Fred Astaire trabalha conceito de nostalgia e resgate em peça

274





Cristiano Mota

Parte do elenco que integra espetáculo que une dança e teatro fez último ensaio na noite de quarta

 

Músicas antigas e que aparecem com nova roupagem em regravações são o ponto de partida de coreografias a serem apresentadas nas noites deste sábado, 25, e domingo, 26. Elas integram o espetáculo de dança “Novo de Novo”, idealizado, montado e produzido pelo Balleteatro Fred Astaire. Nas duas datas, as apresentações serão realizadas às 20h30 no teatro “Procópio Ferreira”.

Fruto de trabalho integrado entre as sócias Mirella Arena e Ana Cristina Machado, o espetáculo também é resultado de esforço de várias pessoas. Em especial da equipe de professores do balleteatro (Marilene, Ricieli, Juliana, Laurine, Géssica, Marcelo, Geovana, Isabela, Ricardo, Thiago, Marieli, Tchello e Élida), conforme destacou Mirella ao falar sobre as apresentações.

Os colaboradores atuam na iluminação, na confecção do figurino, preparação do elenco e outros detalhes. “Novo de Novo” é considerado especial para a escola de dança, uma vez que traz para os alunos do Balleteatro Fred Astaire estilos de músicas já conhecidos dos pais dos estudantes.

“É um conceito de nostalgia e de novo. Uma forma de passar para essa geração repertório de outras épocas que, às vezes, voltam em regravações e a juventude acha que é novo, mas nós falamos que é ‘de novo’”, explicou Mirella.

Nesse mesmo sentido, o espetáculo proporciona um resgate de composições e ritmos. De forma lúdica, “Novo de Novo” permite que os filhos se “apropriem” do conhecimento musical dos pais, através da dança e do teatro.

“A aceitação tem sido excelente, porque reconta a história da própria música”, disse Mirella. Conforme ela, o trabalho de desenvolvimento inclui o contexto histórico em sala de aula. Nas apresentações, os alunos e alunas vão colocar em prática as coreografias desenvolvidas em diferentes estilos de dança.

As danças serão apresentadas a partir de uma história, mas, sem obrigação com a “linha do tempo” – anos de lançamentos dos estilos das danças coreografadas. O espetáculo é inspirado em programas de auditório como o de Chacrinha e Sílvio Santos. Por meio da figura do apresentador, os grupos de alunos serão chamados ao palco para executar as diferentes coreografias.

“Elas entram como se estivessem em um caráter de competição. Nós estamos explorando uma linha cômica, no que diz respeito às artes cênicas”, relatou Mirella. Para tornar a experiência única, a escola uniu a dança com o segmento do teatro, novidade apresentada pelo Balleteatro Fred Astaire.

No espetáculo, o apresentador recebe ajuda de auxiliares de palco e de pessoas que atuam nos bastidores. Mirella contou que a ideia é destacar figuras importantes, mas que não são comumente vistas, como uma faxineira.

A partir daí, a história vai “rolando” e as danças sendo apresentadas. No total, serão 25 coreografias divididas entre balé clássico, jazz, sapateado, dança do vente, dança de salão e “street dance”, com duração aproximada de duas horas.

O espetáculo reunirá 200 integrantes, que representam parte do alunado do Balleteatro Fred Astaire. Conforme Mirella, outra parte dos estudantes preferiu não participar das apresentações por não se sentir preparada emocionalmente para encarar uma plateia no nível de palco do “Procópio Ferreira”.

Mesmo não participando no sentido direto, os alunos que preferiram não integrar o elenco têm oportunidade de acompanhar os bastidores e conhecer os detalhes da preparação. Eles também contribuem, como os demais participantes, com ideias para o aprimoramento do conceito apresentado pelas sócias.

Tradicionalmente, os espetáculos são concebidos por Mirella e Ana Cristina. Seis meses antes das apresentações, as sócias começam a esboçar as primeiras ideias. “Daí, as vontades vão tomando um novo formato”, contou Mirella.

Dois meses depois são realizados os primeiros ensaios e feitos os primeiros ajustes. “Devagar os alunos vão se apropriando do conceito e, dentro do processo democrático, sugerindo novos elementos a serem agregados”, descreveu.

Antecipado para novembro, por conta da agenda de eventos do teatro, o espetáculo é considerado o “grande evento” do ano do Balleteatro Fred Astaire. Para a direção, ele representa um importante incentivo para os participantes.

Os ingressos para assistir ao espetáculo estão à venda no Fred Astaire. A escola fica na praça Paulo Setúbal, 22, sala 7, no centro. Na bilheteria do “Procópio Ferreira”, à rua São Bento, 415, eles poderão ser adquiridos nas duas noites de evento – caso haja disponibilidade – a partir das 19h, uma hora antes.

“Novo de Novo” é citado por Mirella, ainda, como a consolidação de uma parceria de sucesso entre ela e Ana Cristina. “Estou mais voltada para a parte administrativa e Ana Cristina para a pedagógica. Quando se tem uma parceria de sucesso como essa, as coisas dão certo, como esse espetáculo”, comentou.

As apresentações abertas aos pais dos estudantes e ao público em geral são tradição do Balleteatro Fred Astaire. Consolidada no município, a escola de dança apresentou neste ano novidade: o início do curso de artes cênicas, a cargo do professor Tchello Gasparini. A primeira turma já se apresentou em Tatuí, mas está em contagem regressiva para estreia no “Procópio Ferreira”.

“É um grupo pequeno, mas que tem se mostrado muito competente e feliz no que está fazendo”, destacou Mirella. Segundo ela, a turma representa oportunidade para quem quer fazer artes cênicas e não consegue estar no Conservatório. “Nós temos um horário mais flexível e estamos muito contentes com esse curso, um experimento que fizemos e que está valendo a pena”, disse.