Educação retoma aulas presenciais na 2ª

Ensino fundamental e EJA da rede municipal retornam antes de pré-escolas e creches

138
Professores e profissionais da Educação passaram por treinamento (foto: AI Prefeitura)
Publicidade
Da reportagem

Após exatos 383 dias, as aulas presenciais da rede municipal de educação, suspensas desde 23 de março de 2020 devido à pandemia, retornarão na segunda-feira, 10.

A prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação, promoverá o retorno à escola dos estudantes do ensino fundamental 1 e 2 e EJA (Educação de Jovens e Adultos).

Segundo o calendário elaborado pela pasta, a retomada das aulas presenciais nas pré-escolas acontecerá na segunda-feira seguinte, 17, enquanto a volta dos alunos das creches municipais está agendada para o dia 31, uma segunda-feira.

A O Progresso, o vice-prefeito e secretário municipal da Educação, Miguel Lopes Cardoso Júnior, informou que as datas de retorno das atividades presenciais são diferentes por conta do público, pois os alunos mais novos requerem cuidados redobrados.

Conforme o titular da pasta, a preparação voltada ao ensino fundamental e ao EJA está concluída, enquanto os profissionais que atuarão no retorno dos estudantes mais novos ainda deverão receber mais orientações.

Publicidade

“A realidade dentro das creches é diferente. Por isso, estamos conversando bastante com o quadro de professores, fazendo reuniões e terminando de fazer todos os ‘checklists’, além de mapeando todas as escolas com a sanitização que nos foi orientada”, afirma Cardoso.

Ele indica que, diferentemente dos jovens e adultos, as crianças estão “acostumadas com o toque e com saudades dos professores e monitores”, havendo a possibilidade de querer abraçá-los. O secretário ainda aponta que os profissionais têm de trocar e dar comida na boca dos alunos. “Requer cuidados bem maiores”, reforça.

“Iremos voltar com um público, teoricamente, um pouco mais fácil. Na sequência, vamos avaliar período a período para voltarmos com as pré-escolas e, depois, com as creches”, complementa o vice-prefeito.

Para garantir o retorno com segurança, mais de 1.400 profissionais da Educação participaram, entre segunda-feira e sexta-feira da semana passada, 26 e 30 de abril, de uma capacitação sobre os protocolos de biossegurança para o retorno às aulas presenciais, com enfoque, também, em como abordar e diagnosticar psicológica e emocionalmente os alunos.

Conforme a assessoria de comunicação da prefeitura, todas as unidades escolares da rede municipal receberam o “Protocolo de Retorno às Aulas Presenciais” – indicado por órgãos de saúde e pela Secretaria Municipal de Saúde – com as orientações necessárias para o processo de volta às aulas com segurança.

A secretaria municipal também entregou os materiais de exigência do protocolo nas escolas, entre eles: tapete sanitizante, lixeira com pedal, fita zebrada, máscara “face shield”, totens para álcool em gel e frascos de álcool em gel.

De acordo com o protocolo, todas as escolas da rede municipal de ensino deverão respeitar o limite percentual máximo de presença de alunos, em conformidade com o Plano São Paulo, do governo estadual.

No entanto, Cardoso ressalta que a presença dos estudantes nas escolas é opcional. Simultaneamente, eles continuarão tendo aulas pelo programa “Escolariza”, uma plataforma digital para oferecer conteúdo didático em ambiente virtual, por meio do www.escolariza.com.br.

O secretário municipal afirma que a pasta já promoveu reuniões com os pais dos estudantes, entre os quais uma parcela deseja o retorno e outra, não. Segundo Cardoso, ainda não há uma estimativa de alunos presentes na retomada.

“É muito regionalizado. Há creches em que 35% dos pais optaram em voltar e 65%, não. Em outros locais, quase 90% dos responsáveis preferem retornar”, indica.

Para Cardoso, a decisão da volta presencial é polêmica e de muita responsabilidade, mas que fora “pensada e planejada com muito carinho e respeito”.

“Há pais que acham que não deve voltar, e a opção é deles, assim como tem professores que acreditam que deve retornar e outros, não”, afirma.

“Neste momento, como gestor, é muito difícil tomar uma decisão e agradar a todos. Mas, nós precisamos pensar no coletivo, principalmente no bem-estar dos jovens e das crianças”, completou o secretário.

Durante o período de mais de um ano longe das salas de aulas, o titular garante que, em nenhum momento, os alunos ficaram sem atividades escolares, assim como os profissionais não deixaram de trabalhar.

Por fim, Cardoso assegura que a pasta está preparada para o retorno. Segundo ele, a prefeitura seguiu as orientações do Plano São Paulo e afirma estar convicto de que a equipe da pasta fez o melhor para que pudesse voltar a receber os alunos.

“Sabíamos que esse momento chegaria. Estamos ansiosos pelo retorno, para que dê tudo certo, mas com a sensação de dever cumprido. Estamos convictos de que tudo vai dar certo”, finalizou o secretário municipal da Educação.

Publicidade