Força Tática detém três e apreende um por roubo e agressão a aluno

4404
Policiais apreenderam simulacro usado para roubar estudante de 35 anos e recuperaram celular de vítima (foto: PM)

Policiais da Força Tática, da 2ª Companhia da Polícia Militar, detiveram três ajudantes – de 19, 20 e 21 anos – e apreenderam um adolescente de 17 na noite de domingo, 14. Os quatro são acusados de assaltar um estudante, de 35 anos, que passava pela rua 13 de Fevereiro, no centro, por volta das 22h.

O aluno reconheceu os suspeitos depois de eles terem sido abordados pela corporação. Ele disse aos militares ter sido agredido e ameaçado com uma arma de fogo. João Vitor Ferreira Mateus, 20, Anderson Julio da Silva, 21, e Renato de Souza Cavalheiro, 19, negaram participação no crime.

Em depoimento à Polícia Civil, os três deram declarações diversas. Mateus informou ser primo do menor, a quem os três atribuíram a autoria do assalto. Ele alegou que vira o parente assaltar o estudante. Entretanto, argumentou que o adolescente teria cometido o roubo sozinho.

Silva também negou a autoria. Ele disse não ter agredido a vítima e nem visto o assalto. O ajudante afirmou que, dos outros três, conhecia apenas Cavalheiro.

Este último declarou não ter praticado o assalto, ou agredido a vítima. Ele frisou que o crime fora realizado pelo menor e que não estava junto ao grupo no momento do ocorrido. O acusado alegou que apenas se juntou a eles depois.

Quanto às moedas da vítima localizadas em um dos bolsos dele, Cavalheiro afirmou que as guardara a pedido do menor. Ele argumentou que apenas colocara as moedas no bolso, mas não sabia que haviam sido roubadas.

Já o adolescente declarou que praticara o crime após ter avistado “um mano” (a vítima). O menor relatou ter “grudado” o estudante e pegado dele o celular (modelo Samsung, avaliado em R$ 300) e R$ 16,60 em moedas. Durante o assalto, disse ter desferido um murro em uma das costelas da vítima.

Em depoimento, o menor contou que mora em São Paulo e que viera da capital com a arma de brinquedo. Ele mencionou ter duas passagens por tráfico de drogas.

Os PMs localizaram os suspeitos perto do local do crime. Eles haviam sido informados por meio do Copom (Centro de Operações da PM) de que os criminosos teriam fugido em direção à avenida Cônego João Clímaco de Camargo.

Em diligências, uma equipe encontrou os quatro. Eles teriam se separado ao notarem a aproximação da viatura, mas acabaram abordados.

No momento em que a guarnição parava os suspeitos, um deles arremessou um objeto em um terreno baldio. No local, os PMs encontraram o simulacro de revólver; com o menor, o celular da vítima, e com Cavalheiro, as moedas.

De acordo com os militares, os quatro, em princípio, teriam negado a autoria. Posteriormente, teriam confessado o delito, mas não mantido a versão em depoimento.

A vítima contou, aos policiais, que fazia uma caminhada no momento em que fora abordada. O estudante relatou que ficara assustado e, em um primeiro momento, recusou-se a entregar os pertences (o celular e um saco com as moedas).

De acordo com a vítima, os bandidos conseguiram pegar os objetos depois que um deles deu-lhe um soco no rosto. Em seguida, os suspeitos fugiram. O estudante chamou a polícia a partir do celular de um popular que passava pelo local.

Os quatro suspeitos devem responder por roubo, sendo que os maiores de idade permaneceram detidos, aguardando transferência para unidade prisional e o menor, apreendido à disposição da Vara da Infância e da Juventude.