Edição do ‘Zé Leiteiro’ aguarda finalíssima

525
Santa Cruz disputa a final do Zé Leiteiro, após eliminar o São Martinho na semifinal (foto: divulgação)
Da redação

O 14º Campeonato José de Campos – “Zé Leiteiro” ainda não tem data para ser encerrado. Considerada “histórica”, a 14ª edição do tradicional torneio de futebol máster foi paralisada antes da disputa da decisão, devido ao coronavírus.

No dia 16 de março, a prefeita Maria José Vieira de Camargo assinou decreto municipal sobre medidas temporárias e emergenciais de prevenção ao contágio.

No âmbito esportivo, a matéria suspende no município, por tempo indeterminado, todas as atividades, como competições, treinos e viagens de atletas.

A competição, exclusiva para atletas a partir de 50 anos, é organizada por Cesário Mota Filho, o Cesário Tatu, em parceria com o Departamento Municipal de Esporte, da Secretaria Municipal de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude.

Iniciada no dia 19 de janeiro, o Zé Leiteiro colocou, no gramado do Az de Ouro, as agremiações campeãs das duas edições anteriores para a partida inaugural: O XI de Agosto e o Palmeiras da Quadra. O jogo terminou com a vitória da “Égua Vermelha” por 2 a 0.

O XI de Agosto é o atual vencedor do torneio. Na decisão do ano passado, a equipe venceu o São Martinho pelo placar de 2 a 1. Antônio Marcos de Abreu e Claudemir marcaram os gols que deram o título ao XI, enquanto Gaspar fez o tento do Leão do Sul.

Com um gol anotado na final, Abreu (camisa 8 do XI) tornou-se artilheiro do campeonato, juntamente com Lucas José Vieira dos Santos, do Sexta Master, e Nerivaldo Ferreira Soares, do finalista São Martinho, todos com três tentos marcados.

O goleiro do time campeão, Márcio Fabiano Biscaro, sofreu apenas um gol na competição e foi eleito o melhor arqueiro do Zé Leiteiro.

Em 2018, foi a vez do Palmeiras da Quadra levantar a taça. Diante do São Martinho, campeão da edição anterior, o time de Quadra não se intimidou e venceu por placar elástico de 5 a 1.

Além do título, o Palmeiras da Quadra teve dois atletas premiados, como o melhor goleiro e o artilheiro do campeonato. Pedro José S. Neto foi eleito o melhor arqueiro e Edmilson Oliveira Santos, o artilheiro, marcando um total de dez gols.

A primeira fase do Zé Leiteiro estendeu-se até o dia 16 de fevereiro. Nesse período, nove partidas foram disputadas e as redes balançaram em 32 oportunidades, em média de 3,55 tentos por jogo.

Com o encerramento da etapa inicial, o Clube de Campo liderou o grupo A de forma isolada, com seis pontos. O São Martinho, com três pontos, ficou na segunda posição e o Amigos do Jonão, sem pontuar, na última colocação.

O grupo B terminou com: Santa Cruz na primeira posição, com quatro pontos; TG na segunda, com a mesma pontuação e saldo de gols inferior; e Sexta Máster na terceira, sem ter pontuado – apesar de possuir o terceiro ataque mais efetivo do certame.

“Dono” do ataque e da defesa mais efetivos do Zé Leiteiro, o atual campeão XI de Agosto somou seis pontos e “sobrou” no grupo C. Com três pontos, o Palmeiras da Quadra alcançou a segunda colocação e o Associados do Clube, sem pontuar, ficou na lanterna.

Conforme o regulamento, ao término da fase de grupos, somente os líderes do A e B garantiram-se na semifinal. As outras duas vagas da penúltima etapa foram definidas com repescagem entre os segundos colocados dos grupos A e C e, ainda, o líder do C contra o vice-líder do B.

Desta forma, Clube de Campo e Santa Cruz são as únicas agremiações que se garantiram antecipadamente na semifinal. São Martinho, TG, XI de Agosto e Palmeiras da Quadra foram à repescagem, enquanto Amigos do Jonão, Sexta Máster e Associados do Clube deram adeus ao campeonato.

A repescagem aconteceu no dia 1º de março. No primeiro confronto eliminatório do dia, o segundo colocado do grupo A, o São Martinho, contou com um “hat-trick” (três gols na mesma partida), do jogador Nivaldo, para derrotar o vice-líder do grupo C, o Palmeiras da Quadra, pelo placar de 3 a 0, e seguir na competição.

Na sequência, o atual campeão e dono do ataque e da defesa mais efetivos da primeira fase do Zé Leiteiro, o XI de Agosto liderou o grupo C e teve o TG, segundo colocado do grupo B, como adversário em busca da última vaga à semifinal.

A partida terminou empatada em 2 a 2, e o XI de Agosto alcançou a classificação. Os gols foram anotados por Marco Antônio e Nerivaldo, pelo XI, e por Carlos Eduardo e Nivaldo Xavier, pelo TG. Segundo o regulamento, por liderar o grupo C, a “Égua Vermelha” tinha a vantagem do empate.

As semifinais foram disputadas no dia 8 e no dio 15 do mesmo mês. A agremiação máster do Clube de Campo foi a primeira finalista do Zé Leiteiro. Em confronto com o atual campeão, o time campestre conquistou a vitória pelo placar mínimo de 1 a 0, graças ao tento anotado por Sandro Rogério.

Na semana seguinte, o Santa Cruz se garantiu na decisão da competição ao derrotar o São Martinho pelo placar de 2 a 1. Os gols da partida foram anotados por Cláudio Roberto e Ulisses, da equipe finalista, enquanto Geraldo descontou para o Leão do Sul.

A finalíssima entre Clube de Campo e Santa Cruz aconteceria no dia 22 de março, no entanto, foi adiada com a assinatura do decreto municipal. Somando-se à primeira fase, até o momento, a 14ª edição do Zé Leiteiro promoveu 13 jogos, com 42 tentos anotados, média de 3,23 gols por partida.

A partida na qual as redes do Az de Ouro foram balançadas mais vezes foi disputada na última rodada da fase inicial. Pelo grupo B, Santa Cruz e Sexta Máster realizaram uma disputa “acirrada”, sendo encerrada com o placar de 5 a 3 favorável ao Santa Cruz.

A maior goleada foi aplicada pelo atual campeão do Zé Leiteiro. O XI de Agosto encerrou a participação no grupo C em “grande estilo”. Com seis gols de Patão e um de Baiano, a Égua Vermelha aplicou goleada por 7 a 0 sobre o Associados do Clube.

Com os tentos anotados nesse confronto, Patão é o artilheiro da competição, com seis gols. Na vice-artilharia, aparecem três jogadores com três bolas na rede: Miquita, do TG; Élcio, do Clube de Campo; e Nivaldo, do São Martinho.

Conforme a expectativa da organização para os jogos de 2020, a atual edição do Zé Leiteiro “é para ficar na história”. A tradicional competição é sediada pela última vez no campo do Az de Ouro. Depois de 14 anos, a disputa terá novo endereço.

“Não teremos mais o torneio no campo, porque o terreno está vendido para um loteamento. Os donos venderam e nos comunicaram da decisão”, contou Tatu.

De 2021 em diante, as partidas deverão acontecer no campo do Jardim Santa Rita de Cássia. Trata-se de estádio municipal, cedido pela prefeitura. De acordo com Tatu, o espaço dispõe de toda a infraestrutura necessária à competição.

Na 14ª edição, as equipes campeã e vice receberão troféus, que levam o nome do patrono da competição. A organização também entregará medalhas para os jogadores das duas melhores equipes, além de distribuí-las para o artilheiro e o goleiro menos vazados.

A premiação é cedida pela prefeitura, assim como a arbitragem. “Tudo só acontece por apoio da prefeitura. Se não tivesse ajuda, nem haveria disputa”, concluiu.