Dario Sotelo é condecorado com a ‘Distinción Pare Antoni’ na Espanha

Premiação é oferecida pela mais antiga instituição musical espanhola

393
Maestro Dario Sotelo recebe premiação na Europa (foto: divulgação)
Da reportagem

O maestro Dario Sotelo esteve na Europa no começo do mês para receber a “Distinção Pare Antoni”, condecoração oferecida pela Ateneo Musical y de Enseñanza Banda Primitiva de Llíria, uma das sociedades musicais mais importantes e antigas da Espanha.

Fundada em 1819 pelo padre franciscano Antoni Albarracín, é considerada a banda civil mais antiga desse país. Desde a origem, o grupo se tornou uma referência musical a nível internacional, com atuações em praticamente todas as cidades espanholas e em vários países europeus, Estados Unidos e China, sendo a primeira banda da Espanha a atuar na potência asiática.

O maestro representou o Brasil em cerimônia de homenagem realizada no dia 3 de dezembro, no teatro da “Banda Primitiva”, na cidade de Llíria (província de Valência), na qual regeu a corporação em concerto especial pela premiação.

Sotelo foi o único estrangeiro a receber a honraria, destinada a pessoas, entidades e instituições que se destacam na atuação na música e em outras expressões artísticas e culturais. O concerto especial ainda homenageou Juan Manuel Gómez de Edeta, compositor espanhol, e a Banda Municipal de Valência.

Llíria é reconhecida como a “Cidade Criativa da Música” pelo Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), desde 2019.

Conforme o maestro, a sociedade concedeu a condecoração no final do ano passado, após o nome dele ter sido indicado pelo presidente da associação, Luís Pérez Veses, e votado pelo conselho de administração da instituição, sendo a entrega aprovada por unanimidade.

“Com a concessão desta distinção, a Banda Primitiva de Llíria quer mostrar o mais sincero apreço ao seu trabalho em favor da música. Sua trajetória no campo da gestão, bem como nas demais iniciativas que tem desenvolvido ao longo de sua carreira, lhe rendeu este reconhecimento internacional que, agora, queremos reivindicar”, cita o presidente da sociedade em carta enviada ao maestro.

Após a aprovação, em virtude da pandemia, a sociedade realizou uma cerimônia virtual com a presença do maestro e, neste ano, com a liberação dos voos entre Brasil e Espanha, a instituição realizou a cerimônia presencial.

“Para mim, profissionalmente, posso dizer que esta premiação é o ponto mais alto da minha carreira de música. É uma premiação de alto nível, dada por uma sociedade reconhecida mundialmente”, concluiu o tatuiano.

Dario Sotelo é formado em piano, violino e viola, recebeu o título de mestrado em regência orquestral pela “City University”, em Londres, como aluno de Ezra Rachlin, um dos discípulos de Fritz Reiner.

Foi coordenador da área de cordas do Conservatório de Tatuí de 1988 a 1991 e de 1998 a 2003, reestruturando os programas dos cursos de instrumentos de cordas, integrando-os às atividades de música de câmara e orquestra, em níveis equiparados.

Criou e estabeleceu orquestras jovens em Tatuí, Belo Horizonte e São Paulo. Através do Conservatório de Tatuí, realizou várias encomendas e estreias mundiais a compositores brasileiros, tendo como exemplos a ópera “A Peste e o Intrigante”, de Mario Ficarelli, “Cantata de Natal”, de Ernest Mahler, e “Sonho de Uma Noite de Verão”, de Edson Beltrami.

Após dois anos em Londres (1991 e 1992), foi convidado a assumir a regência da Orquestra de Sopros Brasileira e estabeleceu o curso de regência instrumental do Conservatório de Tatuí. Em 1998, tornou-se o regente da recém-criada Orquestra Sinfônica Paulista do Conservatório de Tatuí, conjunto que dirigiu até 2003.

Como palestrante e regente convidado, participou de dezenas de atividades internacionais, entre elas o Festival de Música Brasileira em Wattwill (Suíça), gravação para a Rádio Estatal Húngara e turnês pelos Estados Unidos e Espanha.

Atuou, ainda, na Convenção Estadual de Minnesota, em Mineápolis, na Universidade de Duluth e na Berklee College of Music, na cidade de Boston, nos Estados Unidos.

Também como regente convidado, atuou na Hungria, Austrália, Alemanha, Inglaterra, Espanha, África do Sul, Colômbia, Uruguai, Costa Rica, Paraguai, Argentina e Taiwan.

No Brasil, regeu em Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Blumenau, Caxias do Sul, Porto Alegre e nos festivais de Campos do Jordão, São João Del Rei, Sesc-Pelotas, Festival de Inverno de Divinópolis e na Oficina de Música de Curitiba.

Estabeleceu a Conferência Ibero-Americana de Compositores, Arranjadores e Regentes de Banda Sinfônica em Tatuí e foi o coordenador-geral e artístico da instituição nos anos de 2002 e 2004, além de secretário-geral do IV Congreso Ibero-Americano de Compositores, Arregladores y Directores de Banda Sinfônica na cidade de Tenerife, em 2013, e na Cidade de Llíria (ambas na Espanha).

Sotelo também foi diretor artístico e regente da Orquestra de Sopros Brasileira, do Conservatório de Tatuí, por 25 anos, tendo a oportunidade de gravar sete CDs com obras de diversos compositores brasileiros.

Até o momento, realizou 150 estreias mundiais de obras de compositores brasileiros e 98 estreias brasileiras de compositores internacionais.

Em julho de 2011, regeu a Orquestra de Sopros Mundial na 15ª Conferência da Wasbe Taiwan. Escreveu vários espetáculos musicais para crianças, jovens e adultos, entre eles: “Retratos”, “Villa- Lobos Encontra Guarnieri”, “Vinda da Família Real para o Brasil”, “Villa-Lobos e o Momoprece”, “Sonho de Criança”, “As Estórias de Petrushka”, “O Tango e suas Histórias”, “As Estórias do Tião” e “Mambos, Boleros e Chá-chá-chás”.

Durante as comemorações de cem anos da Sagração à Primavera em 2013, realizou o Projeto Stravinsky, com execuções de obras originais para sopros sinfônicos influenciadas pela Sagração, além de concerto dedicado a uma transcrição completa do grande balé.

Em 2013, organizou e coordenou o I Seminário Nacional de Regência de Banda Sinfônica, evento que se repetiu por mais quatro edições nos anos seguintes, mobilizando mais de 1.200 participantes do Brasil e América do Sul.

Em 2014, organizou e coordenou a I Semana Nacional de Composição para Banda, o Festival de Inverno de Tatuí “Curso de Férias” e o Concurso Nacional de Composição para Banda.

Ainda estreou como regente convidado da Banda Sinfônica Municipal de Madrid e colaborou com a série “Teaching Music Through Performance in Band”, com o capítulo “Danzon no.2”, de Arturo Márquez.

Participou como jurado do Certamen Internacional de Bandas “Ciudad de Valencia” nos anos de 2003, 2010 e 2019. Foi membro do conselho da Wasbe, “World Association of Symphonic Band and Ensembles”, de 2002 a 2008, e presidente de 2017 a 2019.

Em 2019, organizou e coordenou a Conferência Mundial da Wasbe na cidade de Buñol (Espanha). Em 2020, recebeu a condecoração “Distinción Pare Antoni”, do Ateneo Musica, e de “Ensino Banda Primitiva de Llíria”. Atualmente, é regente da Banda Sinfônica da Escola Municipal de Música de São Paulo.