Festa do Bemfica é ‘sucesso’ de público, conforme í‚ngela

238
Publicidade





AC Prefeitura / Evandro Ananias

Alunos de escolas municipais participaram de evento unificado

 

Nos dias 13, 14 e 15, sexta-feira, sábado e domingo, aconteceu a primeira edição da “Festa do Bemfica”, na Praça da Matriz. O evento junino reuniu todas as escolas municipais para que os alunos fizessem apresentações.

A festa foi organizada pela Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Turismo, por meio do Departamento Municipal de Cultura e Desenvolvimento Turístico, sob a responsabilidade de Jorge Rizek.

Publicidade

De acordo com a secretária da Educação, Ângela Sartori, o evento foi um “sucesso” e superou as expectativas dela. Ângela acredita que, entre os dias de festa, pelo menos 10 mil pessoas passaram pelo local.

A ideia de fazer a festa surgiu para “unificar” todas as escolas. “Acontece que quase todas as unidades fazem festas nas próprias sedes. E é difícil prestigiar todas, pois, geralmente, são nas mesmas datas”, explicou a secretária.

De acordo com Ângela, a intenção sempre foi “prestigiar todas as escolas”, mas o máximo que conseguia era estar em três. Com a festa junina unificada, foi possível, para ela, assistir todas as apresentações.

Conforme a secretária, os alunos das escolas faziam apresentações “maravilhosas” e o público não era tão grande, devido ao fato de haver mais festas em outros locais.

Ângela afirma que, em outros anos, ouviu reclamações de mães com dois filhos, que estavam em duas escolas, as quais não conseguiam acompanhar os eventos, por serem no mesmo dia, ou arrumar as crianças para participarem. A secretária diz que a ideia da unificação surgiu, também, a partir dessas reclamações.

A festa contou com barracas de comidas e bebidas típicas de festa junina, correio elegante e jogos para crianças. Todas as tendas, exceto de cerveja, foram de escolas do município.

A barraca de cerveja ficou sob a responsabilidade da Santa Casa de Misericórdia. E a renda obtida com as vendas foi revertida para a própria entidade.

De acordo com Ângela, até segunda-feira, às 16h, a verba obtida nas barracas ainda não havia sido contabilizada.

A renda de cada barraca deverá ser revertida para as escolas que foram responsáveis pelas vendas.

Não há destino certo para o dinheiro.

“Cada escola vai fazer as melhorias necessárias para cada unidade. As escolas poderão utilizar conforme as necessidades forem surgindo. A gente não pode destinar para que seja feito um serviço em todas, porque, às vezes, o que uma unidade precisa não é a mesma coisa que a outra”, explicou a secretária.

De acordo com ela, a secretaria não determinou o que seria vendido em cada barraca. A escolha foi livre de cada escola, desde que fosse algo relacionado ao evento junino.

A compra dos ingredientes ou prendas foi feita pela própria escola responsável por barraca. Algumas unidades ganharam produtos para as vendas, mas a secretária ressaltou que quase todas tiveram de repor os estoques, por não esperarem o público que esteve presente.

A união entre professores, funcionários e supervisores foi outro fator que, segundo Ângela, foi essencial para o sucesso.

Ela aproveitou para parabenizar todas as pessoas que ajudaram na organização do evento. De acordo com a secretária, que está há 23 anos na área de educação, ela nunca presenciou “uma união tão intensa como a que ocorreu este ano”.

“Foi um trabalho realizado em equipe nota mil. Foram três dias de festa muito cansativos. A festa começou, digamos, que às 16 horas, mas todos nós trabalhamos desde as 6h da manhã”, sustentou.

Conforme ela, os trabalhos foram iniciados cedo pelo fato de que os ingredientes para as comidas tiveram de ser preparados “na hora, pois eram todos frescos”.

Ângela conta que observou que as equipes responsáveis pelas barracas colaboraram “muito” umas com as outras e receberam “muito bem o público”.

Houve, no domingo, escolha de “miss” e “míster” caipirinha. Cada escola contava com um casal representando a unidade.

As apresentações de alunos não foram competitivas e nem houve tema definido, porém, algumas unidades apresentaram-se com roupas sobre a Copa do Mundo.

Além de apresentações de escolas, o projeto Melhor Idade também fez uma participação na festa, no domingo, 15. Nas três noites, também houve shows musicais.

Ângela salienta que não teve briga no evento. “Foi uma festa totalmente tranquila, não houve indícios de discussão, nada, totalmente familiar. Recebemos desde crianças de colo até senhoras e senhores”.

De acordo com a secretária, homens da GCM (Guarda Civil Municipal) comentaram que, por ser uma festa de grande porte, não houve nenhuma ocorrência, e que isso foi “muito positivo”.

A estrutura da festa também ficou intacta durante as noites. “Nós deixamos toda a estrutura montada, porque não tínhamos tempo hábil para montar e desmontar”, contou.

“Ficaram mesas, cadeiras, fogão, botijão de gás, piscina para barraca de pesca. Ficou tudo intacto, do primeiro ao último dia. Nem os cardápios que nós afixamos foram mexidos”, afirmou a secretária.

Com o sucesso, Ângela confirmou a segunda edição da Festa do Bemfica para o próximo ano. De acordo com a secretária, muitas pessoas, tanto funcionários quanto espectadores, pediram para que o evento se repita. “Então, com certeza, essa é uma festa que vai marcar nosso calendário escolar”.


Publicidade