Estudante tatuiano Lucas Gonzaga lança livro sobre museu de Salto

Museólogo conta a história de três décadas do “Ettore Liberalesso”

26
Obra de Lucas Gonzaga aborda “30 Anos de Museu da Cidade de Salto”
Da reportagem

O tatuiano Lucas Gonzaga lançou neste mês o primeiro livro da carreira. A obra, intitulada “30 Anos de Museu da Cidade de Salto – Gestão, Criatividade, Preservação e Sustentabilidade”, é uma edição comemorativa e conta a história do Museu “Ettore Liberalesso” desde a fundação.

O lançamento ocorreu presencialmente na quinta-feira, 9, na sede do museu, em Salto, com a presença do autor, que é estudante do curso de especialização em museologia, cultura e educação da PUC-SP e ex-coordenador da instituição saltense.

Gonzaga é nascido e criado em Tatuí, onde cursou artes cênicas e mantém carreira no teatro. Contudo, após ser chamado para atuar como jurado em três festivais de teatro da cidade de Salto, acabou sendo convidado a assumir a diretoria do Museu “Ettore Liberalesso”.

O autor conta que a ideia de escrever o livro nasceu no meio do trabalho na diretoria do museu e do “apreço” dele pelas memórias do passado – que vão desde a infância ouvindo histórias da família, até a juventude, com visitas constantes a museus.

“Tenho um apreço pela memória, sempre gostei de visitar museus e conhecer histórias. Então, quando olhei para aquele lugar, repleto de acontecimentos e histórias, a primeira coisa que pensei foi reunir tudo em um livro para deixar para as próximas gerações”, contou Gonzaga.

A obra reúne nomes importantes da museologia e conta com a colaboração de Cecília Machado, professora do curso de museologia da PUC-SP, e de Luciana Pasqualucci, professora e coordenadora do curso, além de outros profissionais como Davidson Kaseker, diretor do grupo técnico de coordenação do Sistema Estadual de Museus de São Paulo (GTC/SISEM-SP), instância da Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

O livro conta, ainda, com a colaboração de Thalma di Lelli, Anicleide Zequini e Geraldo Garcia, que participaram da criação do museu da cidade de Salto, ao lado do museólogo Júlio Abe (in memoriam).

O autor Lucas Gonzaga (foto: Du Arantes)

“Não há trabalhos específicos sobre o museu de Salto, este será o primeiro livro da história da instituição. Lógico, não foi possível narrar ano a ano as três décadas, mas levantei os principais fatos históricos e ouvi pessoas que fizeram parte da história, em entrevistas muito emocionantes”, declarou o autor.

Gonzaga disse ter iniciado o livro já em 2019 e, em 2020, a obra foi concluída, por meio do ProAc (Programa de Ação Cultural) de 2020, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo.

Junto com o projeto do livro, Gonzaga inscreveu mais dois projetos no ProAc Editais de 2020 e foi contemplado. Com isso, o museu da cidade de Salto se tornou a única instituição museológica do estado a ser contemplada nos três editais do programa voltados à preservação e ao patrimônio histórico.

Os outros dois projetos também foram lançados no dia 9. O primeiro é o “Tecendo Memórias – Tour Virtual pelo Museu da Cidade de Salto”. A proposta apresenta toda a história e memória da instituição e fica disponível na plataforma “Cultura em Casa”, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

O outro projeto aprovado pelo ProAc proporcionou reforma e restauração das portas, janelas e fachada do museu, visando maior segurança dos visitantes e das milhares de peças que compõem o acervo.

“Ao colocarmos em linha reta as medidas temporais (presente, passado e futuro), entendemos a importância da realização de projetos como esses, que oficializam e registram historicamente a existência de espaços vivos que estão em constante diálogo com a comunidade”, observa Gonzaga.

“Com todos estes projetos, entregar o livro com a história daquele espaço foi a cereja do bolo”, acrescentou Gonzaga.

Segundo ele, em 2022, por meio de mais um projeto contemplado no ProAc (2021), será realizada ampla reforma no departamento de pesquisas do museu. O projeto também está sob a coordenação de Gonzaga.