GCM prende em média uma pessoa por dia na primeira semana do mês

458
Arma apreendida com lavrador suspeito de agredir a filha no Guaxingu (foto: divulgação GCM)
Da redação

A Guarda Civil Municipal atendeu, na semana de 3 a 8 de novembro, ocorrências de diversas naturezas, entre elas, operações de abordagem, crimes, auxílio ao público, orientação, auxílio ao trânsito e autos de infração de trânsito.

Com relação às ocorrências de crimes, foram sete presos (cinco adultos e um adolescente) e quatro flagrantes, resultando em duas ocorrências por tráfico de drogas, nas quais foram apreendidas 0,180 grama de maconha, 0,036 grama de cocaína e 0,002 grama de crack.

Além disso, a GCM registrou uma ocorrência por roubo, uma por posse ilegal de arma de fogo, uma de captura de procurado, uma por violência doméstica e seis não criminais (fiscalização, apoio às instituições, desinteligência e meio ambiente).

Na noite de terça-feira, 3, dois adolescentes, de 15 e 16 anos, foram apreendidos, acusados de terem roubado uma moto na vila Primavera. A Guarda capturou os menores na área central, após eles atropelarem uma pessoa e caírem da motocicleta.

O flagrante mais recente ocorreu na tarde de sexta-feira, 13, quando um lavrador de 67 anos foi detido, no bairro Guaxingu(estrada Tatuí a Iperó) acusado de posse ilegal de arma de fogo, lesão corporal e violência doméstica.

De acordo com a GCM, uma viatura foi acionada, por volta das 15h30, para atender a uma ocorrência de “desinteligência”envolvendo um casal e a filha, de 31 anos, em uma chácara na área rural.

No local, testemunhas disseram aos agentes que o lavrador estava discutindo com a esposa (a mulher não foi citada como vítima e não teve a idade revelada), a filha tentou intervir e acabou sendo ferida.

Segundo relatado, para tentar cessar a briga, a filha pegou uma arma que o pai escondia na casa e apontou para o homem. Contudo, ao ver a jovem com a arma o lavrador teria “ido para cima” dela.

Conforme o boletim de ocorrência, nesse momento, o lavrador caiu em cima da filha, ocasionando uma fratura em uma das costelas da moça. A vítima foi levada ao Pronto-Atendimento “São Judas Tadeu”, em Iperó,onde permaneceu internada.

Questionado sobre a arma, o acusado teria confessado que escondia na residência uma pistola, da marca Bersa, modelo 64, calibre 22, além de nove munições intactas. O objetivo foi apreendido pela GCM.

A GCM informou,em boletim de ocorrência, que a esposa do acusadotambém confirmou a existência da arma de fogo. Contudo, a mulher teria alegado não ter presenciado as agressões à filha.

À GCM, a esposa ainda alegouque o marido tem distúrbios mentais e que nunca havia agredido ninguém antes. A vítima não pode ser ouvida formalmente, em virtude do estado clínico.

O acusado foi encaminhado à Delegacia Central, onde recebeu voz de prisão em flagrante e permaneceu à disposição da Justiça. Ele devera responder por violência doméstica, posse ilegal de arma de fogo e lesão corporal.