Departamento lamenta impacto da Covid-19 no esporte tatuiano

83
Copa Sudoeste Paulista de Motocross, uma das competições que deixaram de ser realizada no ano de 2020 (Foto: Arquivo O Progresso)
Da reportagem

Sem poder promover nenhuma competição esportiva há cerca de nove meses, o Departamento Municipal de Esporte, pertencente à Secretaria Municipal de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude, reconhece e lamenta o impacto provocado pela pandemia.

Para o diretor municipal do Esporte, Douglas Dalmatti Alves Lima, o Buko, a Covid-19 gerou “uma perda imensurável ao esporte”. “É um ano que não conseguiremos medir o impacto no desenvolvimento do DME”, admitiu.

O diretor afirma que a pasta estava em uma “crescente”, ano após ano. Segundo Buko, o objetivo do departamento era sempre o de estar evoluindo e qualificando as atividades, além de participar de competições com nível esportivo mais alto e valorizar as “pratas da casa” (atletas que residem na cidade).

Em 2020, atletas do DME representariam o município em competições regionais, estaduais e nacionais. Entre os principais eventos esportivos cancelados devido à pandemia, Buko destaca os Jogos Regionais (nos quais Tatuí participaria de 29 modalidades), Jogos Abertos, Jomi (Jogos da Melhor Idade, antigo Jori, Jogos Regionais do Idoso) e os Jogos da Juventude.

Os esportistas tatuianos ainda não puderam competir: nos campeonatos paulistas de judô e de caratê; Campeonato Brasileiro de Caratê; Copa São Paulo de Judô, Liga Sorocabana de Vôlei; Liga Desportiva Paulista de Basquete; Taça Band de Futebol de Base 2020; e torneios regionais e estaduais de futebol.

Entre os principais eventos programados para este ano, o DME não pôde promover a 6ª Copa Tatuí de Futsal para Menores, a 8ª Copa Craque do Futuro, o 3º Campeonato Amador Municipal, a 1ª Copa Tatuí, o 19º Campeonato Municipal Varzeano, a 8ª Copa Kazuo Suga e uma das etapas da Copa Sudoeste Paulista de Motocross.

Destas competições, o departamento já havia iniciado a “Copa Menores”, mas a Covid-19 provocou a paralisação, após a primeira rodada ter sido disputada. A edição de 2020 reunia 53 equipes, divididas em cinco categorias masculinas mirins e uma categoria feminina livre.

Em 15 partidas válidas pela rodada inaugural, disputadas nos dias 7 e 8 de março, as redes do ginásio de esportes do Clube de Campo foram balançadas em 94 oportunidades, média de 6,26 gols por jogo.

No final de semana seguinte, 14 e 15 de março, aconteceriam mais 15 jogos. Contudo, todos os confrontos, válidos pela segunda rodada, foram adiados pelo DME.

Quando o primeiro período de quarentena foi oficializado no município, em março, o DME já estava recebendo as inscrições para a “Copa Craque”. A competição mirim de futebol de campo permaneceria sendo promovida em quatro categorias: sub-11, sub-13, sub-15 e sub-17.

Já a 14ª edição do Campeonato José de Campos – “Zé Leiteiro”, iniciada em janeiro deste ano, pode ser encerrada um ano depois. Na semana passada, o DME informou que a decisão do certame, exclusivo para atletas a partir de 50 anos está agendada para 24 de janeiro de 2021, um domingo.

De acordo com o departamento, entre os dias 4 e 8 de janeiro, os profissionais do DME se reunirão com Cesário Mota Filho, o Cesário Tatu, organizador do torneio, e representantes dos finalistas, Clube de Campo e do Santa Cruz, para confirmar, além da data e horário, os procedimentos para prevenção à Covid-19 e o estádio que receberá a partida.

A competição máster foi paralisada no dia 16 de março, devido à pandemia, seis dias antes de Clube de Campo e Santa Cruz entrarem no campo da Associação Atlética Az de Ouro para a disputa do título.

O diretor municipal ainda informou que o DME não pôde realizar a 18ª Corrida Rural Diniz Pollo, a tradicional “São Silvestre Caipira”, no bairro dos Mirandas. No ano passado, o prova reuniu 438 atletas.

A intenção, segundo Cassiano Sinisgalli, secretário municipal do Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude, seria a de promover a corrida neste domingo, 27. Contudo, ele já reconhecia que “dificilmente” o evento seria realizado neste ano.

Inspiração da prova tatuiana, a Corrida Internacional de São Silvestre, realizada anualmente no dia 31 de dezembro, em São Paulo, foi adiada pelos organizadores. Em 2021, a “São Silvestre” será disputada no dia 11 de julho.

Buko aponta que 2020 seria “diferente” em algumas modalidades, em virtude da construção e inauguração do CIE (Centro de Iniciação ao Esporte) “José Edson Leal Leite (Éde)”.

O DME utiliza o novo espaço esportivo como “casa” do esporte tatuiano. “Com ele, a partir do ano que vem, vamos ter uma visão diferente de algumas modalidades”, garantiu.

“Nós sofríamos muito em quadra, quando íamos jogar ‘fora’, por não termos uma quadra com medidas oficiais. Hoje, ela faz parte da nossa realidade, porém, dentro de um ano onde não pudemos trabalhar”, reconheceu o diretor.

Nas últimas semanas, o Ginásio Poliesportivo “Pedro Paulo Silva (Paulo Vagalume)”, situado no CIE, foi palco da campanha vitoriosa do XI de Agosto/AABT/Tatuí, de forma invicta, do Campeonato Paulista Masculino da 1ª Divisão – 2020.

“Era uma modalidade profissional, na qual podíamos estar trabalhando. Mas, sentimos uma perda muito grande para o judô, ao caratê, às meninas do balé, ao futsal e ao vôlei, nas modalidades masculinas e femininas”, declarou.

“Não consigo mensurar o que isso pode ter acarretado de regresso dentro do esporte municipal”, reforçou Buko.

Para o próximo ano, ele acredita que algumas competições ainda não poderão ser disputadas. Como exemplo, aponta a Copa São Paulo de Futebol Júnior, considerada “a principal competição de futebol de base do país”, a qual a Federação Paulista de Futebol decidiu não realizar em 2021.

“Houve uma perda muito grande não somente ao esporte tatuiano, mas de todo o país nesta pandemia. Espero que as vacinas deem certo para que possamos, com todos os cuidados necessários, retomar as nossas atividades gradativamente”, torce.

“Espero que, no próximo ano ou no outro, consigamos recuperar tudo o que perdemos neste período parados”, concluiu Buko.