Homem sofre amputação de dedos e parte da mão em acidente na Angélica

7890
Publicidade
Da redação

Um homem de 52 anos teve três dedos e parte da mão esquerda amputados em um acidente de moto na vila Angélica, no início da tarde desta quarta-feira, 10, e equipes de socorro se mobilizaram para transferi-lo a um hospital em São Paulo para tentar o reimplante.

Segundo a prefeitura, “a extrema agilidade no atendimento das equipes de emergência e ortopedia do Pronto-Socorro Municipal ‘Erasmo Peixoto’ e da Santa Casa de Misericórdia foi decisiva para que o paciente fosse transferido em tempo hábil”.

Conforme informado em nota, após o atendimento e a avaliação no PS e na Santa Casa, profissionais constataram que, apesar da lesão ser extremamente grave, as condições eram favoráveis à tentativa de reimplante, procedimento realizado em poucos hospitais da cidade de São Paulo.

Então, as equipes de emergência e ortopedia da cidade conseguiram contato com o Hospital das Clínicas, da Universidade de São Paulo, e com a Polícia Militar, para o transporte.

Às 14h27, no Aeroclube de Tatuí, o helicóptero Águia-5 da Polícia Militar chegou para levar o paciente até o Hospital das Clínicas.

Publicidade

“Lá, uma equipe com vários cirurgiões ortopédicos, especialistas em cirurgia da mão e microcirurgia, fará uma tentativa de reimplante dos membros. Esta é uma cirurgia muito complexa e delicada. E, graças à agilidade das equipes, que foram super-rápidas entre o tempo do acidente e o tempo do transporte, esse homem terá a chance de ter seus membros reimplantados”, declarou o médico ortopedista Guilherme Camargo Petta, que participou do atendimento à vítima.

De acordo com o médico, “os candidatos para reimplante são, infelizmente, a minoria, pois dependem do tipo de lesão, da região acometida, do tempo transcorrido e da situação do membro amputado”.

Participaram do atendimento no PS e na Santa Casa a equipe de ortopedia, o médico emergencista Lucas Miguel de Almeida, o enfermeiro plantonista Kléber Jeferson Simões, a auxiliar de enfermagem Josimara Silva, a enfermeira responsável técnica do OS, Roberta Molonha, e o médico responsável pelo transporte do paciente da Santa Casa até o helicóptero, Leonardo Sacco.

Publicidade