentaram queda de 75%, passando de quatro para um caso.

No saldo de janeiro até julho deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, o órgão estadual aponta queda em 14 classificações de ocorrências policiais. A maior redução aconteceu no número de lesões corporais culposas por acidente de trânsito.

As ocorrências envolvendo veículos com feridos em acidentes e atropelamentos caiu de 47 para 16 – o que representa redução de 65,9% nos sete meses deste ano.

Nos casos de homicídio culposo por acidente de trânsito (quando não há intenção), a aferição dos sete meses indicou cinco casos em 2019 e cinco em 2020. Entre os homicídios dolosos envolvendo pilotos de veículos e vítimas de homicídio doloso por acidente, não houve casos nos dois anos.

Conforme o levantamento, a segunda maior redução dos sete meses ocorreu nos casos de furtos de veículos, que caíram de 87, no ano passado, para 43, neste ano (menos 50,57%).

Em seguida, aparece o indicador de furtos em geral, com queda de 40,50%. Foram 481 casos em 2019, contra 286 nos sete primeiros meses deste ano.

As ocorrências de roubo de veículos caíram 26,66%, passando de 15 casos em 2019 para 11 nos sete primeiros meses deste ano. Já o número total de ocorrências de roubo (incluindo a banco e de carga) caiu de 76 para 39.

Os crimes contra a vida apresentaram queda nos casos de homicídio culposo. Houve duas ocorrências no ano passado e nenhuma neste ano. Já as tentativas de homicídio passaram de nove para quatro e os casos de latrocínio baixaram de um para zero.

O município não contabilizou nenhuma ocorrência de lesão corporal seguida de morte, lesão corporal culposa e lesão corporal dolosa nos sete meses de 2019 e 2020. No mesmo período, também ocorreu queda nos registros de lesão corporal dolosa, de 233 para 158.

O total de estupros baixou de 34 nos sete meses de 2019 para 30 no mesmo período de 2020, envolvendo queda de oito para seis em violência sexual contra adultos e 26 para 24 contra pessoas consideradas vulneráveis.

Apenas os indicadores de homicídio doloso e vítimas deste tipo de crime subiram no período. As mortes com intenção passaram de três para quatro, mesmo número de vítimas registrado nos sete meses.

Ainda segundo a SSP, nos cinco primeiros meses deste ano, foram instaurados 742 inquéritos policiais, 3,2% a menos que em 2019, quando aconteceram 719 procedimentos desta categoria. No mesmo período, o número de flagrantes caiu 17%, passando de 363 para 301.

Conforme o relatório, 232 ocorrências de tráfico de drogas foram registradas neste ano, contra 229 no ano passado – o que representa queda de 1,3%. No caso dos registros por porte de drogas, o índice teve queda de 35 para 21 (menos 40%).

O registro geral de apreensões de drogas (quando são computadas somente as ocorrências em que houve apenas apreensão de entorpecentes, sem pessoas envolvidas) ficou estável, com uma ocorrência nos sete meses de 2019 e 2020.

A SSP aponta que, nas ocorrências deste ano, foram apreendidas 16 armas de fogo, uma a menos que no ano passado. Já o número de ocorrências por porte ilegal de arma de fogo caiu de 16 para seis (63%).

O total de prisões efetuadas diminuiu de 513 para 403 (menos 39%). Neste ano, foram apreendidos 75 menores de idade em flagrante, contra 123 em 2019. Nos dois anos, nenhum menor foi apreendido por mandado.

Quanto ao número de pessoas presas em flagrante, a queda foi de 23%, com 358 ocorrências, contra 467 no ano passado. No mesmo período, 102 pessoas acabaram detidas por mandados de prisão, número 32% menor que no ano passado, quando foram presas 150.

Em contrapartida, as forças de segurança registraram aumento de 14% no índice de recuperação de veículos, passando de 21 para 24.

O secretário municipal da Segurança Pública e Cidadania, coronel Miguel Ângelo de Campos, credita a redução dos índices de segurança às ações da Guarda Civil Municipal, Polícia Militar e Polícia Civil.

Para ele, as atividades realizadas continuam refletindo nos indicadores. O secretário destacou a realização de diversas operações planejadas e, ainda, a atuação conjunta em flagrantes, incluindo fiscalizações nos bairros como formas de inibir os crimes.

Uma das ações destacadas pelo secretário é a operação “Impacto” – realizada em parceria com a 2ª Companhia da Polícia Militar, no início de agosto – com mais de 60 policiais, viaturas e o helicóptero “Águia”, da PM.

Conforme balanço divulgado pela PM, com a ação, 111 pessoas foram abordadas e 17 veículos e 21 motocicletas, fiscalizados, resultando em 16 autos de infração de trânsito, um boletim por embriaguez, dois flagrantes de tráfico de drogas, duas prisões e um procurado capturado.

As equipes efetuaram 11 pontos de bloqueio, 35 pontos de visibilidade e dez de “saturação”. Durante a ação, ainda foram recolhidas 44 gramas de cocaína, 96 gramas de crack e 700 gramas de maconha.

“Essas ações ocorrem durante todo o ano, visando à redução de crimes, e foram intensificadas nos meses de julho e agosto, devido ao retorno das atividades do comércio e o consequente aumento de pessoas nas ruas”, completou o secretário.

O comandante da 2° Companhia da Polícia Militar de Tatuí, capitão Júlio César da Costa, afirmou que a pandemia do novo coronavírus e as determinações de isolamento social também influenciaram no resultado, principalmente nos casos de furto em geral e de veículos.

Costa classificou o resultado do mês como “muito bom” e apontou que a tendência é que os indicadores criminais continuem em queda no mês de agosto. O comandante ainda assegurou que os números da cidade estão sempre dentro da meta estabelecida pelo estado.

Publicidade